Estudo do fluxo larval de Braquiúros no Canal de acesso ao estuário da Lagoa dos Patos, Rio Grande, Rio Grande do Sul, Brasil

Pedro Henrique Viana de ARAÚJO, José Henrique MUELBERT, Danilo Koetz de CALAZANS

Resumo


Dentre os grupos faunísticos de ambientes estuarinos destacam-se os braquiúros que apresentam duas fases larvais planctônicas. No estuário da Lagoa dos Patos são reportadas 23 espécies de larvas que estão sujeitas aos processos físicos de circulação das correntes. Foram coletadas amostras físicas e biológicas durante 24 horas a cada três horas com o objetivo de estudar o fluxo larval no Canal de Acesso ao estuário. O Canal se encontrava em sistema de vazão, ventos de nordeste e nível acima de zero durante o estudo. Foram identificadas larvas de dez espécies de braquiúros que estavam continuamente sendo exportadas para o oceano adjacente preferencialmente pela região do Molhe Oeste na camada da superfície. O fluxo total de larvas foi 623.630 ind.100m-2 s -1 e as espécies mais abundantes foram Armases rubripes e Neohelice granulata. Foi observada a retenção larval de Rhithropanopeus harrisii e o primeiro registro de zoé 1 de Stenorhynchus seticornis no interior da lagoa. Palavras chave: Lagoa dos Patos, Braquiúros, Larvas, Fluxo, Exportação

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5914/tropocean.v40i2.5341

Apontamentos

  • Não há apontamentos.