Financiando a Vereança: Antes e Depois da Proibição das Doações Empresariais nas Campanhas de 2012 e 2016 no Rio De Janeiro

Philippe Guedon, José Antônio Perez Rojas Mariano de Azevedo

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo analisar as declarações de gastos financeiros, assim como
a arrecadação, das candidaturas à vereança da cidade do Rio de Janeiro, nas campanhas de 2012 e
2016. O objetivo é analisar as mudanças de peso no volume de recursos de campanha a partir de
um ponto de inflexão: a proibição das doações empresariais por parte do Superior Tribunal Federal.
Assim, metodologicamente, serão analisados os dados apresentados ao Tribunal Regional Eleitoral
sobre arrecadação e os gastos de campanha. Serão discriminados os valores oriundos de empresas
privadas (para a campanha de 2012), dos partidos políticos e das doações individuais de pessoas
físicas. Do ponto de vista teórico, parte do pressuposto de que as regras do jogo incentivam
comportamentos específicos; desta forma, a mudança da legislação sobre financiamento
transformaria a lógica de financiamento dos candidatos. Argumenta-se que os partidos políticos se
colocam como principais financiadores das campanhas eleitorais nesta nova etapa de
financiamento, uma vez que o incentivo à doação individual ainda é residual para a grande maioria
das candidaturas. Além disso, o peso dos partidos ainda é maior, visto que podem ser receptáculos
de recursos financeiros fora do período eleitoral e, assim, financiam parte considerável da
campanha de seus candidatos.

Palavras-chave


Financiamento De Campanha; Eleições; Doação De Campanha; Partidos Políticos

Texto completo:

PDF

Referências


AMES, B. The Deadlock of Democracy in Brazil. Ann Arbor, Michigan University Press, 2001

BOLOGNESI, B. Caminhos para o poder: a seleção de candidatos a Deputado Federal nas eleições

de 2010. Tese de doutorado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da

Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2013.

BRAGA, M. S. S. Organizações partidárias e seleção de candidatos no estado de São Paulo.

Opinião Pública, Campinas, v. 14, n. 2, p. 454-485, 2008.

CERVI, E.; COSTA, L. D.; CODATO, A.; PERISSINOTTO, R. Dinheiro, profissão e partido: a

vitória da eleição para deputado federal no Brasil em 2010. Revista Sociedade e Estado, v. 30, n.

, 2015.

CLAESSENS, S.; FEIJEN, E.; LAEVEN, L. Political Connections and Preferential Access to

Finance: The Role of Campaign Contributions. Journal of Financial Economics, v. 88, pp. 554-

, 2008.

FONSECA, T. N. Doações de campanha implicam em retornos contratuais futuros? Uma análise

dos valores recebidos por empresas antes e após as eleições. Revista Sociologia e Política.,

Curitiba, v. 25, n. 61, p. 31-49, mar. 2017.

HOROCHOVSKI, R. R., et al. Estruturas de poder nas redes de financiamento político nas

eleições de 2010 no Brasil. Opinião Pública, Campinas, v. 22, n. 1, p. 28-55, Apr. 2016.

KRAUSE, S.; REBELLO, M. M.; SILVA, J. G. O perfil do financiamento dos partidos brasileiros

(2006-2012): autores, objetivos, êxito e fracasso (1988-2010). Revista Brasileira de Ciência

Política, Brasília, n. 16, p. 247-272, Apr. 2015.

LAZZARINI, S.; MUSACCHIO, A.; BANDEIRA DE MELLO, R.; MARCON, R. What Do

Development Banks Do? Evidence from Brazil, 2002-2009. Harvard Business School, Working

Paper n. 12-047. University of Harvard, 2011.

LEE, D. The Electoral Advantage to Incumbency and Voters Valuation of Politicians experience:

a regression discontinuity analysis of close elections. Working Paper presented in National

Burueau of Economic Research, 2001.98 | Revista Política Hoje - Volume 28, n. 2

LEMOS, L. B.; MARCELINO, D..; PEDERIVA, J. H.Porque dinheiro importa: a dinâmica das

contribuições eleitorais para o Congresso Nacional em 2002 e 2006. Opinião Pública, v. 16, n.2,

pp. 366- 393, 2010.

LOPES, A. D. Financiamento de campanhas eleitorais e empréstimos do BNDES: lobby e

interesses privados. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Administração

da Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2016.

MAINWARING, S. Politicians, Parties, and Electoral Systems: Brazil in Comparative

Perspective. Comparative Politics, v. 24, n. 1, pp. 21-43, 1991.

MANCUSO, W. P. Empresas e financiamento de campanhas eleitorais de candidatos a deputado

federal pelo estado de São Paulo nas eleições de 2002 e 2006. In: A. DALLA COSTA; A.C.

MINELLA; D.B. GROS; J. M.; (Orgs.). Desenvolvimento e crise na América Latina: estado,

empresas e sociedade. Curitiba: Editora CRV, 2012.

MANCUSO, W. P. Investimento eleitoral no Brasil: balanço da literatura (2001-2012) e agenda

de pesquisa. Revista Sociologia e Política, v. 23, n. 54, 2015.

MANCUSO, W. P.; SPECK, B. Financiamento empresarial e desempenho eleitoral no Brasil: um

estudo das eleições para deputado federal em 2010. In: VIII Workshop Empresa, Empresários e

Sociedade. Curitiba, 2012.

MARCELINO, D. Sobre dinheiro e eleições: um estudo dos gastos de campanha para o Congresso

Nacional em 2002 e 2006. Dissertação de Mestrado apresentado ao Programa de Pós-Graduação

em Ciência Política na Universidade de Brasília, Brasília, 2010.

MAYHEW, D. Incumbency Advantage in U.S. Presidential Elections: The Historical Record.

Political Science Quarterly, v. 123, n. 2, 2008.

NICOLAU, J. Sistemas eleitorais. Rio de Janeiro, Fundação Getúlio Vargas Editora, 2004.

PERISSINOTTO, R. M.; MIRIADE, A. Caminhos para o parlamento: candidatos e eleitos nas

eleições para deputado federal em 2006. Revista Dados, Rio de Janeiro, v. 52, n. 2, p. 301-333,

99 | Revista Política Hoje - Volume 28, n. 2

RODRIGUES, L. M. Partidos, ideologia e composição social: Partidos, ideologia e composição

social. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 17, n. 48, p. 31-47, 2002.

SAACHET, T. e SPECK, B. W. Financiamento eleitoral, representação política e gênero: uma

análise das eleições de 2006. Opinião Pública, v. 18, n. 1, 2012.

SAMUELS, D. Money, Elections, and Democracy in Brazil. Latin American Politics and Society,

v. 43, n. 2, pp. 27-48, 2001.

SCHMÖKEL, F.; COLVERO, R. B. Sistema eleitoral, financiamento de campanhas e

representação política de mulheres: o caso das eleições de 2014 para a assembleia gaúcha. Revista

Mais que Amélias, v. 3, p. 25, 2016.

SOUSA, D. S. Financiamento das campanhas eleitorais no Brasil: o impacto das novas regras na

disputa pelas prefeituras das capitais em 2016. Monografia apresentada ao Programa de PósGraduação em Ciência Política da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

SPECK, B. Objetivos e estratégias do setor privado no financiamento das campanhas eleitorais:

um modelo de análise baseado em dados da campanha eleitoral no Brasil em 2010. In: Conferência

IPSA-ECPR “Whatever Happened to North-South?”. São Paulo, 2011.

SPECK, B. Game over: duas décadas de financiamento de campanhas com doações de empresas

no Brasil. Revista de Estudios Brasileños, v. 3, n. 4, 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Philippe Guedon, José Antônio Perez Rojas Mariano de Azevedo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

I S S N   0 1 0 4  –  7 0 9 4