Macroalgas como Indicadoras da Qualidade Ambiental da Praia de Piedade – PE.

Glauber Santana de SOUSA, Adilma de Lourdes Montenegro COCENTINO

Resumo


Estudos sobre as macroalgas como indicadoras das condições ambientais da praia de Piedade, Jaboatão dos Guararapes, PE, foram realizados em setembro e outubro de 2001. Foram demarcadas duas estações em região recifal, cada uma com 4 áreas de coleta. As algas foram retiradas com auxílio de uma espátula sendo acondicionadas em sacos plásticos, também coletou-se amostras para a determinação da biomassa através do uso de um quadrado (20 x 20cm). Amostras da água foram coletadas para determinação dos dados de temperatura, salinidade, pH e nutrientes. A análise hidrológica registrou teores normais para áreas costeiras, exceto a salinidade do lençol freático que apresentou valores muito baixos. Identificou-se 29 espécies de macroalgas, com representantes de todas as divisões. Contudo, na biomassa, destacaram-se as clorofíceas, principalmente Enteromorpha flexuosa, Enteromorpha lingulata, Ulva fasciata e Ulva lactuca que caracterizam ambientes estressados. A biomassa média geral da estação 1 (9,15g.m-2) foi menos de 1/3 do que a biomassa média da estação 2 (34,4g.m-2), entretanto a análise de variância não apresentou diferenças significativas entre as estações e áreas coletadas, apenas a estação 1 apresentou nível significativo entre os diferentes dias de coletas. Contudo, a análise de agrupamentos evidenciou dois grupos de datas e dois conjuntos de amostras com base na biomassa. A menor biomassa na estação 1, se deve a sua maior vulnerabilidade a ações estressantes. Os principais impactos antropogênicos observados foram devido a alta concentração urbana que tem gerado um imput de matéria orgânica na área, sendo necessárias medidas que visem minimizar este impacto. Palavras chave: Macroalgas, bioindicadores, impactos, Praia de Piedade, Pernambuco

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5914/tropocean.v32i1.5030

Apontamentos

  • Não há apontamentos.