A Complexidade da Distribuição Espacial do Ambiente da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na Região Metropolitana do Recife (The Complexity Spatial Distribution of Environment of Emergency Unit in Recife’s Metropolitan Region)

Katielle Susane Silva, Claudio Jorge Moura de Castilho

Resumo


Historicamente a cidade do Recife concentrou em seu território unidades públicas de saúde em função da centralidade que ela exerce sobre as demais cidades da Região Metropolitana do Recife. Mas, a partir de 2010, a atual gestão do Governo de Pernambuco vem implantando, numa perspectiva desconcentradora da demanda, ação de expansão espacial das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), as quais vêm trazendo “inovações” ao campo da saúde pública, principalemente, no que tange à sua distribuição espacial. Diante desta realidade, temos como objetivo discutir a distribuição espacial dessas UPAs em relação aos assentamentos precários e à rede viária na RMR. Para tanto, foram confeccionados mapas georeferenciados no software Auto Cad 2007 a partir dos quais foi possível interpretar e discutir a localização espacial das UPAs frente as duas escalas consideradas. Assim, conclui-se que as UPAs em funcionamento estão distribuídas de modo a facilitar o acesso, principalmente, das populações pobres. A relevância deste ensaio se dá pelo esforço de pôr em discussão uma política pública de saúde que deveria garantir a universalização dos direitos de cidadania.

A B S T R A C T

Historically, Recife has concentrated public health units in its territory due to the importance of Recife on other cities in the Recife’s Metropolitan Region (RMR). But, the current management of the Government of Pernambuco has been deploying, at a perspective of distributing the demand, the action of spatial expansion of Emergency Units (UPAs), which have been bringing ";innovations"; to the public health field, mainly, with regards to their spatial distribution. In this context, we aim at discussing the spatial distribution of UPAs related to poor areas and roads in RMR. For that, georeferenced maps were made in Auto Cad 2007 software from which it was possible to interpret and discuss the spatial location of (UPAs) in two scales. Thus, it is concluded that the UPAs operating in RMR are distributed so that their access is facilitated, especially with regard to poor people. The relevance of this paper is given by discussion of de role of public health policy into the universal rights of citizenship.

 

Keywords: Emergency Units, Recife’s Metropolitan Region, Spatial Distributing.

 

 


Palavras-chave


Unidades de Pronto Atendimento; Região Metropolitana do Recife; Distribuição Espacial

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v6.3.p373-383



      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License