Sustentabilidade Municipal: uma aplicação da Análise Envoltória de Dados em Mato Grosso do Sul (Analysis of Municipal Sustainability Level in Mato Grosso do Sul: A Study Supported by data envelopment analysis (DEA))

Raul Assef Castelao, Celso Correia de Souza, Daniel Massem Frainer, José Francisco dos Reis Neto, Michelle da Rosa

Resumo


O uso de indicadores para avaliar determinado fenômeno tem sido empregado nas mais diversas áreas do conhecimento. Mais recentemente, indicadores têm sido utilizados com o intuito de vencer o desafio quando se discute a questão ambiental, e se busca a harmonia entre o crescimento econômico e a preservação do meio ambiente. Desse modo, o uso de indicadores pode ser o instrumento mais adequado para melhorar a comunicação entre os decisores políticos e a sociedade na discussão de temas complexos sobre os quais há necessidade de um consenso. O objetivo geral deste artigo foi determinar o índice de desenvolvimento sustentável (IDS) de 78 municípios do estado do Mato Grosso do Sul (MS), com a utilização de análise envoltória de dados (DEA), que permite a análise conjunta de diversas variáveis como os indicadores de natureza econômica, social e ambiental. Estes indicadores são os parâmetros do Triple Bottom Line (TBL), que permite avaliar o nível de sustentabilidade de cada município de modo multicriterial. Na determinação dos IDS foram utilizados dados secundários de diversos órgãos públicos no MS.  Como resultado geral, pode-se identificar e hierarquizar as cidades com melhores desempenhos em cada dimensão e também quando em conjunto. Foi possível identificar que os municípios com melhores índices de desenvolvimento econômico apresentaram menor qualidade ambiental e social, e os menos desenvolvidos encontram-se mais preservados. De modo semelhante, também foi analisado o desenvolvimento sustentável nas mesorregiões no estado do MS, com a mesorregião leste apresentando o melhor índice de desenvolvimento sustentável. 



 

The use of indicators to evaluate a given phenomenon has been used in several areas of knowledge. More recently, indicators have been used to overcome the challenge when discussing the environmental issue, and seek harmony between economic growth and preservation of the environment. In this way, indicators can be the most appropriate instrument for improving communication between policy makers and society in discussing complex issues on which consensus is needed. The general objective of this article was to determine the sustainable development index (IDS) of 78 municipalities in the state of Mato Grosso do Sul (MS), using data envelopment analysis (DEA), which allows the joint analysis of several variables as Indicators of economic, social and environmental nature. These indicators are the parameters of the Triple Bottom Line (TBL), which allows assessing the level of sustainability of each municipality in a multi-criteria way. In the determination of IDS, secondary data from several public agencies in the MS were used. As a general result, one can identify and rank cities with better performance in each dimension and also when together. It was possible to identify that the municipalities with the best economic development indices presented lower environmental and social quality, and the less developed ones are more preserved. Similarly, sustainable development was also analyzed in mesoregions in the MS state, with the eastern mesoregion presenting the best index of sustainable development.

 

Keywords: environment, sustainable development, local indicators, Mato Grosso do Sul.

 

 



Palavras-chave


Meio ambiente, Desenvolvimento sustentável, Indicadores municipais, Mato Grosso do Sul.

Texto completo:

PDF

Referências


Bossel, Hartmut, 1999. Indicators for Sustainable Development: Theory, Method, Applications. International Institute for Sustainable Development, Canada.

Charnes, A. et al., 1994. Data Envelopment Analysis: theory, methodology and applications. Kluwer Academic Publishers, USA.

Demetrio, F.J.C., Giannetti, B.F., Almeida, C.M.V.B., 2009. Estudo Comparativo entre a Sustentabilidade e o Índice de Desenvolvimento Humano. In: international workshop advances in cleaner production, 05, 2009, São Paulo. Anais...São Paulo: UNIP, p. 1 - 10.

Farrell, M.J., 1957. The measurement of productive efficiency. Journal of the Royal Statistical Society 120, 253-278.

Hardi, P., Barg, S., Hodge, T. Pinter, L., 1997. Measuring sustainable development: review of current practice. Research Publications Program. Canada: International Institute for Sustainable Development, 49-51.

IBGE, Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística, 1990. Divisão regional do Brasil. Rio de Janeiro.

IBGE, Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística, 2002. Índice de desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro.

Junior, Arlindo Philippi. Malheiros, Tadeu Fabricio, 2012. Indicadores de sustentabilidade e gestão ambiental. Manole, Barueri.

Levine, D.M., Stephan, D., Szabat, K., 2013. Estatística: teoria e aplicações. 6 ed. LTC, Rio de Janeiro.

Lima, Vinicius Misael Alves de., 2014. Índice de desenvolvimento socioeconômico dos Municípios sul-mato-grossenses. Dissertação (Mestrado). Londrina,Universidade Estadual de Londrina.

Lira, W.S., CANDIDO, G.A., 2008. Análise dos modelos de indicadores no contexto do desenvolvimento sustentável. Perspectivas Contemporâneas 3, 31-43.

Lovell, C.A.K., 1994. Linear Programming Approaches to the Measurement and Analysis of Productive Efficiency 2, 175-248.

Meadows, Donella, 1998. International Institute for Sustainable Development. Canada: International Institute for Sustainable Development.

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, 2013. Índice de Desenvolvimento Humano Municipal Brasileiro. Brasília.

Silva, E.M., Gonçalves, V., Silva, E.M. Murolo, A.C., 1995. Estatística. Atlas, São Paulo.

United Nations, 2007. Indicators of Sustainable Development: Guidelines and Methodologies. 3 ed. UN Sales Publication, New York.

Veiga, José Eli, 2012. Meio ambiente e desenvolvimento, 4 ed. Editora Senac, São Paulo.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v10.6.p1948-1958

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License