PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL UMA ESCOLA DE ENSINO MUTISSERIADO NA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL (APA) DO CARIRI – PB.

Maria do Socorro Silva Salvador, Vinícius Alves Barbosa, Valéria Raquel Porto de Lima

Resumo


No antropoceno alteração dos sistemas ambientais tomaram proporções preocupantes, sendo a educação ambiental, formal ou não formal, um instrumento que possibilita a construção de um saber ambiental, segundo preconiza Leff (2011). O objetivo do artigo é apresentar resultados de práticas didáticos-pedagógicas relacionadas à temática ambiental com os alunos das séries iniciais em uma escola de ensino multisseriado, localizada na zona rural do município de Boa Vista no Cariri Paraibano. O município faz parte da Área de Proteção Ambiental do Cariri, criada pelo Decreto Estadual Nº. 25. 083/2004 com o objetivo de proteger a biodiversidade de fauna e flora da Caatinga, e o patrimônio geomorfológico do lugar. A metodologia da pesquisa foi baseada na pesquisa-ação, com a realização de diferentes recursos didáticos, como desenhos da percepção ambiental, mapas mentais do lugar, reproduções fílmicas e jogos. Tais recursos auxiliaram na reflexão sobre os principais elementos do meio ambiente no lugar vivido. Os resultados mostram que os alunos possuem uma boa percepção do bioma Caatinga no lugar vivido, sabem da importância de viver em uma Unidade de Conservação, porém não conseguem representar. Sendo assim, as práticas didáticas/pedagógicas de educação ambiental no contexto da geográfica possibilita desenvolver reflexões coletivas sobre os desafios da preservação ambiental.

Palavras-chave


Educação Ambiental; Unidades de Conservação; Series Iniciais

Texto completo:

PDF

Referências


BEZERRA, N. M. O olhar do professor sobre o desenho da criança pequena. 2016. 28 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Psicopedagogia). Universidade Federal da Paraíba João Pessoa-Pb. 2016. Disponível em: Acesso em: 16 Jun. 2020.

BRASIL (1999) Política Nacional de Educação Ambiental. LEI No 9.795, DE 27 DE ABRIL DE 1999. Disponível em: Acesso em: 20 fev. 2019.

BRASIL (2016) Educação ambiental em unidades de conservação: ações voltadas para comunidades escolares no contexto da gestão pública da biodiversidade. Disponível em: Acesso em: 20 fev. 2019.

CALLAI, H. C. Aprendendo a ler o mundo: A Geografia nos anos iniciais do Ensino Fundamental. In: Cad. Cedes, Campinas, vol. 25, n.66, p. 235-236. 2005.

DIAS, G. F. Educação Ambiental; Princípios e Práticas. 6ª Ed.rev e ampl. São Paulo: Ed. Gaia, 2000.

DRUZIAN F.; MEURER, A. C. Escola do campo multisseriada: experiência docente. In: Revista Geografia Ensino & pesquisa. 2013. V.17 n2. Disponível em:

< https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/view/10777/pdf > Acesso em: 05 fev. 2020.

FILATRO, A. Design instrucional contextualizado: educação e tecnologia. São Paulo: SENAC, 2004.

LAGES, G. DE A. et al. (2013) Mar de Bolas do Lajedo do Pai Mateus, Cabaceiras, PB Campo de matacões graníticos gigantes e registros rupestres de civilização pré-colombiana. In: Winge,M.; Schobbenhaus,C.; Souza,C.R.G.; Fernandes,A.C.S.; Berbert-Born, M.; Sallun filho, W.; Queiroz, E.T.; (Edit.) Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil. Disponível em: Acesso em: 07 fev. 2020.

LEFF, E. Complexidade, interdisciplinaridade e saber ambiental. In: Olhar de Professor, 2011. n. 14, p 309-335, 2011.

LEFF, E. Complexidade, Racionalidade de Ambiental e Diálogo de Saberes. In: Educação & Realidade. México, p. 17-24, 2004.

LUQUET, G. H. Le dessin enfantin. Suíça: Delachaux & Niestlé, 1984.

LITTLE, A. Learning and teaching in multigrade settings: paper prepared for the UNESCO 2005 EFA Monitoring Report. 2005. Disponível em:

. Acesso em: 05 fev. 2020.

LYNCH, K. The image of the city. Cambridge: MIT Press, 1960.

OLIVEIRA, A.; STADLER, P. C. Videoaulas: Uma forma contextualizar a teoria na prática. Curitiba-PR, 2014. Disponível em: . Acesso em: 05 fev. 2020.

PARAÍBA. Decreto nº 25.083, de 08 de junho de 2004. Dispõe sobre a criação da Área de Proteção Ambiental do Cariri. João Pessoa, 2003. Disponível em: . Acesso em 19 de jun. 2019.

PARENTE, C. da M. D. Escolas Multisseriadas: a experiência internacional e reflexões para o caso brasileiro. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v.22, n. 82, p. 57-88, jan./mar. 2014. Disponível em:

Acesso em: 05 fev. 2020.

PONTUSCHKA, N. N.; PAGANELLI, T. I.; CACETE, N. H. (Orgs). Para ensinar e aprender Geografia. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2009. 383p.

RODRIGUES, G. S. S. C. Representações da paisagem do Parque Nacional da Serra da Canastra, MG: o olhar do viajante, da população local e do geógrafo. 2001. 110f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Faculdade de Geografia, Universidade do Estado de São Paulo, São Paulo, 2001.

SÁNCHEZ, L. E. Avaliação de impacto ambiental: conceitos e métodos. 2. ed. São Paulo: Oficina de Textos, 2013.

SILVA, A. A. 2011. Contribuição ao Estudos das Bentonitas do Município de Boa Vista no Estado da Paraíba. Tese de doutorado (Programa de Pós Graduação em Engenharia Metalúrgica) Universidade de São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 16 Jun. 2020.

TILBURY, D. (1995) Environmental education for sustainability: defining the new focus of environmental education in the 1990s. Environmental Education Research, v. 1, n. 2, 195- 212.

TUAN, Yi-Fu. Topofilia. DIEFEL / Difusão Editorial S. A, São Paulo, 1974.




DOI: https://doi.org/10.38187/regeo2020.v3n3id246427

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADORES E BASE DE DADOS