Macrozooplâncton das cadeias Norte/Rocas/Noronha e da plataforma/talude sul do nordeste do Brasil, com ênfase em Crustacea Amphipoda

Tiago Rafael de S. NUNES, Tereza Manuela S. Paes BARRETO, Maria Eduarda L. de LARRAZÁBAL

Resumo


O zooplâncton constitui-se numa comunidade complexa, com variados padrões de distribuição, composição e abundância. Os Crustacea Amphipoda ocupam nichos ecológicos diversificados no ambiente pelágico, sendo reconhecidamente parasitóides de zooplanctontes gelatinosos. Buscou-se caracterizar a comunidade macrozooplanctônica das Cadeias Norte/Rocas/Noronha e da Plataforma/Talude Sul do Nordeste do Brasil, enfatizando-se os Amphipoda. Foram coletadas 35 amostras com rede de 300µm de abertura de malha, no estrato de 0-200m pelo Noc. Antares, parte da IV Campanha do Programa REVIZEE. A densidade máxima foi de 28,18 org.m-3 para o macrozooplâncton e de 1,51 org.m-3 para os Amphipoda. Copepoda se sobressaiu em frequência e abundância. O holoplâncton mostrou-se dominante, constituindo mais de 90% da comunidade. Quanto aos Amphipoda, a família Lestrigonidae se sobressaiu em frequência e abundância, sendo Hyperietta vosseleri sua espécie mais representativa. Lycaeopsis themistoides, Primno latreillei e Lycaea bovallioides foram registrados pela primeira vez para as águas de Pernambuco, do Nordeste e do Brasil, respectivamente. Palavras chave: Amphipoda, REVIZEE, zooplâncton

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5914/tropocean.v41i1-2.5415

Apontamentos

  • Não há apontamentos.