Avaliação das concentrações de metais-traço em moluscos bivalves Anomalocardia brasiliana (Gmelin, 1791) e Iphigenia brasiliensis (Lamarck, 1818) no estuário do rio Ipojuca – Ipojuca – PE, Brasil

Maria da Glória Epifânio Pereira SILVA, Sílvio José de MACÊDO, Hélida Karla Philippini da SILVA

Resumo


Este trabalho teve por objetivo determinar as concentrações totais de metais – traço nos moluscos bivalves Anomalocardia brasiliana (Gmelin, 1791) e Iphigenia brasiliensis (Lamarck, 1818) do estuário do rio Ipojuca – PE, de modo a fornecer indicadores químicos para avaliação do grau de contaminação da área e estabelecer bases científicas para o monitoramento ambiental do ecossistema, objetivando avaliar o teor de metais – traço para as espécies que apresentam maior abundância na área. As amostras de moluscos bivalves foram obtidas em 02 estações, localizadas em bancos naturais no regime de baixa-mar. Os parâmetros hidrológicos foram analisados nas mesmas estações de coleta dos moluscos. Para análise e determinação dos níveis de metais foram realizadas digestão ácida das amostras através de um forno de microondas e quantificação por meio do Espectrômetro de Emissão Ótica em Plasma Indutivamente Acoplado (ICP-OES). As concentrações de oxigênio dissolvido apresentaram variações significativas dentro do período estudado, detectando-se nas estações valores abaixo do limite permitido para águas salobras. Todos os metais avaliados (Alumínio, Cádmio, Chumbo, Cobalto, Cobre, Cromo, Ferro, Manganês, Níquel e Zinco) nos moluscos bivalves A. brasiliana e I. brasiliensis apresentaram níveis superiores aos valores de referência permitidos, conforme se aplica a legislação nacional e internacional. Palavras- chave: Bioindicadores ambientais. Contaminação. Águas estuarinas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5914/tropocean.v41i1-2.5719

Apontamentos

  • Não há apontamentos.