PRAÇA DE MERCADO E CAMPO ORGANIZACIONAL: proposta de análise político-cultural dos galpões da agricultura familiar nos mercados atacadistas

Juliana Gomes Moraes

Resumo


Este trabalho relaciona a literatura sobre as CEASAs à Sociologia dos Mercados, buscando analisar as dinâmicas sociais de mercados instalados pelo CEASA-PE, com recursos do Estado para ocupação exclusiva por agricultores familiares. Através desta relação foi possível verificar que as dinâmicas sociais de funcionamento do CEASA-PE envolvem mecanismos do tipo spot e tem como composição da sua institucionalidade a governança híbrida. Essas dinâmicas resultam de uma herança de costumes de agentes historicamente dominantes, influenciando politicamente as mudanças na sua forma organizacional. Tal verificação leva a eleger o conceito de campos organizacionais e concepção de controle para entender a cultura organizacional do CEASA-PE e de que forma essa cultura é determinada, desempenhada e ressignificada cotidianamente nas práticas locais. Concluímos que esse ponto de vista pode ser desenvolvido a partir dos estudos que integram a abordagem político-cultural da Sociologia dos Mercados (FLIGSTEIN, 1996; 2007; BOURDIEU, 2005; BECKERT; WEHINGER, 2012) e dos mercados agrícolas (GARCIA-PARPET; 2003) e da agricultura familiar (NIEDERLE, 2016).


Palavras-chave


Praças de mercados, campos, concepções de controle, CEASA

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Juliana Gomes Moraes