A Pseudonímia e a Poesia Renegada de Carlos Drummond de Andrade

Lucila Nogueira

Resumo


"Fascinado pela atividade jornalística desde a época escolar, Carlos Drummond de Andrade começa sua atividade de cronista e poeta no Diário de Minas em 1920. Nesse ponto iniciou sua carreira poética, como muitos outros nas páginas dos periódicos. Em Horizontes Modernistas, a professora Maria Zilda Ferreira Cury destaca o processo evolutivo do poeta desde o Diário de Minas, em 1920 até o lançamento de A Revista em 1925. Onde já estão presentes, conforme destaca Ana Maria Casasanta Peixoto o olhar arguto sobre o cotidiano da cidade, sinais do seu humor gauche, o compromisso com o futuro do país, a sensibilidade às questões sociais, o sentimento de empatia para com o seu semelhante. [...]"

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i01p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional