Características geológicas e geomorfológicas da Estação Ecológica do Rangedor, localizada na Zona Urbana da Ilha de São Luís (MA), associadas à sua disponibilidade hídrica (Geological and geomorphological characteristics of the Rangedor Ecological Station, located in the Urban Zone of the Island of São Luís (MA), associated with its water availability)

Rosângela Borges Almeida, Antonio Carlos Leal Leal Castro, Gisele Martins Cardoso de Araújo, José de Ribamar Pinheiro Júnior, Leonardo Silva Soares

Resumo


A água é um recurso natural, limitado e dotado de valor econômico. Algumas áreas apresentam maior facilidade de infiltração das águas pluviais no solo, formando as zonas de recargas de aquífero. Neste trabalho, avaliou-se a disponibilidade hídrica da Estação Ecológica do Rangedor (ESER) e seu entorno, delimitado por um raio de 1 km, através da análise dos aspectos geológico-geomorfológicos e a presença de poços e nascentes nos domicílios. Verificou-se também a sócio economia da área de entorno, enfatizando o saneamento. Para tal, foram utilizadas as ferramentas do geoprocessamento e a base de dados do censo do IBGE de 2000 e 2010. Os resultados obtidos demonstraram que as variáveis topográficas que contribuíram para a recarga de aquífero na área foram a geologia, destacando a Formação Barreiras; pedologia, especificamente, os latossolos; e a declividade plana. Registrou-se, um número expressivo de domicílios que possuem poços e nascentes em suas propriedades. Apesar da proximidade com a zona costeira, os poços tubulares analisados não apresentaram intrusão salina. Com relação ao saneamento, o entorno da Estação Ecológica do Rangedor está bem estruturado em relação a outros bairros da cidade de São Luís.

 

 

 

A B S T R A C T

Water is a natural resource, limited and with economic value. Some areas have greater ease of infiltration of rainwater into the soil, forming the aquifer recharge areas. An evaluation of water availability in the Rangedor’s Station Ecological and its surroundings, within a radius of 1 km, through the analysis of geological and geomorphological aspects and the presence of wells and headwater in the households. It was also observed the surrounding area’s socioeconomy, focusing on sanitation. To this end, we used the geoprocessing tools and the 2000 and 2010 IBGE census database. Thus, the topographical items that contributed to the aquifer recharge in the area were geology, highlighting Barreiras Formation; pedology specifically latosoils; and the flat slope. It was recorded a significant number of households that have wells and headwater on their property. Despite the proximity to the coastal zone, the wells analyzed showed no saltwater intrusion. With regard to sanitation, the surroundings of Rangedor’s Station Ecological is well structured when compared to other neighborhoods in the São Luis city.

Keywords: groundwater, aquifer, water availability, urban area.


Palavras-chave


Água subterrânea; Aquífero; Disponibilidade hídrica; Área urbana

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


Aeroconsult. 2001. Levantamento altimétrico do Município de São Luis. São Luís/MA.

Brasil, 2007. Lei n. 11.445, de 5 de janeiro. Estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico; altera as Leis nos 6.766, de 19 de dezembro de 1979, 8.036, de 11 de maio de 1990, 8.666, de 21 de junho de 1993, 8.987, de 13 de fevereiro de 1995; revoga a Lei no 6.528, de 11 de maio de 1978; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 06 jan. 2007.

Coelho, A.G.S., 2010. Para que serve a legislação ambiental: um estudo de caso da Estação Ecológica do Rangedor na cidade de São Luis- MA. In: IV Encontro Nacional da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ambiente e Sociedade, Florianópolis.

Custódio, E., Lamas, M.R., 1983. Hidrologia Subterrânea, 2. ed. Ediciones Omega, Barcelona.

Dantas, M.E., 2013. Biblioteca de relevo do território brasileiro. In: BANDEIRA, I. C. N. (Org.) Geodiversidade do Estado do Maranhão. Teresina: CPRM. 294 p.

Elabore, 2006. Plano de Manejo da Estação Ecológica do Rangedor. Secretaria de Meio Ambiente do Estado do Maranhão. São Luís.

EMBRAPA, 2006. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema brasileiro de classificação de solos, 2 ed. EMBRAPA, Rio de Janeiro.

Espindola, C.R., Daniel, L.A., 2008. Laterita e solos lateríticos no Brasil. Boletim Técnico da Faculdade de Tecnologia de São Paulo 24, 21-24.

Francisco, C.N., Carvalho, C.N., 2004. Disponibilidade hídrica - da visão global às pequenas bacias hidrográficas: o caso de Angra dos Reis, no Estado do Rio de Janeiro. Revista de Geociências 3, 13.

GERCO. Gerenciamento Costeiro do Estado do Maranhão, 1998. Macrozoneamento do Golfão Maranhense: Diagnostico Ambiental da Microrregião de Aglomeração Urbana de São Luis e dos Municípios de Alcântara, Bacabeira e Rosário – Estudo de Geologia/ Hidrogeologia/Pedologia/Cobertura Vegetal/ XXX. Secretária Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. São Luis.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2000. Censo Demográfico. Brasília.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2000. Pesquisa Nacional de Saneamento Básico - 2000. Rio de Janeiro.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2010. Censo Demográfico. Brasília.

Louckus, D.P., van Beek, E., 2005. Water resources systems planning and management: An introduction to methods models and applications. United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization, Netherlands.

Maranhão, 2002. Atlas do Maranhão. Gerência de Planejamento e Desenvolvimento Econômico, Laboratório de Geoprocessamento – UEMA. GEPLAN, São Luis.

Maranhão, 2005. Decreto nº 21.797 de 15 de dezembro. Cria a Estação Ecológica do Sítio Rangedor, com limites que especifica, e dá outras providências. Diário Oficial do Estado, poder executivo, São Luís, ano 99, n.241, 15 dez. 2005.

Neves, M.A., Pereira, S.Y., Fowler, H.G., 2007. Impactos do sistema estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos na Bacia do Rio Jundiai (SP). Ambiente & Sociedade 10, 149-160.

Pereira, E.D., 2006. Avaliação da vulnerabilidade natural à contaminação do solo e aquífero do reservatório do Batatã – São Luís (MA). Tese (Doutorado). Rio Claro, Universidade Estadual Paulista.

Pereira, E.D., Costa, Luz., 2008. Conflitos de uso na área da Estação Ecológica do Rangedor no município de São Luís (MA). In: VIII ENCONTRO HUMANISTICO, São Luís, 2008. VIII Encontro Humanístico. São Luis: Universidade Federal do Maranhão.

Prefeitura Municipal De São Luis, 2006. Lei Nº 4.669 de 11 de outubro. Plano Diretor da cidade de São Luís. Macrozoneamento ambiental. São Luís.

Prefeitura Municipal De São Luís, 2011. Plano Municipal Integrado de Saneamento Básico de São Luís. Disponível: http://www.saoluis.ma.gov.br/custom_files/File/SEMPE/Produto%20II%20%20Diagn%C33stico.pdf. Acesso: 01 Mar. 2014.

Rodrigues, T.L.N., Araujo, C.C., Camozzato, E., Ramgrab, G.E., 1994. Programa de levantamentos geológicos básicos do Brasil: São Luís, folha SA-23-2-A, Cururupu folha SA-23-X-C, escala 1: 250.000. Brasília, DF: CPRM, 1994. 185 p.

Ross, J.L.S., 1990. Geomorfologia: Ambiente e Planejamento. Contexto, São Paulo.

Serafim, E.M., Oliveira, G.C., Lima, J.M., Silva, B.M., Zeviani, W.M., Lima, V.M.P., 2013. Disponibilidade hídrica e distinção de ambientes para cultivo de cafeeiros. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 17, 362-370.

Veiga júnior, J.P., 2000. Programa Levantamentos Geológicos Básicos do Brasil. São Luís NE/SE, Folhas SA. 23-X e SA.23-Z. Estados do Maranhão e Piauí. Escala 1:500.000. Brasília: CPRM.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v11.1.p114-123

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License