Notificações de casos de dengue em Minas Gerais e sua relação com variáveis ambientais e sócio econômicas (Dengue cases notification in Minas Gerais and its relationship with environmental and socio-economic variables)

Luiz Felipe Silva, Michelle Simões Reboita, Maria Amélia Alves

Resumo


A dengue é uma doença viral de regiões tropicais e subtropicais. Embora as condições ambientais sejam importantes para a replicação do vírus e desenvolvimento do vetor da dengue, as características socioeconômicas são variáveis que podem explicar a ocorrência da doença. O objetivo desse trabalho foi investigar a associação, pela aplicação da regressão logística, entre variáveis meteorológicas e socioeconômicas dos municípios de Minas Gerais (MG), no período de 2008 a 2012, com as notificações de dengue. Foi usado o parâmetro da Razão de Morbidade Padronizada para identificar os municípios com maior força de notificação. Em MG, o maior número de notificações de dengue ocorre no outono. Para o ano de 2010, em que houve o maior numero de notificações com alta incidência, três variáveis socioeconômicas se mostraram significativas: desigualdade na distribuição da renda (índice de GINI), como inibidor de notificação; padrão inadequado de saúde representado pelo coeficiente de mortalidade infantil e analfabetismo da população. As variáveis meteorológicas, para o período analisado, não foram significativas.




 

A B S T R A C T

 

Dengue fever is a viral disease of tropical and subtropical regions. Although environmental conditions are important for virus replication and dengue vector development, socioeconomic characteristics are variables that may explain the occurrence of the disease. The objective of this study was to investigate the association between logistic regression between meteorological and socioeconomic variables of the municipalities of Minas Gerais (MG), between 2008 and 2012, with reports of dengue. The parameter of the Standardized Morbidity Ratio was used to identify municipalities with the highest reporting strength. In MG, the highest number of reports of dengue occurs in the fall. For the year 2010, when there were the highest number of notifications with high incidence, three socioeconomic variables were significant: inequality in income distribution (GINI index), as a notification inhibitor; Inadequate standard of health represented by the coefficient of infant mortality and illiteracy of the population. The meteorological variables for the analyzed period were not significant.

 

Keywords: dengue, epidemiology, ecologic study



Palavras-chave


Dengue, Meteorologia, Estudo ecológico

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, A. A., Medronho, R. A., Valencia, L. I. O., 2009. Análise espacial da dengue e o contexto socioeconômico no município do Rio de Janeiro, RJ. Revista de Saúde Pública 43, 666-673.

Bhatt, S., Gething, P.W., Brady, O.J., Messina, J.P., Farlow, A.W., Moyes, C.L. et al., 2013. The global distribution and burden of dengue. Nature 496, 504-507.

Bernard, P.; Charafeddine, R.; Frohlich, K. L., Daniel, M., Kestens, Y., Potvin, L., 2007. Health inequalities and place: A theoretical conception of neighbourhood. Social Science Medicine 65, 1839 – 1852.

Brasil Ministério da Saúde do Brasil, Secretaria de Vigilância em Saúde, Coordenação Geral do Programa Nacional de Controle da Dengue, 2011. Balanço Dengue – Semana Epidemiológica 1 a 39 de 2011. Disponível: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_docman&view=download&alias=1415-dados-da-dengue-no-brasil-ate-a-se-39-2011-5&category_slug=dengue-964&Itemid=965. Acesso: 18 jul. 2018.

Carvalho, S., Magalhães, M. A. F. M., Medronho, R. A., 2017. Análise da distribuição espacial de casos de dengue na cidade do Rio de Janeiro, 2011 e 2012. Revista de Saúde Pública [online] 51. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v51/pt_0034-8910-rsp-S1518-87872017051006239.pdf. Acesso: 17 jul. 2018.

DATASUS. Portal da Saúde do Sistema Único da Saúde - SUS – Ministério da Saúde. Disponível em: < http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php> Acesso em: 15 agosto 2014.

Dee, D. P, Uppala, S. M, Simmons, A. J, Berrisford, P. A, P., Polia, S., Kobayashib, U. et al., 2011 The ERA-Interim reanalysis: configuration and performance of the data assimilation system. Quarterly Journal of the Royal Meteorological Society 137, 553-597.

CDC – Center of Diseases Control 2008. EPI Info TM, versão 3.5.1. Atlanta: Centers for Disease for Control and Prevention. Division of Public Health Surveillance and Informatics. Disponível: ftp://ftp.cdc.gov/pub/Software/epi_info/epiinfo351/epiinfoSetup3_5_1_0008.exe/Acesso: 02 ago. 2013.

Ferreira, A. C., Chiaravalloti Neto, F., Mondini, A., 2018. Dengue em Araraquara, estado de São Paulo: epidemiologia, clima e infestação por Aedes aegypt. Revista de Saúde Pública [online] 52. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v52/pt_0034-8910-rsp-S1518-87872018052000414.pdf. Acesso: 17 jul. 2018.

FUNASA – Fundação Nacional de Saúde. Programa Nacional de Controle da Dengue. Ministério da Saúde, Brasília, DF, 2002. Disponível: < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pncd_2002.pdf>. Acesso: 02 jul. 2015.

Gibson, G., Souza-Santos, R., San Pedro, A., Honório, N. A., Carvalho, M. S., 2014. Ocurrence of severe dengue in Rio de Janeiro: an ecological study. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical 47, 684 – 691.

Gomes, A. F., Nobre, A. A., Gruz, O. G., 2012. Análise temporal da relação entre denguee variáveis meteorológicas na cidade do Rio de Janeiro, Brasil, no período de 2001 a 2009. Cadernos de Saúde Pública 28, 2189 – 2197.

Gubler, D. J., 2011. Dengue, Urbanization and Globalization: The Unholy Trinity of the 21st Century. Tropical. Medicine and Health 39, 3 – 11.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades@, Brasil, 2010. Disponível em: Acesso em: 25 jul. 2014.

Ishitani, L. H., Franco, G. C., Perpétuo, I.H.O., França, E., 2006 Desigualdade social e mortalidade precoce por doenças cardiovasculares no Brasil. Revista de Saúde Pública 40, 684-691.

Reboita, M. S., Rodrigues, M., Silva, L. F., Alves, M. A., 2015. Aspectos Climáticos do Estado de Minas Gerais. Revista Brasileira de Climatologia 17, 206 – 226.

Resendes, A. P. C., Silveira, N. A. P. R., Sabroza, P. C., Souza-Santos, R., 2010. Determinação de áreas prioritárias para as ações de controle da dengue. Revista de Saúde Pública 44, 274 – 282.

Schneider, U., Becker, A., Meyer-Christoffer, A., Ziese, M., Rudolf, B., 2011. Global Precipitation Analysis Products of the GPCC. Global Precipitation Climatology Centre (GPCC) Deutscher Wetterdienst, Offenbach a. M., Germany, Disponível < ftp://ftp.dwd.de/pub/data/gpcc/PDF/GPCC_intro_products_v2011.pdf. Acesso: 15 Jun 2014.

SES-MG Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, Brasil, 2009. Linha Guia de Atenção à Saúde: Dengue. Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, Secretaria de Atenção à Saúde, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Disponível: https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/2121.pdf. Acesso: 18 jul. 2018.

Silva, M. S., Branco, M. R. F. C., Aquino Júnior, J., Queiroz, R. C. S., Bani, E., Moreira, E. P. B. et al., 2017. Spatial-temporal analysis of dengue deaths: identifying social vulnerabilities. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical 50, 104-109.

Silva, F. D., dos Santos, A. M., Corrêa, R. G. C. F., Caldas, A. J. M., 2016. Ciência e Saúde Coletiva 21, 641 – 646.

SINAN – Sistema de Informação de Agravos de Notificação. Ministério da Saúde. Disponível:http://dtr2004.saude.gov.br/sinanweb/. Acesso: 15 ago. 2014.

Teixeira, M.G., Costa, M.C.N., Barreto, F.R., Barreto, M.L., 2009. Dengue: vinte e cinco anos da reemergência no Brasil. Cadernos de Saúde Pública 25 (Suppl. 1), 7-18.

Teixeira, T. R. A, Medronho, R. A., 2008. Indicadores sócio-demográficos e a epidemia de dengue em 2002 no Estado do Rio de Janeiro,

Brasil. Cadernos de Saúde Pública 24, 2160 – 2170.

Volpe FM, Abrantes MM, Capanema FD, Chaves JG., 2009. The impact of changing health indicators on infant mortality rates in Brazil, 2000 and 2005. Revista Panamericana de Saúde Pública 26, 478 – 484.

WHO - World Health Organization, 2014. Dengue and severe dengue. Disponível: who.int/mediacentre/factsheets/fs117/en/. Acesso: 18 Jul. 2018.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v12.1.p226-238

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License