Hábito alimentar do Agulhão-Verde, Tetrapturus pfluegeri (Robins & de Sylva, 1963), (Teleostei-Istiophoridae), capturado no Atlântico Oeste Tropical

Fernanda Virginia Albuquerque SILVA, Patrícia Barros PINHEIRO, Natalia Priscila Alves BEZERRA, Teodoro VASKE JUNIOR, Antonio de Lemos VASCONCELOS FILHO, Fábio Hissa HAZIN

Resumo


O agulhão verde (Tetrapturus pfluegeri) representa uma das maiores capturas pela frota atuneira que opera com espinhel pelágico no Atlântico. Apesar de não ser alvo da pesca comercial de atuns, o agulhão verde é capturado como fauna acompanhante. Ao total, foram analisados de 182 estômagos de agulhões verde com amplitude de tamanho variando de 144 a 210 cm (MIF). Do total dos estômagos analisados 73,6% apresentaram algum conteúdo e 26,4% estavam vazios. Os peixes foram o grupo dominante, seguidos dos cefalópodes, com as presas variando de 3,4 a 50,1 cm, a maioria das quais com comprimento entre 4,5 e 7,5 cm. Segundo o IIR o grupo Teleostei foi o item mais importante, com 20,0% em número e ocorrendo em 41,0% dos estômagos seguidos da lula Hyaloteuthis pelagica, com 24,1% em número e 20,1% de ocorrência. O terceiro item em importância foram os exemplares da familia Scombridae, com 5,7% em número e ocorrendo em 13,4% dos estômagos.De acordo com índice padronizado de Levins (B= 0,2) o agulhão verde pode ser caracterizado como um predador especialista. O T. pfluegeri mostrou ter um hábito alimentar predominantemente de Teleósteos e Cefalópodes, sendo os mais importantes o Katsuwonus pelamis e Hyaloteuthis pelagica. Palavras chave: Hábito alimentar, estômagos, Istiophoridae

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5914/tropocean.v42i3.5774

Apontamentos

  • Não há apontamentos.