Pelos caminhos do ISD na sala de aula de língua materna

Ana Maria de Mattos Guimarães

Resumo


Para fins deste artigo, trazemos resultados de projetos desenvolvidos por nosso grupo de pesquisa a respeito de como se pode avançar na análise do trabalho real, no que reconceitualizamos como trabalho real/concretizado (GUIMARÃES, DREY, CARNIN, 2012). Observamos, mais detidamente, como o trabalho docente se materializa no contexto de práticas de ensino de professor em formação, em momento de estágio, e postulamos como categoria central para a compreensão desse mesmo trabalho os modos como a linguagem medeia a interação entre professor, aluno(s) e objeto de ensino no processo de ensino-aprendizagem em sala de aula de língua portuguesa. Inicialmente, verificamos um dos traços que consideramos marcante para a constituição da profissionalidade do professor: a questão da atorialidade, vista a partir de marcas linguísticas no discurso (BOUTET, 1997; ALMEIDA, 2013) e relacionadas à constituição de identidades. A seguir, salientamos, como BRONCKART (2006),  as interações humanas que orientam a aprendizagem, interações que dizem respeito às atividades coletivas mediatizadas pela linguagem e às significações socioculturais que elas produzem  Entendemos que, assim, poderemos iluminar as reflexões acerca do trabalho docente que vêm sendo realizadas, especificamente em suas dimensões linguística e didática, sob o ponto de vista  da constituição da profissionalidade docente. Nesse sentido, considerando os dados que apresentaremos, compreendemos que o agir de um profissional professor se estabelece na interação, na qual a tensão entre as dimensões individual/coletiva se materializa – pois os participantes produzem ações que podem ser interpretadas, concretamente, através dos gestos (cf. DREY, 2011) e da fala em uma perspectiva individual, mas sempre direcionados a um outro, orientados por um contexto situacional co-construído entre um participante e o outro (CARNIN, 2011), ou entre os demais participantes que constroem a interação.


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, A.P.(2013). Docência de língua materna: o professor como ator do seu próprio agir. Projeto de Tese de Doutorado apresentado à Banca de Qualificação do Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

AMIGUES, R. Trabalho do professor e trabalho de ensino. IN: Machado, A.R. O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. Londrina: Eduel, 2004

BOUTET, J. (1997). Construire le sens. 2a ed. Bern, Peter Lang

BRONCKART, J. P. Atividade de linguagem, textos e discursos. Por um interacionismo sócio-discursivo. Trad. Anna R. Machado. São Paulo: EDUC, 1999.

____. Atividade de linguagem, discurso e desenvolvimento humano. Campinas: Mercado de Letras, 2006.

____. O agir nos discursos: das concepções teóricas às concepções dos trabalhadores. Campinas: Mercado de Letras, 2008.

_____. Postfácio. IN: ABREU-TARDELLI, L. S.; CRISTÓVÃO, V. L. L. (orgs.). Linguagem e educação: o trabalho do professor em uma nova perspectiva. Anna Rachel Machado e colaboradores. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2009.

BULEA, E. Linguagem e efeitos desenvolvimentais da interpretação da atividade. Trad. Eulália Vera Lúcia Fraga Leurquin e Lena Lúcia Espíndola Rodrigues Figueiredo. Campinas: Mercado das Letras,2010.

CARNIN, A. Entre a formação inicial de professores de Língua Portuguesa e o trabalho real: a (co)construção do objeto de ensino produção textual escrita. Dissertação de Mestrado em Linguística Aplicada. Unisinos: São Leopoldo, 2011.

CARNIN, A. (2013) Na (in)visibilidade do trabalho do professor, um percurso possível para a análise de (seu) desenvolvimento. Projeto de Tese de Doutorado apresentado à Banca de Qualificação do Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada da Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

CLOT, Yves. A Função Psicológica do Trabalho. Tradução de Adail Sobral. Petrópolis – RJ: Vozes, 2006.

CORREA,M.C. Escrita: este obscuro objeto de desejo.UFRGS: Porto Alegre, 2002.

DREY, R. F. O processo inicial de competência profissional docente: por uma análise multimodal do trabalho real/concretizado. Tese de doutorado em Linguística Aplicada. Unisinos: São Leopoldo, 2011.

FILLETAZ, L. ; BRONCKART, J.P. Introduction. In: ____ (eds) L’analyse des actions et des discours em situation de travail: concepts, méthodes et applications. Louvain, Bélgica:Peeters, 2005. p.5-15.

GARCEZ, Pedro M. A organização da fala-em-interação na sala de aula: controle social, reprodução de conhecimento, construção conjunta de conhecimento. Calidoscópio, vol. 4, nº 1, p. 66-80, 2006.

GUIMARÃES, A.M.M. Construindo propostas de didatização de gênero: desafios e possibilidades. Linguagem em (Dis)curso, v. 6, p. 4-12, 2006.

____. O agir educacional nas representações de professores de língua materna. In: GUIMARAES, A.M.M.; MACHADO, A.R; COUTINHO, A.. (Org.). O interacionismo sociodiscursivo: questões epistemológicas e metodológicas. Campinas: Mercado de Letras, 2007, v. 1, p. 201-219.

____. Diversidade social e variedades de língua: variáveis a serem consideradas na interpretação do agir do professor. Estudos Linguísticos/Linguistic Studies, v. 3, p. 269-286, 2009.

GUIMARÃES, A. M. M.; DREY, R. F.; CARNIN, A. Parece difícil e é mesmo: sobre a dificuldade de falar sobre o trabalho docente na sala de aula. IN: CORREA, M. C. GUIMARÃES, A. M. M. (Orgs.) Formação continuada de professores de Língua Portuguesa: desafios e possibilidades. Santa Maria: PPGL Editores/UFSM. 2011. p. 155-186.

______. CAMPANI-CASTILHOS, D.; DREY, R. Gêneros de texto no dia-a-dia do Ensino Fundamental. Campinas: Mercado de Letras, 2008.

GUIMARÀES, A.M.M.; KERSCH, D. F (orgs). Projetos didáticos de gêneros na sala de aula de língua portuguesa: caminhos da construção. Campinas, Mercado de Letras, 2012.

HERITAGE, J. Conversation analysis and instituctional talk: analysing data. In: SILVERMAN, D. (ed) Qualitative research: theory, method and practice. 2.ed. London: Sabe Publ. 2004. p.222-245

KERBRAT-ORECCHIONI, C. Les interactions verbales: tome II. Paris: Armand Colin, 1992.

MACHADO, A. R.; BRONCKART, J. P. (Re-)configurações do trabalho do professor construídas nos e pelos textos: a perspectiva metodológica do grupo ALTER-LAEL. In: Machado, A.R.; Cristovão, V. L. L.; Abreu-Tardelli, L. S.. (Org.). Linguagem e educação: o trabalho do professor em uma nova perspectiva. Campinas: Mercado de Letras, 2009.

MACHADO, A. R.; LOUSADA, E. G. A apropriação de gêneros textuais pelo professor: em direção ao desenvolvimento pessoal e à evolução do “métier”. Linguagem em (Dis)curso, Palhoça, SC, v. 10, n. 3, p. 619-633, set./dez. 2010

MEHAN, H. The structure of classroom discourse. In: T. V. DIJK (org.), Handbook of Discourse Analysis (Vol. 3). Londres, Academic Press, p. 119-131, 1985.

O’CONNOR, M.C. e MICHAELS, S. Shifting participant frameworks: Orchestrating thinking practices in group discussion. IN: D. HICKS (org.), Discourse, learning and schooling. Cambridge: Cambridge University Press, 1996. p. 63-103.

RAMPTON, B. Language in late modernity: interaction in a urban school. Cambridge: Cambridge Un. Press, 2006.

DOLZ, J.; SCHNEUWLY, B. Gêneros Orais e Escritos na Escola. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2004. Tradução e Organização de Roxane Rojo e Glaís Sales Cordeiro.

SINCLAIR, J. M.; COULTHARD, R.M. Towards and Analysis of Discourse: The English Used by Teachers and Pupils. London: Oxford University Press, 1975.

SCHNACK, C.M. et al. Transcrição de fala: do evento real à representação escrita. Entrelinhas, 2 (2), 2005. Disponível em: http://www.unisinos.br/_diversos/revistas/entrelinhas/index.php?e=2&s=9&a=12. Acesso em: 3 mai. 2010.

WEEKS, J. The value of difference. In: RUTHEFORD, J (ed.) Identity: community, culture and difference. London: Lawrence & Wishart,1990.




DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i13p604-625

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional