Mollusca Scaphopoda Bronn, 1862 da costa nordeste do Brasil

Gilberto Faustino da SILVA FILHO, Deusinete de Oliveira TENÓRIO, Stefane de Lyra PINTO, Marcos Souto ALVES

Resumo


Os moluscos da Classe Scaphopoda são animais marinhos recentes encontrados em todos os oceanos do mundo, sendo representados no Brasil pela ocorrência da cerca de 39 espécies. São conhecidos popularmente como dentálios, sendo encontrados desde águas rasas a profundidades de acima de 5000 metros. Este trabalho teve como objetivo dar conhecimento sobre a diversidade de Scaphopoda, provenientes de dragagens realizadas na costa Nordeste do Brasil, no período de 1999 a 2004, entre as coordenadas geográficas de 02º01’71”S e 40º52’04”W e 12º01’71”S e 37º26’97”W, compreendendo os estados do Maranhão à Bahia, em profundidades entre 3,9 e 690m. A análise do material foi realizada no Setor de Bentos I do Departamento de Oceanografia da Universidade Federal de Pernambuco. Os exemplares foram identificados levando-se em consideração as características conquiológicas e também foram tomadas medidas morfométricas. Foram identificadas 28 espécies agrupadas em treze gêneros e seis famílias. Das 28 espécies identificadas, Cadulus transitorius Henderson, 1920, é citada pela primeira vez para o Brasil. Antalis pilsbryi (Rehder, 1942), Fissidentalium candidum (Jeffreeys, 1877), Fustiaria stenoschiza (Pilsbry & Sharp, 1897) e Gadila braziliensis (Henderson, 1920) são citadas pela primeira vez para região Nordeste do Brasil. As espécies Dentalium laqueatum Verrill, 1885, Dentalium laqueatum Verrill, 1885, Paradentalium gouldii (Dall, 1889), Paradentalium disparile (Orbigny, 1853), Antalis antillarum (d’Orbigny, 1853), Antalis cerata (Dall, 1881), Antalis circumcincta (Watson, 1879), G. calamus (Dall, 1889), Graptacme eborea (Conrad, 1846), Graptacme perlonga (Dall, 1881), G. semistriolata (Guilding, 1834), Fissidentalium candidum (Jeffreeys, 1877), Fustiaria liodon (Pilsbry & Sharp, 1897), Fustiaria stenoschiza (Pilsbry & Sharp, 1897), Polyschides tetraschistus (Watson, 1879), Gadila braziliensis (Henderson, 1920), Gadila domiguensis (Orbigny, 1853), Gadila longa Silva-Filho, Pinto & Alves, 2010 e Gadila robusta Silva-Filho, Pinto & Alves, 2010 tiveram sua distribuição batimétrica ampliada. As espécies estudadas pertencem as Províncias Caribeana e Brasileira. Palavras-chaves: Batimetria, Biogeografia, Diversidade, Sistemática.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5914/tropocean.v40i1.5191

Apontamentos

  • Não há apontamentos.