Comparação de Modelos de Estimativa da Radiação de Onda Curta a partir de dados MODIS/Terra (Comparision Models for estimating the Shortwave Radiation from MODIS / Terra data)

Francineide Amorim Santos, Bernardo Barbosa da Silva, Argemiro Lucena Araújo, Madson Tavares Silva, Alexandra Chaves Braga

Resumo


O objetivo do presente estudo é analisar a precisão de diferentes metodologias na estimativa da radiação de onda curta incidente a partir de dados MODIS/TERRA em diferentes ecossistemas (cerrado e cana-de-açúcar). Foram utilizados três métodos que se convencionou denominar SEBAL (S), METRIC (M) e Bisht (B). Para aplicação do método SEBAL são necessários apenas dados de temperatura do ar e para o METRIC, de temperatura do ar e umidade relativa, dados que são facilmente obtidos em estações meteorológicas. A metodologia Bisht, porém, processou-se de forma totalmente autônoma, pois a temperatura do ar, assim como a temperatura do ponto do orvalho, foram obtidas de dados MODIS. O método que demonstrou maior precisão foi Bisht, com erro relativo percentual (ERP) de 3,94% no Cerrado e de 7,6% na cana-de-açúcar, seguido do METRIC e do SEBAL. No entanto, o METRIC foi o que proporcionou melhor correlação entre observações versus estimativas para a área do cerrado (R2 = 0,897) contra R2 = 0,847 do Bisht. Já para a área de cana-de-açúcar, o Bisht apresentou melhor correlação (R2 = 0,772), enquanto a correlação obtida com o METRIC foi de 0,744.


A B S T R A C T

The objective of this study is to analyze the accuracy of different methodologies to estimate the incident shortwave radiation from MODIS / TERRA in different ecosystems (savanna and cane sugar). Were used three methods that been conventionally called SEBAL (S), METRIC (M) and Bisht (B). To apply the method SEBAL requires only data of air temperature and for the METRIC, air temperature and relative humidity, data that are easily obtained from weather station. The methodology Bisht, however, was processed in a totally autonomous because the air temperature as well as the temperature of the dew point, were obtained from MODIS data. The method Bisht demonstrated greater accuracy, with relative error percentage (REP) of 3.94% in the Cerrado and 7.6% in cane sugar, followed by METRIC and SEBAL. However, METRIC was what provided the best correlation between observations versus estimates for the area of cerrado (R2 = 0.897) against R2 = 0.847 the Bisht. Already for the area of cane sugar, Bisht showed better correlation (R2 = 0.772), whereas the correlation with the METRIC obtained was 0.744.
Key-Words: ecosystem, methodologies, accuracy, autonomous

Palavras-chave


ecossistemas, metodologias, precisão, autônoma

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v6.5.p1037-1049



      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License