MACROZOOBENTOS DA PLATAFORMA CONTINENTAL EXTERNA E BANCOS OCEÂNICOS DO NORDESTE DO BRASIL, RECOLHIDOS DURANTE A PRIMAVERA DE 2000 PELO PROGRAMA REVIZEE (COMISSÃO NE IV)

Petrônio Alves COELHO FILHO, Tatiana Cristina A. de FREITAS

Resumo


Este trabalho analisa a variação espacial da abundância do macrozoobentos da plataforma continental externa e dos bancos oceânicos do Nordeste do Brasil, avaliando a influência dos parâmetros abióticos coligidos sobre essa variação. O material foi coletado a bordo do Noc. Antares, durante a comissão NE IV do Programa REVIZEE (novembro e dezembro de 2000), em 22 estações oceanográficas, através de uma draga retangular de ferro, com capacidade de 60 litros. O material recolhido foi triado, e os organismos identificados e contados. Informações sobre a profundidade, temperatura, salinidade e tipo de sedimento das estações também foram obtidas. Foram encontrados 9.660 organismos, sendo Polychaeta o grupo mais abundante. Apesar de não quantificados, Porifera, Bryozoa e Cnidaria foram comuns servindo de substrato para vários organismos. As maiores abundâncias foram registradas nos bancos oceânicos. Destacam-se, na plataforma continental, as estações localizadas perto da foz dos Rios Parnaíba e São Francisco. O tipo de sedimento foi o fator condicionante na natureza e distribuição do macrozoobentos da região, devido a sua característica grosseira, propiciando a formação de vários micro-habitats. 

Palavras-Chave: Macrozoobentos, Abundância, plataforma continental, bancos oceânicos, Nordeste do Brasil.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5914/tropocean.v32i2.8026

Apontamentos

  • Não há apontamentos.