A CIDADE IDEAL: O PATRIMÔNIO CULTURAL NOS PLANOS DIRETORES DOS MUNICÍPIOS DE CRATO E JUAZEIRO DO NORTE – CEARÁ

Polliana de Luna Nunes Barreto, Barbara Almeida Oliveira

Resumo


A Política Urbana a partir do pleno desenvolvimento das funções sociais da cidade traz como uma de suas diretrizes a “proteção, preservação e recuperação do meio ambiente natural e construído, do patrimônio cultural, histórico, artístico, paisagístico e arqueológico” (BRASIL, 1988), dimensão determinante na organização da cidade. Diante do exposto, através de uma abordagem qualitativa, apoiada no método da pesquisa documental buscamos compreender as relações entre o planejamento urbano e o patrimônio cultural. Para tanto, utilizamos como fontes o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) de dois municípios da Região Metropolitana do Cariri cearense. A escolha desses territórios se sustenta pela proximidade de seus territórios, compreendida tanto pela circulação de capital humano como econômico,   pela sua vinculação sócio-histórica, e pela inserção na política de descentralização do planejamento urbano empreendida pelo governo estadual na década de 1990. Observamos como principal achado a desatualização dos Planos Diretores, uma vez que a legislação prevê a revisão desses instrumentos, pelo menos, em um prazo de dez anos, e os ambos encontram-se sem revisão já a mais de uma década. Tal desatualização que permite inferir sobre os desafios a serem enfrentados na constituição de territórios alicerçados na perspectiva da diversidade, do exercício da cidadania e nas representações através do Patrimônio Cultural.


Palavras-chave


Patrimônio Cultural. Planejamento Urbano. Gestão Pública.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, Umbelino Peregrino de. Patrimônio Cultural: uma construção da cidadania. Educação Patrimonial reflexões e práticas. João Pessoa: Superintendência do IPHAN na Paraíba, 2012.

BRASIL. República Federativa do Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil: texto promulgado em de 5 de outubro de 1988. Disponível em: ..Acesso em fev. de 2020.

BRASIL. Decreto-lei nº 25, de 30 de novembro de 1937. Organiza a proteção do patrimônio histórico e artístico nacional. Rio de Janeiro, RJ: Presidência da República, 1937. Disponível em: . Acesso em fev. de 2020.

BRASIL. Decreto nº 3.551, de 2 de outubro de 2000. Institui o registro de bens culturais de natureza imaterial que constituem patrimônio cultural brasileiro, cria o Programa Nacional do Patrimônio Imaterial e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em jan. de 2020

BRASIL. LEI No 10.257, DE 10 DE JULHO DE 2001. Estatuto da Cidade. Brasília, 2001. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/Ccivil_03/leis/LEIS_2001/L10257.htm>. Acesso em jan. de 2020.

CANCLINI, Nestor Garcia. A socialização da arte: Teoria e prática na América Latina. São Paulo, Editora Cultrix, 1980. O patrimônio cultural e a construção imaginária do nacional. Cidade: Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, n. 23. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, MEC, 1994.

__________, Nestor Garcia. Culturas Híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. 4ª edição. São Paulo: Editora: EDUSP, 2013.

CASCO, Ana Carmem Amorim Jará; AMORIM, Ana Carmen. Reinventando a cidade: um diálogo entre Marco Polo e o Imperador. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 2001, 29: 83-101.

CASTRIOTA, Leonardo Barci. Intervenções sobre o patrimônio urbano: modelos e perspectivas. Fórum Patrimônio: ambiente construído e patrimônio sustentável, 2013, 1.1.

CAVALCANTI, L. O cidadão moderno. In: Cidadania: Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, n. 24. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, MEC, 1996, p. 112.

CEARÁ. Lei nº 2.279, de 20 de abril de 2005. Dispõe sobre o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano, PDDU de Crato e dá outras providências. Prefeitura municipal, Crato, CE, 2000. Disponível em: . Acesso em: jan. de 2020.

CEARÁ. Decreto-lei n° 2.572, de 08 de setembro de 2000. Dispõe sobre o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano, PDDU de Juazeiro do Norte e dá outras providências. Prefeitura municipal, Juazeiro do Norte, CE, 08 de setembro de 2000. Disponível em: . Acesso em: jan. de 2020.

CEARÁ. DECRETO N° 459, DE 27 DE MAIO DE 2019. Institui o Tombamento Provisório de diversos bens localizados no Município de Juazeiro do Norte/CE. Disponível em: . Acesso em: jan. de 2020.

CHOAY, Françoise. A alegoria do patrimônio. Unesp, 2011.

COSTA, Everaldo Batista da. Patrimônio e território urbano em cartas patrimoniais do século XX. Finisterra-Revista Portuguesa de Geografia, n. 93, p. 5-28, 2012.

DIÁRIO DO NORDESTE. Após demolição de casarão, em Juazeiro do Norte, proprietário será multado em quase R$ 120 mil. Disponível em . Acesso em: jan. de 2020.

DIÁRIO DO NORDESTE. Reconstrução da fachada do casarão de Juvêncio Santana não segue a arquitetura original. Disponível em

FONSECA, Maria Cecília Londres. O patrimônio cultural na formação das novas gerações: algumas considerações. Educação patrimonial: reflexões e práticas. João Pessoa: Superintendência do Iphan na Paraíba, 2012, 14-21.

_________, Maria Cecília Londres. Para além da pedra e cal: por uma concepção ampla de patrimônio cultural.In: Memória e Patrimônio: Ensaios Contemporâneos. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

FUNARI, Pedro Paulo; PELEGRINI, Sandra. Patrimônio histórico e cultural. Zahar, 2006.

GIL, Antônio Carlos. Como classificar as pesquisas. In: Como elaborar projetos de pesquisa, v. 4, p. 44-45, 2002.

GODOY, Arilda Schmidt. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de empresas, v. 35, n. 3, p. 20-29, 1995.

JUAZEIRO DO NORTE. Decreto n° 459, de 27 de Maio De 2019. Institui o Tombamento Provisório de diversos bens localizados no Município de Juazeiro do Norte/CE. Prefeitura municipal, Juazeiro do Norte, CE, 08 de setembro de 2000. Disponível em: . Acesso em: jan. de 2020.

LENCIONE, Sandra. Observações sobre o conceito de cidade e urbano. GEOUSP: Espaço e Tempo, n. 24, p. 109-123, 2008.

MINAYO, Maria Cecília DE Souza; DESLANDES, Suely Ferreira; GOMES, Romeu. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Editora Vozes Limitada, 2011.]

NASCIMENTO, José Clewton do. (Re) descobriram o Ceará? Representações dos sítios históricos de Icó e Sobral: entre areal e patrimônio nacional. SciELO-EDUFBA, 2011.

PELEGRINI, Sandra de Cássia Araújo. A gestão do patrimônio imaterial brasileiro na contemporaneidade. História (São Paulo), 2008, 27.2: 145-173.

___________, Sandra de Cássia Araújo. O patrimônio cultural e a materialização das memórias individuais e coletivas. Patrimônio e Memória, 2007a, 3.1: 87-100.

PELEGRINI, Sandra de Cássia Araújo. O patrimônio cultural no discurso e na lei: trajetórias do debate sobre a preservação no Brasil. Patrimônio e Memória, 2007b, 2.2: 54-77.

__________, Sandra; FUNARI, Pedro Paulo. O que é patrimônio cultural imaterial. Brasiliense, 2017.

ROLNIK, Raquel et al. Plano Diretor Participativo: guia para elaboração pelos municípios e cidadãos. 2004.

SANTOS, Carlos Nelson Ferreira dos. Preservar não é tombar, renovar não é pôr tudo abaixo. Revista Projeto, 1986, 86: 59-63.

________, Cecilia Rodrigues dos. Novas fronteiras e novos pactos para o patrimônio cultural. São Paulo em perspectiva, 15.2: 43-48, 2001

SANTOS JUNIOR, Orlando Alves dos; MONTANDON, Daniel Todtmann. Os Planos Diretores Municipais pós-Estatuto da Cidade: balanço crítico e perspectivas. 2011.

STARLING, Mônica Barros de Lima . Entre a lógica de mercado e a cidadania: os modelos de gestão do patrimônio cultural. Políticas Culturais em Revista, 2012, 5.1: 91-108.

UNESCO. Convenção para a Protecção do Património Mundial, Cultural e Natural. 1972. Disponível em: < https://whc.unesco.org/archive/convention-pt.pdf>. Acesso em fev. de 2020.

UNESCO. Gestão do Patrimônio Mundial cultural - Manual de referência do patrimônio mundial. Brasília : UNESCO Brasil, 2016.

VECCHIATTI, Karin. Três fases rumo ao desenvolvimento sustentável: do reducionismo à valorização da cultura. São Paulo em Perspectiva, 2004, 18.3: 90-95.

ZANCHETTI, Silvio Mendes. Conservação integrada e planejamento urbano: uma revisão. Cadernos de Estudos Sociais, 2003, 19.1.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO: B4; CIÊNCIAS AMBIENTAIS: B5; COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO: B5; ECONOMIA: B5; INTERDISCIPLINAR: B5; SOCIOLOGIA: B4. 

 

Publicação e Apoio:

 

 

RGP está indexada em:

 

Instituições de referência para a RGP: