Frevo em Cordel: uma análise do Acervo da Fundação Casa de Rui Barbosa

Vânia Silva, Andréa Marinho, Vildeane Borba

Resumo


Analisa o termo frevo em folhetos de cordel, compreendendo o seu uso e significado e refletindo de que forma dialogam entre si. De cunho qualiquanti, do tipo descritiva, utilizou como técnica de coleta de dados a análise de conteúdo e a entrevista semiestruturada. Foram analisados 14 folhetos de cordel dos quais apresentaram o termo frevo com o sentido de Bagunça, Festa (Baile, Celebração e Farra) e Expressão cultural. O sentido de bagunça remete a época a qual a cidade Recife se encontrava, inspirada principalmente pelos ideais abolicionistas; a relação com Festa, subdividida em Baile alude a dança, celebração denota comemoração de eventos e Farra revela a brincadeira. Já a significância de expressão cultural sugere as manifestações da dança, música, troça, fanfarras retratando ao frevo propriamente dito. Acredita-se que este trabalho contribui para a Ciência da Informação a partir das práticas culturais, compreendendo como os grupos sociais tecem seus saberes e, sobretudo, por meio da Ciência da Informação podemos comunicar e visualizar esse conhecimento, identificando, estudando e refletindo também sobre as fontes de informação marginalizadas.

Palavras-chave


Frevo. Literatura de Cordel. Cultura. Expressão cultural.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista IRIS  -  Informação, Memória e Tecnologia (ISSN: 2318-4183) é publicada pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Pernambuco e está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Based on a work at www.periodicos.ufpe.brPermissions beyond the scope of this license may be available at https://periodicos.ufpe.br/revistas/IRIS/index.