MERCADO DE TRABALHO, CAPITAL ERÓTICO E A TENSÃO EROS E THANATOS NA ATUALIDADE

Liliane Aparecida da Silva Santos, Denílson Bezerra Marques

Resumo


Na sociedade atual, o capitalismo atinge o seu auge de dominação e observa-se o poder reinante das organizações sobre os indivíduos, os quais precisam adaptar-se a regras e regimes estabelecidos. Herbert Marcuse, filósofo da escola de Frankfurt, analisa a teoria das pulsões freudianas (Eros e Thanatos, pulsões de vida e morte, respectivamente) e afirma que a historia do homem é permeada pela repressão ou recalcamento, pois a cultura coage o sujeito na sua existência social e estrutura instintiva. Esse artigo propõe uma análise crítica, através de uma perspectiva dialética, sobre o conceito de repressão na sociedade e no ambiente de trabalho das organizações contemporâneas. Será analisado o conceito de Capital Erótico, criado pela socióloga Catherine Hakim, que se vincula a aspectos como beleza e o papel que essa característica desempenha na sociedade. As pulsões freudianas são usadas pelos indivíduos visando equalizar o sentimento de frustração e a busca por um ideal estético. Observou-se que há indivíduos que conseguem encontrar felicidade ao produzir sofrimento no próprio corpo, uma clara sobreposição das pulsões. Com o enfoque dado ao Capital Erótico e a autoestima concluiu-se que conviver com um espectro de um ideal estético, possivelmente inatingível, configura-se uma tensão entre Eros e Thanatos. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E TURISMO: B4; CIÊNCIAS AMBIENTAIS: B5; COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO: B5; ECONOMIA: B5; INTERDISCIPLINAR: B5; SOCIOLOGIA: B4. 

 

Publicação e Apoio:

 

 

RGP está indexada em:

 

Instituições de referência para a RGP: