Aplicação da Análise Multivariada e da Resolução CONAMA 357/2005 para Análise da Qualidade de Água em Rios de Pernambuco (Application of Multivariate Analysis and Resolution CONAMA 357/2005 for Analysis of Water Quality in Rivers of Pernambuco)

Nathália Bandeira Carvalho dos Santos, Rayza Helen Graciano dos Santos, Ronaldo Faustino da Silva

Resumo


Os rios são as principais fontes de água potável para a comunidade humana e abastecem reservatórios naturais e artificiais e a redução da disponibilidade hídrica está diretamente relacionada principalmente aos processos de urbanização. Os rios Gurjáu, Pirapama, Glória do Goitá e Capibaribe estão inseridos no estado de Pernambuco e possuem importância econômica principalmente para o consumo humano. O objetivo deste trabalho foi avaliar as variáveis físico-químicas da água pela Resolução CONAMA 357/2005 verificando os parâmetros conformes pela legislação e através da análise estatística multivariada. As coletas foram realizadas em seis pontos entre os meses de maio e junho de 2016.  Com análise físico-química das amostras de água dos rios foi possível identificar que alguns parâmetros se encontram dentro dos limites ou superiores aos permitidos pela Resolução 357/05 do CONAMA. As amostras RG, RP, RC-400, RGO-620 foram classificadas como classe 2 das águas doces e RC-300 E RC-950 sendo classificados como classe 1 das águas salobras (CONAMA 357/05). Com a análise multivariada o dendrograma do UPGMA, separou as amostras em dois grupos de acordo com a similaridade dos resultados das variáveis físico-químicas. A correlação cofenética das amostras exibiu que as amostras não são linearmente tão relacionadas entre si, corroborando com os resultados da matriz triangular.  Com a aplicação da PCA (Fitopac 6.1) e da matriz retangular foi possível reduzir o número de indicadores de qualidade de água, selecionando os indicadores mais determinantes para as características dos ambientes estudados. Os resultados obtidos permitem afirmar que a análise multivariada categorizou as amostras de águas estudadas e que os rios estudados embora apresentem algum de seus parâmetros alterados se mostram com um bom nível de potabilidade o que garante a sua utilização pela sociedade.


Palavras-chave


Análises físico-químicas, Rios de Pernambuco, Análise multivariada, Análise de Componente Principal-PCA

Texto completo:

PDF

Referências


Agencia Estadual de Meio Ambiente – CPRH, 2013. Áreas Estuarinas. Disponível: . Acesso em 25/09/2017.

Aguilera, P.A.; Castro, H.; Rescia, A.; Schmitz, M.F, 2001. Methodological development of na index of coastal water quality: application in a tourist area. Environmental Management, New York, 27, 295-301.

American Public Health of Water and Wastewater, 1992. Standard methods for the examination of water and wastewater, 18 ed. American Public Health Association, Washington.

Amorim, M. C. C. de; Porto, E. R., 2003. Considerações sobre controle e vigilância da qualidade de água de cisternas e seus tratamentos. Embrapa Semiárido - Artigo em anais de congresso (ALICE) - 4º Simpósio de Captação e Manejo de Água de Chuva. Disponível: . Acesso em 25/11/2017.

Andrade, M. C., 2009. Geografia de Pernambuco: ambiente e sociedade, 1 ed. Editora Grafset, João Pessoa – PB.

Araújo, I. de C.P.; Freitas, M.A.V. de; Ribeiro, E.S.; Sabbag, S.K. Monitoramento da qualidade das águas no Brasil. In: Freitas, M.A.V. (Ed.), 1999. O estado das águas no Brasil: perspectivas de gestão e informações de recursos hídricos. Brasília: ANEEL/MME/MMA-SRH/OMM, 175-83.

Ayoade, J. O, 2003. Introdução à Climatologia para os Trópicos, 9ª edição. Editora Bertrand Brasil, Rio de Janeiro.

Barros, C.N, 2009. Coliformes na água e no molusco bivalve Anomalocardia brasiliana (Gmelin,1791) da Bacia do Pina, Recife – PE. IX Jornada de ensino, pesquisa e extensão da UFRPE, Universidade Federal Rural de Pernambuco. Anais. Recife: JEPEX. Disponível: http://www.eventosufrpe.com.br/jepex2009/cd/resumos/r1115-2.pdf. Acesso em 10/11/2017.

Brasil. CONAMA. Resolução n.º 357, de 17 de março de 2005. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, Publicada no DOU nº 053, de 18/03/2005.

Brito, L. T. de L.; Silva, A. de S.; Srinivasan, V. S.; Galvão, C. de O.; Gheyi, H. R, 2006. Uso de análise multivariada na classificação das fontes hídricas subterrâneas da bacia hidrográfica do Salitre. Engenharia Agrícola, 26, 36-44.

Brito, L.T. de L, 2003. Avaliação de impactos das atividades antrópicas sobre os recursos hídricos da bacia hidrográfica do Rio Salitre-Bahia e classificação das fontes hídricas. Tese (Doutorado em Recursos Naturais). Campina Grande, Universidade Federal de Campina Grande – UFCG.

Cargnelutti F., A. C.; Ribeiro, N. D.; Burin, C, 2010. Consistência do padrão de agrupamento de cultivares de feijão conforme medidas de dissimilaridade e métodos de agrupamento. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 45, 236-243.

Carvalho, F. I. M.; Lemos, V. P.; Dantas Filho, H. A.; Dantas, K. G. F, 2015. Avaliação da qualidade das águas subterrâneas de Belém a partir de parâmetros físico-químicos e níveis de elementos traço usando análise multivariada. Revista Virtual de Química, 7, 2221.

Ceballos, B.S.O, 1995. Utilização de indicadores microbiológicos na tipologia de ecossistemas aquáticos do Trópico Semi-Árido. Tese (Doutorado em Microbiologia Ambiental). São Paulo, Instituto de Ciências Biomédicas, Universidade de São Paulo.

Colwell, R.; Coddington, J.A, 1994. Estimating terrestrial biodiversity through extrapolation. R. Soc. London B series, 345, 101-118.

Cornationi, M.B, 2010. Análises físico-químicas da água de abastecimento do município de colina – Bebedouro/ SP. Trabalho de Conclusão de Curso (Ciências Biológicas). Colina, Faculdades Integradas Fafibe.

Cruz, C. D.; Carneiro, P. C. S, 2003. Modelos biométricos aplicados ao melhoramento genético, 2 ed. Editora UFV, Viçosa - MG.

Donadio, N.M.M., Galbiatti, J.A., Paula, R.C, 2005. Qualidade da Água de Nascentes com Diferentes Usos do Solo na Bacia Hidrográfica do Córrego Rico. Eng. Agríc., Jaboticabal, 25, 115-125.

Esteves, F.A, 2011. Fundamentos de Limnologia. 3ª ed. Interciência/FINEP, Rio de Janeiro.

Ferreira, G. L. B. V.; Ferreira, N. B. V, 2006. Fundamentos da Política Nacional de Recursos Hídricos. XIII SIMPEP, 13. Disponível: http://www.simpep.feb.unesp.br/anais/anais_13/artigos/810.pdf. Acesso: 10/11/2017.

Girão, E. G.; Andrade, E. M.; Rosa, M. de F.; Araújo, L. de F. P.; Meireles, A. C. M, 2007. Seleção dos indicadores da qualidade de água no Rio Jaibaras pelo emprego da análise da componente principal. Revista Ciência Agronômica, 38, 17-24.

Jianqin, M.; Jingjing, G.; Xiaojie, L, 2010. Water quality model based on principal componente analisys and information entropy: application in Jinshui River. Journal of Resources and Ecology, 3, 249-252.

Kopp, M.M.; Souza, V.Q.; Coimbra, J.L.M.; Luz, V.K.; Marini, N.; Oliveira, A. C., 2007. Melhoria da correlação cofenética pela exclusão de unidades experimentais na construção de dendogramas. Revista da Fazva, 14, 46-53.

Lordelo, L. M. K.; Borja, P. C.; Porsani, M. J.; Andrade, J. de; Moraes, L. R. S, 2016. Qualidade das águas superficiais e subterrâneas do município de Santa Brígida – sertão da Bahia, para abastecimento humano. IV Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental. Disponível: http://cobesa.com.br/2016/download/cobesa-2016/IVCOBESA-047.pdf. Acesso: 20/11/2017.

Manly, B.F.J, 2008. Métodos estatísticos variados uma introdução. Ed. Artmed, Wyoming, U.S.A.

Medeiros, S. R. M. de; Carvalho, R. G. de; Souza, L. Di; Barbosa, A. H. da S, 2016. Índice de qualidade das águas e balneabilidade no Riacho da Bica, Portalegre, RN, Brasil. Rev. Ambiente. Água, 11, p. 711.

Melo A. S. R.; Silva C. B.; Neto M. V. B.; Araújo M. S. B, 2011. Estimativa da vulnerabilidade à erosão hídrica da bacia do Rio Goitá-PE, utilizando técnicas de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto. Anais XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto – SBSR. Disponível: http://www.dsr.inpe.br/sbsr2011/files/p1394.pdf. Acesso: 10/11/2017.

Merten, G. H.; Minella, J. P, 2002. Qualidade da água em bacias hidrográficas rurais: um desafio atual para a sobrevivência futura. Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável, 3, 2-6.

Meyer, A. da S, 2002. Comparação de coeficientes de similaridade usados em análises de agrupamento com dados de marcadores moleculares dominantes. Dissertação (Mestrado em Agronomia – Estatística e Experimentação Agronômica). São Paulo, Universidade de São Paulo.

Moita Neto, J. M.; Moita, G. C, 1998. Uma introdução à análise exploratória de dados multivariados. Química Nova, 21, 467-469. Disponível: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-40421998000400016. Acesso: 11/10/2017.

Nóbrega, A. S. C, 2011. FONTES DE CONTAMINAÇÃO NO ESTUÁRIO DO RIO CAPIBARIBE, PERNAMBUCO. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Ciências Biológicas com ênfase em Ciências Ambientais) – Universidade Federal de Pernambuco – PE.

Noriega, C. E. D, 2010. Estado trófico e balanço biogeoquímico dos nutrientes não conservativos (N e P), na região Metropolitana do Recife - Brasil. Tese (Doutorado em Oceanografia). Recife, Universidade Federal de Pernambuco – UFPE.

Odum, E. P, 1988. Ecologia 6 ed. Guanabara, Rio de Janeiro.

Parron, L. M.; Muniz, D. H. de F.; Pereira, C. M, 2011. Manual de procedimentos de amostragem e análise físico-química de água. Embrapa Florestas, 10.

Pernambuco. Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Companhia Pernambucana do Meio Ambiente, 2009. Agenda 21: Bacia do Pirapama: zoneamento ecológico-econômico. Recife: CPRH/DFID, 2000. 250 p. Pesquisa e Extensão, IX, Recife.

Philippi, J. A.; Pelicioni, M, 2005. Educação Ambiental e Sustentabilidade, 2 ed. Editora Manole, Barueri, SP.

Richter, C. A.; Netto, J. M, 1999. Tratamento de água: Tecnologia atualizada, 2 ed. Editora Edgar Blucher Ltda, São Paulo.

Santiago M. F, 2010. Phytoplankton dynamics in a highly eutrophic estuary in tropical Brazil. Brazilian Journal of oceanography, 58, 189-205.

Santos, A. J, 2003. Estimativas de riqueza em espécies. In: CULLEN Jr., L. et al. (Org.). Métodos de estudo em biologia da conservação e manejo da vida silvestre, 2 ed. Ed. UFPR e Fundação O Boticário de Proteção à Natureza, Curitiba.

Schäfer, A, 1985. Fundamentos de Ecologia e Biogeografia das Águas Continentais, 2 ed. Ed. da Universidade - UFRGS, Porto Alegre.

Silva E. L.; Cortez D. A. G. Gonçalves J. E. 2012. Estudo físico-químico e microbiológico do potencial impactante do efluente de abatedouros avícola e bovino. VI Mostra interna de trabalhos de Iniciação Cientifica, p. 10 páginas.

Silva M. C.; Ribeiro M. M. R. 2006. Enquadramento dos corpos d’água e cobrança pelo uso da água na bacia do Rio Pirapama – PE. Eng. sanit. Ambiente, 11, 371-379.

Silva, A. de S, 1997. Impacto ambiental del uso de los recursos suelo y agua en áreas agrícolas bajo riego: estudio aplicado a zonas áridas brasileñas y españolas. Tese (Doutorado em Impacto Ambiental). Madrid, Universidad Politécnica de Madrid.

Tabarelli, M.; J. A.; Santos, A. M. M; Pôrto, K. C.; Almeida-Cortez, J. S, 2006. A floresta atlântica ao norte do Rio São Francisco. In: Pôrto, K.C.; Almeida-Cortez, J.S & Tabarelli, M. (org.). Diversidade biológica e conservação da floresta atlântica ao norte do rio São Francisco. Ministério do Meio Ambiente, 23-37.

Teixeira, S. F.; Andrade, A. L. R. H. de, Campos, S. S, 2015. Qualidade da água no baixo rio Capibaribe, Recife, Pernambuco. 8° Encontro de Internacional das Águas, 6. Disponível: http://www.unicap.br/encontrodasaguas/wp-content/uploads/2013/06/Simone-Ferreira-Teixeira1-upe-Trabalho_2073004853.pdf. Acesso: 18/11/2017.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v11.5.p1859-1875

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License