Variabilidade espaço-temporal da biomassa fitoplanctônica e hidrologia no estuário do rio Una (Pernambuco – Brasil)

Rafaella Brasil BASTOS, Fernando Antônio do Nascimento FEITOSA, Kátia MUNIZ

Resumo


Com o intuito de caracterizar e diagnosticar o estuário do rio Una através da análise da comunidade fitoplanctônica e dos parâmetros ambientais se desenvolveu esta pesquisa. As amostras foram coletadas, em sua maioria, na superfície com garrafa de Nansen, em três pontos fixos, durante a baixa-mar e preamar diurna, em maré de sizígia. A pluviometria total anual foi de 1319,5mm; a transparência da água variou entre 0,20 e 2,25m; a temperatura entre 23,8 e 32,0°C; a salinidade entre 0 e 39‰; a taxa de saturação do oxigênio entre 74,8 e 132,4%; o pH entre 7,07 e 8,93; o nitrito de valores indetectáveis a 0,37µmol.L-1; o nitrato de 0,05 e 14,70µmol.L-1; o fosfato de indetectável a 0,76µmol.L-1; o silicato de 12,99 a 476,04µmol.L-1; o material em suspensão de 2,00 a 114,50mg.L-1 e a biomassa fitoplanctônica de 1,68 a 36,30mg.m-3, indicando tratar-se de um ambiente eutrófico. Baseado na taxa de saturação do oxigênio dissolvido o ambiente foi caracterizado como não poluído e de acordo com a análise dos componentes principais a biomassa correlacionou-se diretamente com o material em suspensão, o nitrito, o nitrato e a pluviometria e inversamente com a transparência e o pH. Palavras chaves: fitoplâncton, biomassa, estuário e hidrologia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5914/tropocean.v33i1.5066

Apontamentos

  • Não há apontamentos.