Hidrocarbonetos policíclicos aromáticos em sedimentos superficiais na Baía de Todos os Santos – Nordeste do Brasil

Nilson SANT’ANNA Jr., Magda BERETTA, Sonilda Maria TEIXEIRA, Tania Mascarenhas TAVARES

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar a contaminação de 24 HPAs em sedimentos superficiais, em zonas de infra e mesolitoral, identificar as possíveis fontes desses compostos e avaliar os impactos causados na zona costeira da Baía de Todos os Santos, Bahia - Brasil. As análises foram realizadas em um cromatógrafo a gás, acoplado a um espectrômetro de massas (CG-MS). A maior concentração do total de HPAs encontrada foi na estação M14 – Saubara (7221,3 ng/g massa seca), e a menor concentração foi verificada na estação M07 – Ilha de Cajaiba (48,6 ng/g massa seca). A distribuição dos HPAs dentro da BTS é governada não só por suas fontes geradoras mais por condições oceanográficas como o fluxo das correntes existentes dentro da BTS. Os resultados encontrados pelas razões moleculares e a análise dos componentes principais (PCA) mostram que as localidades estudadas na BTS apresentam uma predominância de compostos originados através de processos de combustão (pirolíticos), no entanto, a razão Ant/178 demonstrou uma forte contribuição de HPAs de origem petrogênica, provavelmente em conseqüência das atividades de produção, transporte e refino de petróleo na BTS. Os sedimentos da BTS apresentam um grau de contaminação que vai de baixo a alto o que pode comprometer a sua qualidade toxicológica. Algumas estações apresentam concentrações de HPAs individuais acima do Probable Effect Level (PEL), sugerindo desta forma que estes sedimentos podem causar efeitos adversos em organismos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5914/tropocean.v38i1.5161

Apontamentos

  • Não há apontamentos.