The themes of identity, culture and difference in the light of BNCC and the curriculum of Pernambuco

Anyla Laíse Santos, Gerliane Rocha de Araújo, Kátia Silva Cunha, Tânia Maria Goretti Donato Bazante

Resumo


Inicialmente buscamos compreender o que a BNCC e o Currículo de Pernambuco propõem sobre identidade, cultura e diferença, para posteriormente investigar como os professores dos anos finais do Ensino Fundamental de uma Escola Municipal de Toritama/PE trabalham essas temáticas. Utilizamos um questionário para a produção dos dados, que mostram que os referidos documentos pontuam a necessidade de práticas pedagógicas que enfatizem o trabalho com as temáticas propostas, porém não apresentam caminhos para a construção dessas práticas, encarregando a Secretaria de Educação, a escola e os professores da responsabilidade de desenvolvê-las. Os professores enfatizam que o próprio currículo é um desafio para pensar práticas pedagógicas que atendam a essas temáticas, mas não desconsideram a importância de serem trabalhadas.
Palavras-chave: BNCC, Currículo de Pernambuco, Cultura, Diferença, Práticas Pedagógicas.

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. (2017). Base Nacional Comum Curricular. Brasília. Recuperado dehttp://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf.

Candau,V. M., &Anhorn, C. T. G. (2000). A questão didática e a perspectiva multicultural: uma articulação necessária. PUC – Rio. Recuperado em 13, novembro, 2019, dehttp://23reuniao.anped.org.br/textos/0413t.PDF.

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. (1998). Brasília. Recuperado em 13, novembro, 2019, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.

Gil, A. C. (1999). Métodos e técnicas de pesquisa social (5a ed.). São Paulo: Atlas.

Godoy, A. S. (1995). Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades.Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 2, pp. 57-63.

Hall, S. (2003). Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG.

Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996. (1996). Diretrizes e Bases da Educação Nacional.Recuperado em 13, novembro, 2019, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm.

Macedo, E. (2005). Currículo e diferença nos Parâmetros Curriculares Nacionais. In A.C. Lopes, E. Macedo & M.P. Alves (org.). Cultura e política no currículo. Rio de Janeiro: DP&A.

Macedo, E, & Barreiros, D. (2006, abril). Pensando a diferença nos currículos. Anais do Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino. Recife, UFPE, Brasil, 13.

Martinazzo, C. J., Schmidt, A. &Burg, C. I. (2014). Identidade e diversidade cultural no currículo escolar.Revista contexto e educação. n.92, pp. 4-20.

Minayo, M. C. S. (Org.). (1995). Pesquisa Social: Teoria, Método e Criatividade. Petrópolis: Vozes.

Moreira, A. F. & Candau, V. M. (2008). Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. Petrópolis: Vozes.

Moreira, A.F.B. (2005). Por que ter medo dos conteúdos? In. M. Z. C, PEREIRA & A. P. MOURA. Políticas e práticas curriculares. João Pessoa: Ideia.

Oliveira, C. L. (2008). Um apanhado teórico-conceitual sobre a pesquisa qualitativa: tipos, técnicas e características. Revista Travessias: Pesquisas em Educação, Cultura, Linguagem e Arte, v. 2, n. 3.

Pernambuco. (2019). Currículo de Pernambuco, Caderno de Linguagens. Recuperado em 13, novembro, 2019, dehttp://www.educacao.pe.gov.br/portal/upload/galeria/17691/CURRICULO%20DE%20PERNAMBUCO%20-%20ENSINO%20FUNDAMENTAL.pdf.

Saviani, D. (1991). Escola e democracia.(24a ed.). São Paulo: Cortez.