Formas de subjetivação nas grandes cidades: modo de vida urbano em George Simmel e Louis Wirth

Sérgio Ricardo Gomes Santos Melo

Resumo


É incontestável o desenvolvimento vertiginoso do fenômeno urbano que com todo seu corolário repercute decisivamente nas formas modernas de sociabilidade. A vida urbana ascende ao mesmo tempo em que o projeto moderno ganha robustez. Modernidade e urbanidade carregam consigo um conjunto de ambiguidades, estas por sua vez, produzem um modo de vida especificamente moderno, especificamente urbano. A maneira de “Ser” na cidade implica um conjunto de disposições psíquicas em consonância com as profundas transformações estruturais inscritas na moderna vida urbana. Neste artigo irei apresentar alguns dos elementos centrais do texto simmeliano A metrópole e a vida do espírito, bem como sua influência sobre o trabalho de Louis Wirth em O urbanismo como modo de vida, ambos os ensaios representam pontos de partida fundamentais para a sociologia e antropologia urbanas.


Palavras-chave


Georg Simmel; Sociologia urbana; modo de vida urbano; teoria social; modernidade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Sérgio Ricardo Gomes dos Santos Melo Gomes Santos Melo