As Companhias Listadas nos Segmentos Diferenciados de Governança da BM&FBovespa Gerenciam Menos seus Resultados?

Rodrigo Dilen Louzada, Layziane Souza Silva

Resumo


Este estudo investiga a relação entre governança corporativa e o gerenciamento de resultados por accruals discricionários das companhias não financeiras listadas na BM&FBovespa no ano de 2014. O objetivo é identificar se as empresas listadas em algum segmento de listagem de governança da Bovespa – Nível 1, Nível 2 ou Novo Mercado – gerenciam menos ou não seus resultados, partindo do pressuposto de que tal perspectiva seria de interesse de diversos agentes de mercado, como analistas, acionistas, investidores, entre outros. A hipótese de pesquisa é a de que a classificação da companhia em algum segmento não indicaria menor gerenciamento de resultados. Foi utilizado o modelo econométrico para estimação dos accruals discricionários de Jones modificado por Khotari, Leone e Wasley (2005). No modelo de estimação da pesquisa foram incluídas as variáveis de interesse: FreeFloat; quantidade de membros no conselho administrativo; acumulação de cargos no conselho administrativo e presidência; e dummy que indica se a empresa está listada em algum segmento diferenciado de governança corporativa. Tais variáveis estão relacionadas às características necessárias para estar listada em algum segmento, conforme normas da BM&FBovespa. Os resultados indicam que não há relação entre governança corporativa e gerenciamento de resultados, que apenas o tamanho da empresa e o ROA tem uma relação inversa com os gerenciamentos de resultados, ou seja, indicam que a presença das empresas nos setores diferenciados de governança não significa que há menor gerenciamento de resultados por accruals.

Texto completo:

ARTIGO

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Organização:

Centro de Ciências Sociais Aplicadas

Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis - PPGCC/UFPE