À EROSÃO PLUVIAL EM CARUARU – PE, BRASIL

Manoel Vieira França, Juan Xavier Ferraz, Raimundo Mainar de Medeiros, Romildo Morant Holanda

Abstract


No Brasil e em especial no município de Caruaru, a erosão causa a perda de produtividade agrícola com a redução da área, o assoreamento e a contaminação dos corpos d´água por fertilizantes e agrotóxicos nos recursos hídricos e a perda da sua biodiversidade. Para estimar o índice de erosividade pluvial, utilizou-se da metodologia proposta por  Wischmeier e Smith, Lombardi Neto. O fator R permite avaliar o potencial erosivo das chuvas de determinado local. Objetiva-se a estudar a variabilidade da precipitação e do índice de erosividade da chuva mensal e anual com base na equação universal de perda do solo, sua probabilidade e seu tempo de retorno, fornecendo informações relevantes ao setor agropecuário para realizações de planejamentos com melhores fontes de segurança visando a instalação de projetos e sua produção sustentável, além da possibilidade de fechamento de áreas degradadas transformando-as em sistemas de capitação de água de chuva em barroquinhas para manutenção da água do solo. Os usos do solo aceleraram os processos erosivos e, devido a isto, há predomínio da morfogênese em detrimento da pedogênese as quais necessitam de readequação do uso do solo. Essa readequação pode ocorrer tanto pela modificação do uso, quanto através de práticas de mecânicas de conservação do solo. O principal agente erosivo no município de Caruaru é o uso do solo sua ocupação e práticas conservacionistas, pois as classes de agricultura com solo exposto que predominam a área de estudo, são utilizadas sem muitas técnicas.


Keywords


Conservação de fragilidade do solo; Redução da área agrícola; Perde da produtividade

References


ALVARES, C.A.; STAPE, J.L.; SENTELHAS, P.C.; GONÇALVES, J.L.M.; SPAROVEK, G. Köppen's climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift 22, 711–728. 2014.

ANDRADE, A.G.; FREITAS, P.L.; LANDERS, J. Aspectos Gerais Sobre o Manejo e Conservação do Solo e da Água e as Mudanças Ambientais, in: Prado, R.B., Turetta, A.P.D., Andrade, A.G. (Org.), Manejo e Conservação do Solo e da Água no Contexto das Mudanças Ambientais. EMBRAPA Solos, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Rio de Janeiro, pp. 25-40. 2010.

APAC. Agencia Pernambucana de água e clima. 2017.

AQUINO, R.; SILVA, M.L.N.; FREITAS, D.A.F.; CURI, N.; MELLO, C.R.; AVANZI, J.C. Spatial variability of the rainfall erosivity in southern region of Minas Gerais state, Brazil. Ciência e Agrotecnologia 36, 533-542. 2012.

BARBOSA, G. S.; IOST, C.; SCHIESSL, M. A.; MACIEL, G, F. Estimativa da erosividade da chuva (R) na Bacia Hidrográfica do rio Manoel Alves Grande localizado no cerrado tocantinense. In: Congresso brasileiro de meteorologia, 16. Belém. 2000.

BAZZANO, M.G.P.; ELTZ, F.L.F.; CASSOL, E.A. Erosividade, coeficiente de chuva, padrões e período de retorno das chuvas de Quaraí, RS. R. Bras. Ci. Solo. v. 31, p. 1205-1217, 2007.

BERTONI, J.; LOMBARDI NETO, F. Conservação do solo. São Paulo: Ícone; 1999.

BERTONI, J.; LOMBARDI NETO, F. Conservação do Solo, 6 ed. Ícone, São Paulo. 2008.

BERTONI, J. LOMBARDI NETO, F. Conservação do solo. 2. E. São Paulo: Ícone, 2012. 355p.

COLODRO, G.; CARVALHO, M.P.; ROQUE, C.G.; PRADO, R.M. Erosividade da Chuva: Distribuição e correlação com a precipitação pluviométrica de Teodoro Sampaio (SP). Revista Bras. Ci. Solo. v. 26, p. 809-818, 2002.

CARAM, R.O. Reconstrução de séries e análise geoestatística da precipitação no Estado de Minas Gerais. Dissertação (Magister Scientiae) – Universidade Federal de Viçosa, 2007.

CARVALHO, D.F.; CRUZ, E.S.; PINTO, M.F.; SILVA, L.D.B.; GUERRA, J.G.M. Características da chuva e perdas por erosão sob diferentes práticas de manejo do solo. Revista. Bras. Eng. Agríc. Ambiental. v. 13, n. 1, p. 3-9, 2010.

CASSOL, E.A.; ELTZ, F.L.F.; MARTINS, D.; LEMOS, A.M.; LIMA, V.S.; BUENO, A.C. Erosividade, padrões hidrológicos, período de retorno e probabilidade de ocorrência das chuvas em São Borja, RS. Revista Bras. Ci. Solo. v. 32, p. 1239-1251, 2008.

CPRM. Projeto Cadastro de Fontes de Abastecimento por Água Subterrânea Diagnóstico do Município de Caruaru Estado de Pernambuco. 2005.

DIAS, A.S.; SILVA, J.R.C. A Erosividade das chuvas em Fortaleza (CE). I – distribuição, probabilidade de ocorrência e período de retorno – primeira aproximação. Revista Brasileira Ci. Solo. v. 27, p. 335-345, 2003.

FREITAS, D.A.F.; SILVA, M.L.N.; CASTRO, N.E.A.; CARDOSO, D.P.; DIAS, A.C.; CARVALHO, G.J. Modelagem da proteção do solo por plantas de cobertura no sul de Minas Gerais. Agroambiente 6, 117-123. 2012.

FUSHITA, A.T.; CAMARGO-BORTOLIN, L.H.G.; ARANTES, E.M.; MOREIRA, M. A.A.; CANÇADO, C.J.; LORANDI, R. Fragilidade ambiental associada ao risco potencial de erosão de uma área da região geoeconômica médio Mogi Guaçu superior (SP). Revista Brasileira de Cartografia 63, 609-618. 2011.

GONÇALVES, J.H.; SAMPAIO, A.R.; JESUS, J.D.A.; LEÃO, R. 2008. GEOBANK. Disponível: Acesso: ago 2015.

HICKMANN, C.; ELTZ, F.L.F.; CASSOL, E.A.; COGO, C.M. Erosividade das chuvas em Uruguaiana, RS, determinada pelo Índice EI30, com base no período de 1963 a 1991. R. Bras. Ci. Solo. v. 32, p. 825-831, 2008.

HUDSON, N. Soil Conservation. New York: Cornell Univ. Press; 1971. 391 p.

KÖPPEN, W.; GEIGER, R. Klimate der Erde. Gotha: Verlagcondicionadas. Justus Perthes. n.p. 1928.

LOMBARDI NETO, F. Rainfall erosivity – Its distribution and relationship with soil loss at Campinas, Brasil. 1977. 53f. Dissertação (Mestrado em Agronomy) - Purdue University, West Lafayette, 1977.

MANNAERTS, C.M.; GABRIELS, D. Rainfall erosivity in Cape Verde. Soil Tillage Res. v. 55, p. 207-212, 2000.

MATOS, R.M.; SILVA, P.F.; MEDEIROS, R.M.; SABOYA, L.M.F.; BORGES, V.E.; GALVAO S.T. Erosividade da chuva no período de 1973 a 2013 no município de Barbalha – CE. Revista Brasileira de Geografia Física. v.10, p.641 - 649, 2017.

MEDEIROS, R.M.; HOLANDA, R.M.; VIANA, M.A.; SILVA, V.P. Climate classification in Köppen model for the state of Pernambuco – Brazil. Revista de Geografia (Recife) V. 35, No. 3. 2018.

MEDEIROS, R.M. Planilha eletrônica para preenchimento de falhas pluviais pelo método da média ponderada pelo inverso da distância ao quadrado. 2016.

MEDEIROS, R.M.; SANTOS, D. Balanço hídrico e erosividade em função das mudanças climáticas no Estado da Paraíba. Revista Brasileira de Geografia Física V. 08. N. 03. 327-340. 2015.

MEDEIROS, R.M.; MATOS, R.M.; SILVA, P.F.; SABOYA, L.M.F. Cálculo do balanço hídrico e da erosividade para o município de Cabaceiras-PB. Enciclopédia Biosfera. , v.11, p.2894 2015.

MEDEIROS, R.M.; SANTOS, D.C.; SANTOS, D.C.; RAFAELA, R.A. Estimativa da erosividade da chuva em São João do Cariri- PB. 4° Encontro Internacional da Governança da Água Governança da Água e Mudanças Climáticas. 2014.

MENEZES, M.D.; LEITE, F.P. Avaliação e espacialização da erosividade da chuva no Vale do Rio Doce, região centro-leste de Minas Gerais. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v.34, p.1029-1039, 2011.

MOULIN, G.D. Técnicas de entropia e de geoestatística no dimensionamento de redes pluviométricas. Dissertação (Mestre em Engenharia Ambiental) – Universidade Federal do Espírito Santo, 2005.

NEEDELMAN, B.A. What are Soils?. Nature [online] 4. Disponível:.2013.

OLIVEIRA JR., R.C. Índice de erosividade das chuvas na região de Conceição do Araguaia, Pará. Belém: EMBRAPA-CPATU; 1996. (Boletim de Pesquisa, n° 165).

OLIVEIRA JR., R.; MEDINA, B. F. A erosividade das chuvas em Manaus (AM). R Bras Ci Solo, v. 14, p. 235-239, 1990.

PIRES, F.R.; SOUZA, C.M. Práticas mecânicas de conservação do solo e da água, 3 ed. Editora UFV, Viçosa. 2013.

ROSA, A.G.; SOUSA, A.M.L.; COSTA, J.A.; SOUZA, E.B. Erosividade da chuva em Rondon do Pará, PA, Brasil de 1999 a 2015 e projetada para 2035. Rev. Ambient. Água. v. 11, n. 4, p. 1006-1021, 2016.

ROSS, J.L.S. Análise empírica da fragilidade dos ambientes naturais e antropizados. Revista do Departamento de Geografia - USP 8, 63-74. 1994.

ROSS, J.L.S. Landforms and environmental planning: potentialities and fragilities. Revista do Departamento de Geografia - USP volume especial de 30 anos, 38-51. 2012.

SCHWAB, G. O.; FANGMEIER, D. D.; ELLIOT, W. J.; FREVERT, R. K. Soil and water conservation engineering. 3. ed. New York: John Wiley & Sons, 1981.

TRICART, J. Ecodinâmica, 1 ed. FIBGE/SUPREN, Rio de Janeiro. 1977.

TUCCI, C.E.M. Hidrologia: ciência e aplicação. 2. ed.; 2. reimpr. – Porto Alegre: Ed. Universidade/ UFRGS: ABRH, 2001.

WALTRICK, P.C. Erosividade de Chuvas do Paraná: atualização, influência do “El Niño” e “La Niña” e estimativa para cenários climáticos futuros. Dissertação (Mestrado em Ciência do Solo) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba (PR), 107 p. 2010.

WEILL, M.A.M.; SPAROVEK, G. Estudo da erosão na microbacia do Ceveiro (Piracicaba, SP). I – Estimativa das taxas de perda de solo e estudo de sensibilidade dos fatores do modelo EUPS. Revista Brasileira de Ciência do Solo 32, 801-814. 2008.

WISCHMEIER, W.H.; JOHNSON, C.B.; CROSS, B.V. A soil erodibility nomograph for farmaland and construction sites. Journal of Soil and Water Conservation, Ankeny, n.26, p.189-193, 1971.

WISCHMEIER, W.H.; SMITH, D.D. Rainfall energy and its relationship to soil loss. Transactions of the American Geophysical Union, Washington, v.39, n.2, p.285-291, 1958.

WISCHMEIER, W.H.; SMITH, D.D. Predicting rainfall erosion losses: a guide to conservation planning. Washington: USDA, 58p. 1978.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Copyright (c) 2019 Journal of Hyperspectral Remote Sensing

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.