ORGANIZAÇÕES SOCIAIS: UM ESTUDO DE CASO SOBRE POSSIBILIDADES E LIMITAÇÕES DA GERAÇÃO DE INOVAÇÃO SOCIAL PELA OSESP

Andrea Leite Rodrigues, Nathalia Kozonoi, Fausto Augusto Marucci Arruda

Resumo


O modelo de gestão conhecido como "Organização Social" ou simplesmente "OS" nasce de uma parceria entre o Estado e uma organização sem fins lucrativos, no caso do Estado de São Paulo, com experiência prévia nos campos da saúde, cultura, promoção de direitos das pessoas portadoras de deficiência ou esportes. O modelo OS surgiu na onda da Reforma do Estado brasileiro nos anos 90 e configura, portanto, solução institucional recente que envolve a lógica de gestão dos três setores: público, privado e sem fins lucrativos. Há dois objetivos neste trabalho: (i) descrever suas características enquanto modelo organizacional provedor de serviços públicos, porém gerido na lógica da empresa privada; (ii) problematizar o modelo à luz do conceito de inovação social, ou seja, analisar sua capacidade de gerá-la. Um estudo de caso único serviu de base à discussão. Trata-se de pesquisa qualitativa, descritiva e exploratória. A OS estudada foi a Fundação OSESP, gestora da OSESP (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo) e da Sala São Paulo. O estudo recorreu a multimétodos de coleta de dados, seguida de análise de conteúdo, reduzindo a complexidade de um conjunto de textos e permitindo, não só descrições numéricas, mas também interpretação de tipos, qualidades e distinções. Como resultado, o caso estudado revelou que a adoção do modelo está associada a um alto desempenho da organização objeto de estudo, uso eficiente dos recursos, com gestão de alto nível. Porém, permanecem dúvidas que encobrem as possibilidades de geração de inovação social efetivamente. Novos estudos são sugeridos para os impasses, limitações e dilemas que foram identificados com a operacionalização do modelo das OS na esfera pública.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


..................................................................................................................................................................................................................................................................................