O SANEAMENTO DOS BANCOS ESTADUAIS MINEIROS E O DESAFIO DA EMPRESA ESTATAL MINAS GERAIS PARTICIPAÇÕES S.A. (MGI)

Ricardo Lopes de Alvarenga, Sabrina Soares da Silva, Gabriela Rezende Duarte

Resumo


O sistema bancário brasileiro passou por um momento de endividamento nas décadas de 1980 e 1990. Osbancos públicos estaduais foram os principais causadores dessa instabilidade, tornando necessárias medidaspara regulamentar o sistema bancário. Para tanto, foram implantados programas pelo Banco Central, sendo oprincipal deles o Programa de Incentivo à Redução da Presença do Estado na Atividade Bancária (PROES),que culminou, em Minas Gerais, com o processo de privatização do BEMGE e do CREDIREAL, compradosem licitações, e a extinção da MINASCAIXA, incorporada pelo Estado. Com o saneamento bancário, umaparte dos ativos e a totalidade dos passivos permaneceram com o Estado, sendo repassados à administração daMGI. Essa pesquisa, qualitativa e descritiva, teve como fontes de dados bibliografias e documentos, além daobservação participante, no período de 2009 a 2011. Verificou-se que a MGI trouxe resultados consideráveispara o governo mineiro, auferindo lucros crescentes no período analisado. Quanto à administração dosativos do Estado, ficou comprovado que as receitas superaram em até 150% o valor desembolsado pelacontraprestação. Assim, tanto na gestão dos ativos recebidos em cessão dos bancos BEMGE e CREDIREALquanto na administração dos ativos do Estado, a MGI obteve bons resultados.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, L. R. Reestruturação produtiva e sistema bancário: movimento sindical bancário brasileiro nos anos 90.

Campinas, SP: (s.n.), 2001. 256 p.

BANCO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL S.A. Disponível em: . Acesso em: 11 out. 2014.

BRASIL, Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. Estabelece regras para as compras e contratações na Administração Pública.

Disponível em:

. Acesso em: 13 Mai. 2013.

DOXSEY, J. R.; DE RIZ, J.Metodologia da pesquisa científica. ESAB – Escola Superior Aberta do Brasil, 2002-2003. Apostila.

p.

GAMA NETO, R. B. Plano real, privatização dos bancos estaduais e reeleição. Disponível em:

php?pid=S0102-69092011000300012&script=sci_arttext>Acesso em: 10 mai. 2013.

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. Métodos de Pesquisa.Coordenado pela Universidade Aberta do Brasil – UAB/UFRGS e

pelo Curso deGraduação Tecnológica – Planejamento e Gestão para o Desenvolvimento Rural da SEAD/UFRGS. – Porto Alegre:

Editora da UFRGS, 2009. 120 p.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1991.159 p.

GOLDENBERG, M. A arte de pesquisar. 8. ed. Rio de Janeiro: Record, 2004.111 p.

LUZ, I.; VIDEIRA, S. L. A Privatização dos Bancos Estaduais no Brasil. Disponível em:

area01/1078_Luz_Ivoir_da.pdf>. Acesso em: 12 mai. 2013.

MINAS GERAIS, Lei nº 13.439, de 30 de dezembro de 1999.Autoriza o executivo a alienar os ativos decorrentes

das carteiras bancárias. Disponível em:

html?tipo=LEI&num=13439&comp=&ano=1999&texto=consolidado>. Acesso em: 13 mai. 2013.

. Decreto nº 39.835, de 24 de agosto de 1998.Extingue a autarquia Caixa Econômica do Estado de Minas Gerais e dá outras

providências. Disponível em:

. Acesso em:

mai. 2013.

. Lei Delegada nº 179, de 1 de janeiro de 2011. Dispõe sobre a organização básica e a estrutura da administração pública do poder

executivo do estado. Disponível em:

. Acesso em: 13

mai. 2013.

Constituição do Estado de Minas Gerais.Dispõe sobre a organização do estado. Disponível em:

< h t t p : / / w w w . a l m g . g o v . b r / c o n s u l t e / l e g i s l a c a o / c o m p l e t a / c o m p l e t a - n o v a - m i n .

html?tipo=CON&num=1989&comp=&ano=1989&texto=consolidado>. Acesso em: 13 mai. 2013.

MINAS GERAIS PARTICIPAÇÕES S.A. Debêntures: Formulário de Referência. Disponível em:

files/debentures/FR-MGI.pdf>Acesso em: 13 mai. 2013.

SALVIANO JUNIOR, C. Bancos Estaduais: dos problemas crônicos ao PROES. In: Banco Central do Brasil. Brasília, 2004.

Disponível em: . Acesso em: 12 mai. 2013.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: apesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987. p.

.

TRIGUEIRO, F. M. C.; MARQUES, N. A.Teorias da Administração I. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/

UFSC; (Brasília): CAPES: UAB, 2009. 170 p.

WERLANG, S. R. C.; FRAGA NETO, A.Os bancos estaduais e o descontrole fiscal: alguns aspectos. Revista Brasileira de

Economia, Rio de Janeiro, v. 49, n. (2), abr./jun. 1995, p. 265-275.

ZANELLA, L. C. H. Metodologia de estudo e de pesquisa em administração. Florianópolis: Departamento de Ciências da

Administração / UFSC; [Brasília]: CAPES: UAB, 2009. 162 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO: B4; CIÊNCIAS AMBIENTAIS: B5; COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO: B5; ECONOMIA: B5; INTERDISCIPLINAR: B5; SOCIOLOGIA: B4. 

 

Publicação e Apoio:

 

 

RGP está indexada em:

 

Instituições de referência para a RGP: