Avaliação urbano-ambiental em residencial de interesse social concebido com recursos do PAC no estado de Alagoas, Brasil (Urban-environmental evaluation in residential of social interest conceived with pac resources in the state of Alagoas, Brazil)

Elvis Pantaleão Ferreira, Fabiana de Souza Pantaleão, Elton Pantaleão Ferreira, José Thales Pantaleão Ferreira, Yara Pantaleão Ferreira

Resumo


O presente trabalho teve como objetivo apresentar um pioneiro diagnóstico urbano e da infraestrutura dos serviços de saneamento básico em residencial concebido com investimentos do Programa Minha Casa Minha Vida no município de Santana do Mundaú, estado de Alagoas. O procedimento metodológico foi estruturado em três etapas: levantamento de dados secundários, levantamento descritivo mediante coleta de dados in loco e consulta à comunidade local. Os resultados demonstram que o ambiente urbano necessita de adequação e implementação do espaço urbano para a convivência comunitária. Registrou-se a insatisfação da comunidade com a qualidade das habitações, o que vem contribuindo para uma personalização habitacional.  Foram observadas alterações funcionais de unidades habitacionais, haja vista o uso para o exercício de atividades de comércio ou de serviços. O abastecimento de água potável é o único serviço que opera adequadamente, o esgotamento sanitário e a destinação ambientalmente correta dos resíduos sólidos apresentam precárias condições de serviços, portanto, necessitam de intervenções significativas e imediatas para melhor conceituar o espaço urbano.

 

 

 

A B S T R A C T

The present study aimed to present a pioneering urban diagnosis and infrastructure of basic sanitation services in a residential project conceived with investments of the Minha Casa Minha Vida Program in the municipality of Santana do Mundaú, State of Alagoas. The methodological procedure was structured in three stages, secondary data collection, descriptive survey through data collection in the local and consultation to the community. The results show that the urban environment needs adaptation and implementation to adapt the urban space to community living, registered the community's dissatisfaction with the quality of housing which has contributed to the personalization of housing, functional changes were observed in housing units considering the use for the exercise of trade activities or services. The supply of drinking water is the only service that operates properly, sanitary sewage and environmentally correct disposal of solid waste, present poor service conditions, need significant and immediate interventions, to better conceptualize the urban space.

Keywords: Minha Casa Minha Vida Program, housing policy, basic sanitation


Palavras-chave


Programa Minha Casa Minha Vida, política habitacional, saneamento básico

Texto completo:

PDF

Referências


Abiko, A. K.; Ornstein, S. W. (Ed.). 2002. Inserção Urbana e Avaliação Pós-Ocupação (APO) da Habitação de Interesse Social. São Paulo: FAUUSP, (Col. Habitare/FINEP,1).

Almeida, R. S.; Santos, C. J. S. 2010. Barragens Sem Controle – Água, Suor e Dor: Desterritorialização e Reterritorialização Nas Cidades Atingidas pelas Enchentes em Junho de 2010, em Alagoas. In: III Encontro Latino Americano de Ciências Sociais e Barragens. Belém – PA, Anais... Belém – PA: 30 Novembro a 03 de Dezembro de 2010.

Amore, C. S.; Shimbo, L. Z.; Rufino, B. C. (Org.). 2015. Minha casa... e a cidade? avaliação do programa minha casa minha vida em seis estados brasileiros. 1º edição - Rio de Janeiro: Letra Capital.

Arnold, M., Vanderslice, J.A., Taylor, B., Benson, S., Allen, S., Johnson, M., Kiefer, J., Boakye, I., Arhinn, B., Crookston, B.T., Ansong, D. 2013. Drinking water quality and source reliability in rural Ashanti region, Ghana. Journal of Water and Health. v.1, nº3, p.61-71.

Belei, R. A.; Paschoal, S. R. G.; Matsumoto, E. N.; Nascimento, P. H. V. R. 2008. O Uso de entrevista, observação e videogravação em pesquisa qualitativa. Cadernos de Educação – FAE/PPGE/UFPel – Pelotas [30]: 187 – 199p.

Brasil, 1988. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988.

Brasil, 2005. Lei nº. 11.124 de 16 de junho de 2005. Dispõe sobre o Sistema Nacional de Habitação de Interesse Social – SNHIS.

Brasil, 2007. Decreto nº 6.025, de 22 de janeiro de 2007. Institui o Programa de Aceleração do Crescimento – PAC, o seu Comitê Gestor, e dá outras providências.

Brasil, 2010. Lei nº. 12.305 de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências.

Brasil, 2011. Lei nº 12.424, de 16 de junho de 2011, altera a Lei nº 11.977, de julho de 2009 que dispõe sobre o Programa Minha Casa, Minha Vida – PMCMV.

Brasil, 2013. Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República Direito à moradia adequada. – Brasília: Coordenação Geral de Educação em SDH/PR, Direitos Humanos, Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos.

Brasil, 2014. Portaria nº 21, de 22 de janeiro de 2014. Aprova o manual de instruções do trabalho social nos Programas e Ações do Ministério das Cidades.

Brown, C.; Neves, S. P.; Heller, L. 2016. The human right to water and sanitation: a new perspective for public policies. Ciência & Saúde Coletiva. Rio de Janeiro , v. 21, nº 3, p. 661-670.

Campbell, O. M. R.; Benova, L.; Gon, G.; Afsana, K.; Cumming, O. 2015. Getting the basic rights – the role of water, sanitation and hygiene in maternal and reproductive health: a conceptual framework. Tropical Medicine and International Health. V.20 nº 3 pp252–267.

Della Vechia, J. F.; Cruz, C; Silva, A. F; Cerveirajr; W. R; Garlich, N. 2016. Macrophyte Bioassay Applications for Monitoring Pesticides in the Aquatic Environment. Planta Daninha, Viçosa, v. 34, nº 3, p.597-603.

DER – AL. Departamento de Estradas de Rodagem de Alagoas. 2016. Disponível em http://www.der.al.gov.br/. Acesso em 14 de Jun. 2016.

ENAP – Escola Nacional de Administração Pública. 2015. Programa de Acesso aos Recursos de Saneamento. Módulo 1: As ações de saneamento no âmbito do PAC. Diretoria de Comunicação e Pesquisa. Brasília.

Ferreira, E. P.; Albuquerque, K. N. 2012. Abordagem sobre os riscos sanitários e ambientais do crescente uso de agrotóxicos: o caso do município de Santana do Mundaú – AL. In: VII Simpósio de Eng. Ambiental do Espírito Santo – SEA. Vitória – ES, 2012. Anais... Vitória – ES: 26 a 29 de setembro.

Ferreira, E. P.; Pantaleão, F. S. 2015. Uso de agrotóxicos em parque citrícola na bacia do Rio Mundaú – implicações ambientais e sanitárias. In: 1º Simpósio Nacional de Agronomia–Sinagro. Santa Teresa – ES. Anais... Santa Teresa – ES: 07 a 09 outubro.

Ferreira, E. P.; Pantaleão, F. S. 2016. Análise da gestão de resíduos sólidos urbanos em um município de pequeno porte no Estado de Alagoas. Revista de Engenharia e Tecnologia. V. 8, nº. 2. p.142-151.

Ferreira, J. T. P.; Ferreira, E. P.; Albuquerque, K. N.; Silva, G. dos S Pantaleão, F. de S. 2013a. Geomorfologia, potencial erosivo e fertilidade dos solos cultivados com Laranja lima em Santana do Mundaú – AL. Revista Verde. Mossoró/RN, v. 8, nº. 1, p.47 – 56.

Ferreira, J. T. P.; Ferreira, E. P.; Pantaleão, F. de S.; Albuquerque, K. N.; Ferreira, A. C. 2013b. Citricultura em Santana do Mundaú, Alagoas, Brasil: histórico, evolução e oportunidades. Citrus Research & Technology. Cordeirópolis, SP. v. 34, nº.1, p.1–38.

Fialho, W. M. B.; Molion, B. L. C. 2012. Eventos Extremos: Alagoas Junho de 2010. In: IV Encontro Sul - Brasileiro de Meteorologia. Disponível em: http://wp.ufpel.edu.br/meteoro/files/2011/05/wendell_barbosa_1.pdf.Acesso em: 6 mar. 2016.

Freitas, A. F.; Freitas, A. F.; Dias, M. M. 2012. O uso do Diagnóstico Rápido Participativo (DRP) como metodologia de projetos de extensão universitária. Em Extensão, Uberlândia, v.11, nº2, p.69-81.

Freitas, E. L. H. 2004. Como qualificar conjuntos habitacionais populares. Brasília – DF: Caixa Econômica Federal.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2016. https://cidades.ibge.gov.br/. Acesso: 10 Nov. 2017.

IMA – Instituto de Meio Ambiente de Alagoas. 2016. IMA alerta: proprietários de terras podem ser autuados por captação irregular de água. Disponível em: http://ima.al.gov.br. Acesso em 07 Dez. 2016.

Jordão, E. P.; Pessôa, C. A. 2011. Tratamento de esgotos domésticos. Rio de Janeiro:Abes, 6.ed.

Kayser, G. L; Moriarty, P; Fonseca, C; Bartram, J.2013. Domestic Water Service Delivery Indicators and Frameworks for Monitoring, Evaluation, Policy and Planning: A Review. Int. J. Environ. Res. Public Health. v.10, p.4812-4835.

Lo Bianco, M. H.; Cavalcanti, M. 2015. O PAC – Manguinhos: política urbana, usos e representações da cidade. Disponível em: https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/11440/statistics. Acesso: 15 mar. 2016.

Logsdon, L. 2012. O Programa Minha Casa, Minha Vida em Cuiabá-MT: uma análise da qualidade dos projetos destinados às famílias de baixa renda. Florianópolis, 2012. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) - Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Maia, D. S. 2010. A periferização e a fragmentação da cidade: loteamentos fechados, conjuntos habitacionais populares e loteamentos irregulares na cidade de Campina Grande-PB, Brasil. Revista Electrónica de Geografía y Ciencias Sociales. Universidad de Barcelona. Vol. XIV, nº. 331 (80).

Mckinlay, R.; Plant, A. J.; Bell, B. N. J. 2008. Endocrine disrupting pesticides: Implications for risk assessment. Environment International. v. 34 p.168–183.

Medvedovski, N. S. 2002. Diretrizes Especiais para Regularização Urbanística, Técnica e Fundiária de Conjuntos Habitacionais Populares. Entac 2002 – IX Encontro Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído. 07 a 10 de maio. Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil.

Meireles, E. Castro, C. M. P. de, 2017. Provisão do Programa Minha Casa, Minha Vida em São José do Rio Preto, SP: inserção urbana e adequação socioeconômica e ambiental - um estudo de caso do conjunto habitacional Nova Esperança. Ambiente Construído, 17(3), 219-233.

Mello, M. F. 2005. Privatização do setor de saneamento no Brasil: quatro experiências e muitas lições. Revista Economia Aplicada. Ribeirão Preto, v.9, nº3, p.495-517.

Naime, R; Santos, K, L; Michaelsen, J. 2011. Diagnóstico da gestão de resíduos sólidos no município de São Leopoldo – Rio Grande do Sul. Engenharia Ambiental - Espírito Santo do Pinhal, v. 8, nº 2, p. 028-037.

OPAS – Organización Panamericana de La Salud. 2012. Agua y Saneamiento: em la búsqueda de nuevos paradigmas para lãs Américas. Washington. D. C.: OPAS.

Pádua, V. L. (Coord.). 2009. Remoção de microorganismos emergentes e microcontaminantes orgânicos no tratamento de água para consumo humano. Projeto PROSAB. Rio de Janeiro: ABES.

Pantano, L. 2015. Discapacidad y pobreza en las villas de la ciudad de Buenos Aires. Reflexiones a partir de algunos datos cuantitativos. Revista Fac. Med., Bogotá, v. 63, supl. 1, p. 51-60.

Piterman, A.; Heller, L.; Rezende, S. C. 2013. (A falta de) Controle social das políticas municipais de saneamento: um estudo em quatro municípios de Minas Gerais. Revista Saúde e Sociedade, São Paulo/SP, v. 22, n. 4, p.1180-1192.

Programa reconstrução. 2016. Coordenação do Programa de Reconstrução. Estado de Alagoas. Disponível http://www.reconstrucao.al.gov.br/. Acesso em: 21 de Maio de 2016.

Santos, F. P.; Souza, L. B. 2013. Diagnóstico dos problemas ambientais urbanos de Luís Eduardo Magalhães (BA) por meio da análise das reclamações ambientais registradas na Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Revista Ateliê Geográfico - Goiânia-GO, v. 7, nº 3, p.110-133.

Schäfer, E. F.; Gomide, F. P. B. 2014. Avaliação Pós-Ocupação do conjunto habitacional Moradias União Ferroviária Bolsão Audi/União, Curitiba (PR). Revista Eng. Sanit. Ambient. v.19 nº2. p155-164.

Sperling, M. Von. 2002. Lagoas de Estabilização. Princípios do Tratamento Biológico de Águas Residuárias, v.3. 2.ed. Belo Horizonte: DESA – UFMG.

Torres-Parra, C. A.; Garcia-Ubaque, J. C.; Garcia-Ubaque, C. A. 2014. Aprendizaje cooperativo para forjar vivienda saludable en Bogotá: estudio de caso. Rev. salud pública. Bogotá, v.16, nº3, p. 371-381.

Vardoulakis, S.; Dear, K.; Wilkinson, P. 2016. Challenges and Opportunities for Urban Environmental Health and Sustainability: the Healthy-Polis initiative. Environmental Health. From The 11th International Conference on Urban Health Manchester, UK.15(Suppl 1):30.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v11.5.p1680-1693

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License