A história da pesquisa no curso de pedagogia: Indícios, Proposições e Exigências Legais

Ana Maria Pereira Aires, Maria de Fátima Garcia

Resumo


A partir de um recorte histórico, este ensaio discute o elemento pesquisa nos cursos de Pedagogia, desde a sua gênese, em 1939, até a promulgação das Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Pedagogia, em 2006. É um ensaio produzido por meio da apreciação bibliográfica e documental, tendo a metodologia compreensiva (KAUFMANN, 2013) como suporte para o entendimento dos discursos, os quais abrigam sentidos diversos. A universidade brasileira nasceu na década de 1930, com vocação e natureza para a prática da cultura geral, da investigação científica e da formação profissional (DECRETO n. 19.851/1931). A Faculdade Nacional de Filosofia, lugar de origem do curso de Pedagogia, também apresentou essa vocação (DECRETO-LEI n. 1.190/1931), mas não incluiu a pesquisa no currículo do curso. Essa contradição provocou um ruído histórico, tanto que, em 1962, a pesquisa surge como disciplina optativa no curso de Pedagogia (PARECER n. 251/1962), sofrendo interrupção seis anos depois, com a implantação da ditadura militar. Essa interrupção, também se fez ruidosa até os anos de 1980, quando ressurgiram, por força da abertura política e dos movimentos de educadores, as reflexões e embates sobre a formação docente. Os educadores, através da ANFOPE, materializaram novas proposições formativas e conferiram à pesquisa, juntamente com a docência e a gestão, a condição de princípio formativo e identidade do curso. A pesquisa se concretizou legalmente com as DCN-CP (RESOLUÇÃO n. 01/2006). Pesquisa. Universidade. Curso de Pedagogia.





Texto completo:

PDF

Referências


AIRES, Ana Maria Pereira. Política de formação inicial para professores do ensino fundamental: um estudo sobre o currículo do curso de pedagogia da UERN. 2001. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Centro de Educação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2001. ______. O processo de invenção de si: um estudo sobre a construção identitária de pedagogas em formação. 2009. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2009. ANDRÉ, Marli; AFONSO, Elisa Damazo. O papel mediador da pesquisa no ensino da didática. In: ANDRÉ, M. E.; OLIVEIRA, M. R. (Org.). Alternativas no ensino da didática. Campinas: Papirus, 1997. APPLE, Michael. Educação e poder. Porto Alegre: Artmed, 1989. ASSOCIAÇÃO NACIONAL PELA FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO – ANFOPE. Documento Final do X Encontro Nacional, Brasília, 2000. Anais eletrônicos... Disponível em: . ______. Documento Final do XIII Encontro Nacional. Campinas, 2006. BRASIL. Decreto n. 19.851, de 11 de abril de 1931. Dispõe sobre o ensino superior no Brasil. Rio de Janeiro, 1931. ______. Decreto-Lei n. 1.190 de 4 de abril de 1939. Dá organização à Faculdade Nacional de Filosofia. Rio de Janeiro, 1939. _____. Lei n. 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília-DF, 1961. ______. Parecer CNE/CP n. 251/1962. Dispõe sobre o currículo mínimo e duração do Curso de Pedagogia. Brasília, 1962. ______. Lei n. 5.540, de 28 de novembro de1968. Fixou as normas de organização e funcionamento do ensino superior. Brasília, 1968. ______. Parecer n. 252/1969. Estudos pedagógicos superiores. Mínimos de conteúdos e duração para o curso de graduação em Pedagogia. Brasília, 1969. ______. Resolução n. 02/69 de 12 de maio de 1969. Fixa os mínimos de conteúdo e duração do curso de Pedagogia. Brasília, 1969. ______. Parecer CNE/CP n. 05/2005. Diretrizes curriculares nacionais para o curso de Pedagogia. Brasília, dez. 2005. ______. Resolução/CNE/CP n. 01/2006. Diretrizes curriculares nacionais para o curso de Pedagogia. Maio de 2006. ______. BRZEZINSKI, Iria. (Org.). Formação de professores: um desafio. Goiânia: UCG, 1996. _______________ Pedagogia, pedagogos e formação de professores: busca e movimento. Campinas: Papirus, 2000. CHAVES, Eduardo. O Curso de Pedagogia: um breve histórico e um resumo da situação atual. Caderno do CEDES. São Paulo, ano I, n. 02, p.47-69, 1980. CURY, Carlos R. Educação e contradição. São Paulo: Cortez, 1979. DEMO, Pedro. Pesquisa: princípios científico e educativo. São Paulo: Cortez, 1991. ELIAS, Nobert. Envolvimento e alienação. Tradução de Álvaro de Sá. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998. FÁVERO, Maria de Lourdes. A Faculdade Nacional de Filosofia: origens, construção e extinção. Série - Estudos Periódicos do Mestrado em Educação da UCDB, Campo Grande, n. 16, p. 110-131, jul.-dez. 2003. FAZENDA, Ivani. Novos enfoques da pesquisa educacional. São Paulo: Cortez, 1992. FERREIRA JUNIOR, Amarilio; BITTAR, Marisa. Educação e ideologia tecnocrática na ditadura militar. Caderno CEDES, Campinas, v. 28, n. 76, set./dez. 2008. FRANCO, Maria A. Pedagogia como ciência da educação. Campinas: Papirus, 2003. ______. Pedagogia e prática docente. São Paulo: Cortez, 2012. FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996. ______. Pedagogia da esperança: um encontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992. ______. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981. FREITAG, Bárbara. Escola, Estado & Sociedade. 4. ed. rev. São Paulo: Moraes, 1980. FREITAS, Luis Carlos. Crítica da Organização do Trabalho Pedagógico e da Didática. Campinas: Papirus, 1995. GADOTTI, Moaci. Concepção Dialética da Educação: um estudo introdutório. São Paulo: Cortez, 1985. GIROUX, Henry A. Os Professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia da aprendizagem. Tradução de Daniel Bueno. Porto Alegre: Artmed, 1997. KAUFMANN, Jean Claude. A entrevista compreensiva: um guia para pesquisa de campo. Petrópolis: Vozes; Maceió: Edufal, 2013. LAMPERT, Ernâni. O ensino com pesquisa: realidade, desafios e perspectivas na universidade brasileira. Linhas Críticas, Brasília, v. 14, n. 26, p. 131-150, jan./jun. 2008. Disponível: LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e Pedagogos para quê? São Paulo: Cortez, 1998. LÜDKE, Menga. Combinando pesquisa e prática no trabalho e na formação de professores. Ande, São Paulo, ano 12, n. 19, p. 31-37, 1993. ______. O professor e a pesquisa. Campinas: Papirus, 2001 MACEDO, Lucinalva da Silva. As políticas de formação de professores para o ensino fundamental: legitimidade e resistência. 2001. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Centro de Educação, UFP, Recife, 2001. MELLO, Guiomar Namo. Magistério de 1° grau: da competência técnica ao compromisso político. São Paulo: Cortez, 1982. MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 4. ed. Petrópolis: Vozes,1995. ______. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 5. ed. São Paulo; Rio de Janeiro: HUCITEC-ABRASCO, 1998. PÉREZ GÓMEZ, A. I. O pensamento prático do professor: a formação do professor como profissional reflexivo. In: NÓVOA, A. (Org.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992 PIMENTA, S. Garrido et al. Pedagogia, ciência da educação? São Paulo: Cortez, 1998. ______. Pesquisa-ação crítico-colaborativa: construindo seu significado a partir de experiências com a formação docente. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, set./dez. 2005. ROMANELLI, O. de Oliveira. História da educação no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1986. SACRISTÁN, J. Gimeno. O Currículo: uma reflexão sobre a prática. Tradução de Ernani F. da F. Rosa. Porto Alegre: Artmed, 1998. SANTOS, Boaventura de Souza. Renovar a teoria crítica e reinventar a emancipação social. Tradução de Mouzar Benedito. São Paulo: Boitempo, 2007. SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. São Paulo: Cortez, 1983. SCHEIBE, Leda; DURLI, Zenilde. Curso de Pedagogia no Brasil: olhando o passado, compreendendo o presente. ano 14, n. 17, p. 79-109, jul. 2011. Disponível em: < http://www.uemg.br/openjournal/index.php/educacaoemfoco/article/viewFile/104/139 > SILVA, C. Silvia. Curso de Pedagogia no Brasil: História e identidade. Campinas: 1999. SILVA, Janssen Felipe. Políticas de formação de professores: aproximações e distanciamentos políticos e epistemológicos. 2001. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Centro de Educação, UFPE, Recife, 2001. ______. Modelos de formação de pedagogos(as) – professores(as) e políticas de avaliação da educação superior: limites e possibilidades no chão das IES. 2007. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Centro de Educação, UFPE, Recife, 2007. ZEICHNER, K. M. Para além da divisão entre professor-pesquisador e pesquisador acadêmico. In: GERALDI, C.; FIORENTINI, D.; PEREIRA, E. (Org.). Cartografias do trabalho docente. Campinas: Mercado das Letras,2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Interritórios - ISSN: 2525-7668

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.