Estudos Sedimentológicos das praias dos municípios de Recife e Jaboatão dos Guararapes – Pernambuco (Sedimentological studies of the beaches of the municipalities of Recife and Jaboatão dos Guararapes - Pernambuco)

Pedro Frederico Telles Tavares de Lima, Maria das Neves Gregório, Eduardo Paes Barreto, Carlos Fabrício Assunção da Silva, Valdir do Amaral Vaz Manso, Dyêgo Lins da Silva

Resumo


O presente estudo tem o objetivo de comparar, analisar e compreender a variação sedimentológica das praias de Barra de Jangada, Candeias, Piedade, Boa Viagem e Pina, depois do engordamento realizado no município do Jaboatão dos Guararapes realizado em 2013, a fim de obter dados que subsidiem uma futura gestão costeira sustentável, bem como, observar possíveis mudanças sazonais, através das comparações de trabalhos pré-existentes. Foram coletadas 33 amostras de sedimentos na maré baixa, durante a maré de sizígia, distribuídas nas regiões da face da praia e da pós-praia nos períodos seco e chuvoso, correspondentes ao mês de setembro de 2014 e de junho de 2015. As amostras foram distribuídas aproximadamente a 500 m de distância entre si. Foi utilizado o método de Suguio para o peneiramento úmido e seco. Para a análise morfoscópica foi utilizada a tabela de Powers através de uma lupa binocular. O conteúdo do CaCO3 foi realizado pelo método Loring e Rantala. Os resultados da granulometria foram analisados através dos parâmetros estatísticos: média, grau de seleção, assimetria e curtose. Obtendo-se a predominância dos valores respectivamente de areia média, moderadamente selecionada, aproximadamente simétrica, platicúrtica. Na morfoscopia nos sedimentos predominaram subanguloso, alta esfericidade e brilhante. O teor de carbonato variou entre 2,70% e 22,67%. As praias de Recife apresentaram situação similar aos estudos anteriores, com energia moderada, no município do Jaboatão dos Guararapes o acréscimo de sedimentos e o próprio aumento de volume da praia modificaram alguns resultados, comparando-os com as pesquisas anteriores principalmente o tamanho médio do grão, seleção e a assimetria, na face da praia e na região da pós-praia.

 

 

A B S T R A C T

The present study aimed to compare, analyze and understand the sedimentological variation of the beaches of the municipalities of Recife and Jaboatão dos Guararapes, in order to obtain data to support future sustainable coastal management, in order to obtain data That subsidize sustainable coastal management, as well as observe possible seasonal changes through comparisons of pre-existing works. Thirty-three sediment samples were collected during the tide of syzygy, distributed in the beach and post-beach regions during the dry and rainy periods, in September 2014 and June 2015.  The samples are distributed approximately 500 m distant from each other. The Suguio method was used for wet and dry sieving. For the morphoscopic analysis the Powers table was used through a binocular magnifying glass. The content of CaCO3 was performed by the Loring and Rantala method. From the granulometric results predominance of values the average sand, moderately selected, approximately symmetric, platicurtic, respectively. moderately selected, approximately symmetric, platicuric. The carbonate content ranged from 2.70% to 22.67%. The beaches of Recife were generally similar to previous studies, with moderate energy, in Jaboatão dos Guararapes, the increase of sediment and the increase in the volume of the beach modified some results, comparing them with previous surveys, mainly in the face of beach and post-beach.

Keywords: Sedimentology, beach fattening, coastal management.


Palavras-chave


Sedimentologia, Praia, Erosão Marinha, Granulometria, Morfoscopia, Gestão Costeira.

Texto completo:

PDF

Referências


Addad, J. E., 2001. Minerais pesados: uma ferramenta para prospecção, proveniência, paeogeografia e análise ambiental. Edição Independente. 80p.

Araújo, T. C. M.; Seoane, J. C. S.; Coutinho, P. N., 2004. Geomorfologia da Plataforma continental de Pernambuco. In: Leça E. E., Neumann-Leitão, S. e Costa M.F. (Eds.) Oceanografia – Um cenário tropical, Recife, Ed. Bagaço. 39-57p.

Araújo, M. C. B.; Souza, S. T.; Chagas, A. C. O.; Barbosa, S. C. T.; Costa, M. F., 2007. Análise da ocupação urbana das praias de Pernambuco, Brasil. Revista da Gestão Costeira Integrada, 7(2): 97-104p.

Barreto, E. P., 2014. Processos Morfodinâmicos e Sedimentológicos e Geomorfológicos na plataforma continental interna da praia de São José da Coroa Grande, litoral sul de Pernambuco, Nordeste do Brasil. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Geociências. Centro de Tecnologia e Geociências. Universidade Federal de Pernambuco (UFE), Recife, 306p.

Barreto, E. P.; Manso, V. Do V.; Gregório, M. D. N.; Da Silva, C.F.A.; Ferreira, B.; Oliveira, P. F. P., 2015. Zona costeira do estado de Pernambuco: caracterização ambiental, sedimentar, textural e composicional da praia de São José Da Coroa Grande. Recife, Revista Brasileira de Geografia Física. 1303-1320p.

Bascom, W. N., 1951. The relationship between sand-size and beach face slope. Transactions, American Geophysical Union. USA, v. 32, 866-874p.

Borba, A. L. S., 1999. Estudos sedimentológicos, morfodinâmico e da vulnerabilidade das praias da Piedade, Candeias e Barra das Jangadas- Município do Jaboatão dos Guararapes – PE. Dissertação de Mestrado em Geociências. Centro de Tecnologia e Geociências. Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, 152p.

Brandão, R. L. B., 2008. Regiões Costeiras: Geodiversidade do Brasil. Conhecer o passado para entender o presente e prever o futuro. Rio de Janeiro

BRASIL – Ministério do Meio Ambiente – acessado em 12/10/2015 http://www.mma.gov.br/gestao-territorial/gerenciamento-costeiro.

BRASIL – Comissão Interministerial para os recursos do mar – acessado em 06/02/2017 https://www.mar.mil.br/secirm/portugues/gerco.html.

Calliari, L. J.; Klein, A. H. A F., 1993.Características Morfodinâmicas e Sedimentológicas das Praias Oceânicas Entre Rio Grande e Chuí, RS. Instituto de Geocências, UF'RGS. Porto Alegre. 20 (I): 48-56p.

Calliari, L. J.; Muehe, D.; Hoefel, F. G.; Toldo Jr., E., 2003. Morfodinâmica praial: uma breve revisão. Revista brasileira de oceanografia, 51: 63-78p.

Carmo, D.A., 2006. Aplicação do Modelo de Tendências Granulométricas (Gsta) para Determinação do Padrão de Transporte de Sedimento na Baía do Espírito Santo, Vitória –Es. Monografia de conclusão de curso. Departamento de Ecologia e Recursos Naturais. Universidade Federal do Espírito Santo.

Christofoletti, A., 1980. Geomorfologia. São Paulo. Editora Blucher, 1980. 188p.

Costa, M.B.S.F., Pontes, P.M., Araújo, T.C.M., 2008a. Monitoramento da Linha de Preamar das Praias de Olinda – PE (Brasil) como Ferramenta à Gestão Costeira. Revista da Gestão Costeira Integrada, 8: 101-112p.

Costa, M.F.D.; Araújo, M.C.B.; Cavalcanti, J.S.S.; Souza, S.T.D., 2008b. Verticalização da praia de Boa Viagem (Recife, Pernambuco) e suas consequências sócio-ambientais. Revista da Gestão Costeira Integrada, 8 (2): 233-245p.

Costa, M.F.; Souza, S.T., 2002. A Zona Costeira Pernambucana e o caso especial da Praia da Boa Viagem: Usos e Conflitos. In: Yoshyia Nakagawara Ferreira. (Org.), Construção do Saber Urbano Ambiental: a caminho da transdisciplinaridade, Editora Humanidades, Londrina, PR, Brasil. v. 1, p. 1-20p.

Coutinho, P. N.; Lima, A.T. O.; Lima, A. T. O.; Queiroz, C. M.; Freire, G. S. S.; Almeida, L. E. S. B.; Maia, L. P.; Manso, V. A. V.; Borba, A. L. S.; Martins, M. H. A.; Duarte, R. X., 1997. Estudos da erosão marinha nas praias de Piedade e de Candeias e no estuário de Barras das Jangadas. Município de Jaboatão dos Guararapes – PE. Relatório Final. Recife.

Dias, J. M. A., 2004. A análise sedimentar e o conhecimento dos sistemas marinhos (Uma Introdução à Oceanografia Geológica). Universidade do Algarve Faro. 84p. Disponível em: http://w3.ualg.pt/~jdias/JAD/eb_sediment.html. Acessado em: 23/02/2015.

Dominguez, J.M.L. A., 1995. A erosão da linha de costa na região Nordeste do Brasil: Uma abordagem do problema a partir da compreensão da evolução costeira. Recife, UFPE. 71-73p.

Duane, D. B., 1964. Significance of skewness in recent sediments, Western Pamlico Sound, North Carolina. Journal of Sedimentary Petrology, 34: 864-874p.

Duarte, R. X., 1997. Caracterização do ambiente praial: morfologia, aspectos hidrodinâmicos e sedimentologia. Dissertação de Mestrado – Centro de Tecnologia e Geoiências, Universidade Federal de Pernambuco. Recife. 71p.

Duarte, R. X., 2002. Caracterização morfo-sedimentar e evolução de curto e médio prazo das praias do Pina, Boa Viagem e Piedade, Recife/Jaboatão dos Guararapes – PE. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal de Pernambuco. 141p.

EIA RIMA – Relatório de impacto ambiental-RIMA: Recuperação da Orla Marítima – Municípios de Jaboatão dos Guararapes, Recife, Olinda e Paulista (Pernambuco) Instituto de Tecnologia de Pernambuco. – Recife, 2012.

Ferrão, J.; Ramos, L.; Pinto, M. J., 2006. Planeamento e Ordenamento costeiro em Portugal”. Centro de Informação Europeia Jacques Delors Europa. Novas Fronteiras Política marítima europeia: áreas-chave nº 20. Principia. São João do Estoril. 109-116p.

Fischer, A.; Calliari, L. J., 2006. Proposta para recuperação das áreas afetadas por erosão na praia estuarina do Barro Duro – Laguna dos Patos/RS. Acesso em 07 de Janeiro de 2017 em: http://www.semengo.furg.br/2006/37.pdf

Folk, R. L.; Ward, W. C., 1957. Brazos river bar: a study in the significance of grai-size parameters. Journal of sedimentary research, London, n. 27(1), 3–26p.

Folk, R. L. Petrology of Sedimentary Rocks. Hemphill Publishing Company. 1968. Austin, Texas – USA. 170p.

Friedman G. M.; Sanders J. E., 1978. Principles of Sedimentology. - Wiley – New York. 792p.

Gentile, D.C.; Goya, S.C., 2011. Análise Morfodinâmica da Praia do Tombo. Guarujá, SP.

Gois, L. A.; Oliveira, N. M. G. A.; Manso, V. A. V., 2013. Processos erosivos costeiros da praia de Boa Viagem. Mercator, Fortaleza, v. 12, n. 27, 111-133p.

Gornitz, V., 1992. Mean sea level changes in the recent past. In Climate and Sea Level Change: Observations, Projectior (R. A. Warrick, E. M: Barroow, and T.M. l: Wigley, Eds.). Cambrige University Press. Oxford.

Gregório, M.D.N., 2004. Sedimentologia e morfologia das praias do Pina e da Boa Viagem, Recife (PE) – Brasil. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-graduação em Oceanografia. Departamento de Oceanografia. Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, 90p.

Gregório, M.D.N, Araujo, T.C. M, Valença, L.M.M, 2004. Variação Sedimentar das Praias do Pina e Boa Viagem, Recife - PE. Tese de Doutorado. Programa de Pós-graduação em Oceanografia. Departamento de Oceanografia. Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Tropical Oceanography, Recife: V.32, n.1, 39-52p.

Gregório,. D.N., 2009. Evolução da linha de costa e caracterização da plataforma continental interna adjacente à cidade do Recife – PE. Tese de Doutorado. Programa de Pós-graduação em Oceanografia. Departamento de Oceanografia. Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife. 173p.

Guerra, A. J. T.; Cunha, S. B., 2009. Geomorfologia: uma atualização de bases e conceitos. Rio de Janeiro, Editora Bertrand Brasil. 474p.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Portal Cid@des. Disponível em: Acesso em: 10 nov 2014.

Kana, T. W.; Mohan, R. K., 1998. Analysis of nourished profile stability following the fifth Hunting Island SC beach nourishment project. Coastal Engeneering, 33: 117-136p.

Komar, P. D., 1976. Beach processes and sedimentation. New Jersey: Prentice Hall Inc. / Englewood Cliffs. 429 p.

Loring, G. H.; Rantala, R. T. T., 1992. Manual for the geochemical anlyses of marine sediments and suspended particulate matter. Earth Sei. Rew.; 32: 235 – 283p.

Madruga Filho, J. D., 2004. Aspectos Geoambientais entre as praias do Paiva e Gaibu, Município do Cabo de Santo Agostinho (Litoral Sul de Pernambuco). Recife. Tese de doutorado. Curso de Pós-Graduação em Geociências. UFPE. 272p.

Manso, V. A. V.; Coutinho, P. N.; Lima, A.T. O.; Medeiros, A. B.; Almeida, L. E. S. B.; Borba, A. L. S.; Lira, A. R. A. Pedrosa, F. J. A.; Chaves, N.S.; Duarte, R. X.; Ivo, P. S., 1995. Estudos da erosão marinha na praia da Boa Viagem. Convênio ENLURB/FADE/LGGM – UFPE. Relatório Técnico, Recife. 98p.

Manso, V.A.V., 1997. Geologia da planície costeira e da plataforma continental interna adjacente da região entre Porto de Galinhas e Tamandaré – litoral Sul de Pernambuco. Porto Alegre RS. Tese de Doutorado em Geociências, Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 171p.

Anso, V. A. V.; Corrêa, I.C. S.; Guerra, N.C., 2003. Morfologia e Sedimentologia da Plataforma Continental Interna entre as Praias Porto de Galinhas e Campos – Litoral Sul de Pernambuco, Brasil. Pesquisa em Geociências, Porto Alegre (RS), v. 30, n. 2, 17-25p.

Manso, V. A. V. M.; Valenca, L. M. M.; Coutinho; P. N. Guerra, N. C., 2004. Sedimentologia da plataforma continental de Pernambuco. In: LECA, E. E.; LEITAO, S. N.; COSTA, M. F. Oceanografia Um cenário tropical, Recife, Ed. Bagaço,59-86p.

Manso V.A.V., Coutinho P.N., Guerra N.C., Soares J.R., 2006. In: Pernambuco. Muehe D. (ed.) Erosão e progradação do litoral brasileiro. Ministério do Meio Ambiente Brasília, 179-196p.

Marcondes, A. C. J., 2005.Vulnerabilidade erosiva da Praia do Nenel, Ilha Bela (Ilha do Boi) Vitória, ES. Monografia de Graduação em Oceanografia. Departamento de Ecologia e Recursos Naturais. Universidade Federal do Espiríto Santo –UFES. Vitória,79p.

Markman, L.; Carneiro, K., 2012. Erosão marinha ameaça casas e atrações turísticas. [Internet]. G1; [atualizado em 2012 Jun 08; citado em 2012 Jun 08]. Disponível em:< http://g1.globo.com/natureza/rio20/noticia/2012/06/erosao-marinha-ameaca-casas-e-atracoes-turisticas.html>Acesso em: 22 Dez 2015.

Muehe, D. In: Guerra, A. J. T.; Cunha, S. B. Geomorfologia: Uma atualização de bases e conceitos. Rio de Janeiro, 2 ed. Ed. Bertrand Brasil, 1995. 472p.

Muehe, D. Geomorfologia Costeira. 1996. In: Guerra, A. J. T.; Cunha, S. B. Gemorfologia: exercícios, técnicas e aplicação. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Muehe, D., 1998. Geomorfologia Costeira. In: Guerra, A. Geomorfologia do Brasil. Rio de Janeiro. Ed. Bertrand do Brasil, 253 – 306p.

Muehe, D., 2001. Litoral Brasileiro e sua compartimentação. In: GUERRA, A.Geomorfologia do Brasil. Rio de Janeiro. 2 ed. Ed. Bertrand do Brasil, 273p.

Muehe, D., 2001b. Critérios Morfodinâmicos para o Estabelecimento de Limites da Orla Costeira para fins de Gerenciamento. Revista Brasileira de Geomorfologia, volume 2, nº 1 35-44p.

Oliveira, P. F. P., 2013. Caracterização sedimentológica e aspectos geoambientais das praias do litoral norte de Pernambuco. Dissertação de Mestrado –Centro de Tecnologia e Geociências, Universidade Federal de Pernambuco. Recife. 124p.

Pasolini, A., 2005. Análise morfodinâmica da praia de Marataízes frente a um processo de engordamento artificial. Monografia de Graduação em Oceanografia. Departamento de Ecologia e Recursos Naturais. Universidade Federal do Espírito Santo – UFES. Vitória, 60p.

PMJG – Prefeitura Municipal Jaboatão dos Guararapes. Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade. Disponível em:

Ponzi, V. R. 1995. Métodos de analises sedimentológicas de amostras marinhas, representação de resultados através de gráficos e mapas. Universidade Fluminense –instituto de Geociências, Departamento de Geologia/LAGEMAR – Curso de Especialização E Geologia e Geofísica Marinha. 35p.

Prata, P.M., 2005. Variação textural dos sedimentos da praia de Camburi, Vitória – ES após o engordamento artificial. Monografia de oceonografia. Departamento de Ecologia e Recursos Naturais da Universidade Federal do Espírito Santo, 75p.

Quinamo, L. A.; Barros, L. C.; Manso, V. A. V.; Arruda, K. E. C. A., 2013, Estudos granulométricos e morfoscópicos dos sedimentos do estirâncio médio e aspectos ambientais da praia da Boa Viagem. Recife-PE. Programa de Pós-graduação em Geociências e Geologia, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, V.23 12-23p.

Rollnic M., 2002. Hidrologia, Clima de Onda e Transporte Advectivo na Zona Costeira de Boa Viagem, Piedade e Candeias – PE. Dissertação de Mestrado, Pós-graduação em Oceanografia, Departamento de Oceanografia, Universidade Federal de Pernambuco, 111p.

Santos, U. S. T., 2008. Avaliação geoambiental das praias do município de Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana do Recife. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-graduação em Oceanografia. Departamento de Oceanografia. Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, 111p.

Scholle, P. A., 1979. Constituents, textures, cements, and porosities of sandstones and associate rocks. U. S. Geological Survey, Published by the American Association of The American Association of Petroleum Geologists Foundation. Tulsa, Oklahoma, U. S. A. 193p.

Souza, S.T., 2004. A saúde das praias da Boa Viagem e do Pina. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-graduação em Oceanografia. Departamento de Oceanografia. Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, 99p.

Suguio, K., 1973. Introdução à sedimentologia. São Paulo, Editora EDGAR BLÜCHER, Ed. da Universidade de São Paulo. 312p.

Suguio, K., 1980. Rochas sedimentares: propriedades, gêneses, importância econômica. São Paulo, Editora EDGAR BLÜCHER, Ed. da Universidade de São Paulo. 500p.

Suguio, K., 2003. Geologia Sedimentar. Blucher Ed., São Paulo, SP, Brasil. 400p.

Suguio, K., 2005. Angulo, R. J., Carvalho, A. M., Corrêa, I. C. S., Tomazelli, L. J. E; Vital, H. Paleoníveis do Mar e Paleolinhas de Costa. In: SUGUIO et al. (Ed.) Quaternário do Brasil. Holos Editora, 114-129p.

Suguio, K., 2009. Geologia Sedimentar. Blucher Ed. São Paulo, SP, Brasil. 400p.

Suguio, K., 2012. Geologia do Quaternário e Mudanças Ambientais. São Paulo, Ed. Oficina de Textos, 408p.

Tabajara, L.L.; Martin, L. R., 2006. Classificação textural de sedimentos praiais e sua relação com os processos morfogenéticos eólicos e marinhos. Revista Gravel . 99-107p.

Teixeira, W. ; Toledo, M. C. M.; Fairchild, T. R.; Taioli, F., 2000. Decifrando a Terra. São Paulo, Oficina de Textos, 568 p.

Toldo Jr., E. E., 1998. Sedimentologia 1. Instituto de Geociências, Departamento de Mineralogia e Petrografia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre. 52p.

UNESCO, 1993. Coasts: Managing Complex Systems. Environment and Development. Briefs. United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization. Paris. 16p.

Villwock, J. A. Lessa, G. C.; Suguio, K.; Angulo, R. J.; Dillenburg, S. R., 2005. Geologia e geomorfologia de regiões costeiras. In: SOUZA, C. R. G.; SUGUIO, K.; OLIVEIRA, A. M. S.; OLIVEIRA, P. E., 2005 (eds), Associação Brasileira do Quaternário - Quaternário do Brasil. Halos, Editora, Ribeirão Preto, 94 -113p.

Wentworth, C.K., 1922. A escale of grade and class terms for clastic sediments. Journal of Geology. USA, v. 30.

Wright, L. D.; Thom, B. G., 1977. Coastal depositional landforms: A morphodinamic approach. Progress in Physical Geography, 1, 412-459p.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v11.07.p2287-2314

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License