Avaliação da influência do uso e cobertura da terra na qualidade das águas superficiais da bacia hidrográfica do rio Pirapozinho (SP) (Evaluation of the effects of land use and occupation on superficial water quality of the hydrographic basin of the Pirapozinho river (SP))

Bruno Magro Rodrigues, Lucas Prado Osco, Patricia Alexandra Antunes, Ana Paula Marques Ramos

Resumo


A ocupação extensiva e, por vezes, indevida do solo pode resultar em uma série de problemas ambientais que aceleram a degradação de uma bacia hidrográfica, com consequências diretas na qualidade dos seus recursos hídricos. Esse trabalho avalia o impacto do uso e cobertura da terra em parâmetros quantitativos e de qualidade das águas superficiais da bacia hidrográfica do rio Pirapozinho. A produção cartográfica consistiu de mapa de uso e cobertura da terra, declividade, rede de drenagem, mapa de área de preservação permanente e mapa de Índice de Qualidade da Água (IQA). Tanto a coleta quanto as análises das águas superficiais da bacia foram desenvolvidas seguindo os procedimentos do Standard Methods. Os resultados das análises foram comparados com os valores de referência CONAMA, n° 357/05, alterada pela Resolução 410/2009 e pela 430/2011, sendo os padrões estabelecidos para rios de classe 2, mesma classe que se enquadra os corpos hídricos inseridos na bacia em estudo. Conclui-se que há um desequilíbrio ambiental na bacia do rio Pirapozinho. O mapa de uso e cobertura aponta que aproximadamente 90% da área da bacia encontra-se ocupada por pastagem e culturas. Outro aspecto é que mais de 84% da área de preservação permanente encontra-se desprovida de vegetação arbórea. Embora o mapa do IQA revele que a água da bacia possa ser classificada como boa (IQA entre 52 e 79) predominantemente, as análises laboratoriais apontam que há pontos na área com contaminação. Isto pode ser atribuído a atividades industriais e agropastoris desenvolvidas na bacia em estudo. Recomenda-se ações de manejo sustentável na bacia do rio Pirapozinho para a recuperação dos seus recursos naturais.

 

A B S T R A C T

Extensive and unduly occupation of soil may result in several environmental problems those contribute to accelerate the degradation of a hydrographic basin bringing diretly consequences to quality of its water resources. This paper evaluates the impact of land use and occupation on quantitative parameters and of superficial waters quality of the hydrographic basin of the Pirapozinho river. The cartographic products designed consisted of land use and occupation map, declivitity map, drainage network map, permanent preservation area map and map of Water Quality Index (WQI) of hydrographic basin. Both collection and analysis of the superficial waters samples were developed following the Standard Method procedure. The results of the laboratorial analyses were compared with the reference values at CONAMA 357/05 and 430/11 resolutions. We conclude that there is an environmental disequilibrium at the hydrographic basin of the Pirapozinho river. The land use and occupation map shows that approximately 90% of the area of the basin is occupied by pasture and crop fields. Other finding is that there is no arboreal vegetation in 84% of the permanent preservation area of the hydrographic basin. Although the WQI map revels that water of the basin can be classified as good (WQI among 52 and 79) predominately, the laboratorial analyses point out taht there is some points in area with contamination of water. This may be related to the industrial and agricultural activities performed in the area. We recommend sustainable management actions in the Pirapozinho river basin to recovery of its natural resources.

Keywords: Cartographic production; water quality; environmental analysis; hydrographic basin.


Palavras-chave


bacia hidrográfica; análise ambiental; mapa temático; projeto e produção cartográfica

Texto completo:

PDF

Referências


Abreu, C. H. M. & Cunha, A. C. 2017. Qualidade da água e índice trófico em rio de ecossistema tropical sob impacto ambiental. Engenharia Sanitária e Ambiental., 22, 45-56.

Amorim, D. G.; Cavalcante, P. R. S.; Soares, L. S. & Amorim, P. E. C. 2017. Enquadramento e avaliação do índice de qualidade da água dos igarapés Rabo de Porco e Precuá, localizados na área da Refinaria Premium I, município de Bacabeira (MA). Engenharia Sanitária e Ambiental, 22, 241-259.

Braido, L. M. H & Tommaselli, J. T. G. 2012. Setorização de fatores ambientais – Clima, solos e relevo para o planejamento ambiental e territorial na região do Pontal do Paranapanema – SP – Brasil. Revista Geonorte. 3, 1268-1282.

BRASIL. 1979. Lei nº 6.766, de 19 de dezembro de 1979.

BRASIL. 2012. Lei n° 12.651, de 25 de maio de 2012.

Cerri, C.E.P.; Dematte, J.A.M.; Ballester, M.V.R.; Martinelli, L.A.; Victoria, R.L.; Roose, E. 2001. GIS Erosion Risk assessment of the Piracicaba river basin, Southeastern Brazil. Mapping Sciences and Remote Sensing, 38, 157-171.

De Biasi, M. 1992. A Carta Clinográfica: Os Métodos de Representação e sua Confecção, Revista do Departamento de Geografia, 6, 45 – 60.

Dias, A. C.; Pinto, A. L. & Pott, A. 2014. Estudo e análise da mata ciliar e sua influência na qualidade da água do córrego Bom Jardim – Brasilândia/MS. In: Benini, S. M.; Dias, L. S.; Benini, E. M. Avaliações ambientais em bacias hidrográficas, p. 146, 2014. Tupã, ANAP.

Dibieso, E. P. & Leal, A. C. 2008. Planejamento Ambiental da Bacia Hidrográfica do Córrego do Cedro - Presidente Prudente - SP. Geografia. Ensino & Pesquisa (UFSM), Santa Maria, 12, 433-448.

Florenzano, T. G. 2011. Iniciação em sensoriamento remoto. 3. ed. Oficina de Textos, São Paulo.

Garcia, R. M. & Leal, A. C. 2012. Planejamento ambiental e gestão das águas: estudo aplicado à bacia hidrográfica do ribeirão Taquaruçu, Sandovalina, São Paulo. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental da Alta Paulista. 8, 86-102.

Ion, A.; Vladescu, L.; Badea, I. A.; Comanescu, L. 2016. Monitoring and evaluation of the water quality of Budeasa Reservoir-Arges River, Romania. Environmental Monitoring and Assessment, 188, 9-21.

Lobato, T. C.; Hauser-Davis, R.A.; Oliveira, T. F.; Silveira, A. M.; Silva, H. A. N.; Tavares, M.R.M.; Saraiva, A.C.F. 2015. Construction of a novel water quality index and quality indicator for reservoir water quality evaluation: A case study in the Amazon region. Journal of Hydrology, 522, 674-683.

Maranho, L. A.; Botello, R. G.; Nogueira, L. A. & Tornisielo, V. L. 2017. Avaliação da qualidade da água do Ribeirão Samambaia (São Pedro, São Paulo, Brasil) através de parâmetros físicos e químicos, índice de estado trófico e teste de toxicidade com Daphnia magna Engenharia Sanitária e Ambiental, 22, 195-20.

Mostafaei, A. 2014. Application of multivariate statistical methods and water-quality index to evaluation of water quality in the Kashkan River. Environmental Management, 53, 865-881.

Mota, S. 2010. Introdução à engenharia ambiental. Abes, Rio de Janeiro.

Mota, S. 2003. Urbanização e meio ambiente. Abes, Rio de Janeiro.

Oliveira, R. M. M.; Santos, E. V. & Lima, K. C. 2017. Avaliação da qualidade da água do riacho São Caetano, de Balsas (MA), com base em parâmetros físicos, químicos e microbiológicos. Engenharia Sanitária e Ambiental., 22, 523-530.

Oliveira, T.H., Galvíncio, J.D., 2008. Caracterização ambiental da bacia hidrográfica do rio Moxotó – PE usando sensoriamento remoto termal. Revista Brasileira de Geografia Física 2, 30-49.

Paula e Silva, F.; Chang, H. K. & Caetano-Chang, M. R. 2003. Perfis de referência do Grupo Bauru (K) no Estado de São Paulo. Geociências. São Paulo, 22, 21-32.

Santos, E. P. & Piroli, E. L. 2012. Análise do uso e cobertura da terra da bacia hidrográfica do ribeirão do Rebojo usando geoprocessamento: uma contribuição ao planejamento ambiental – UGRHI Pontal do Paranapanema (SP) – Brasil. Revista Geonorte. 3, 1244-1261.

Sardinha, D.S.; Conceição, F.T.; Souza, A.D.G.; Silveira, A.; Julio, M.; Gonçalves, J.C.S.I. 2008. Avaliação da qualidade da água e autodepuração do Ribeirão do Meio, Leme (SP). Engenharia Sanitária e Ambiental, 13, 329-338.

Selvakumar, A.; Borst, M. 2006. Variation of microorganism concentrations in urban stormwater runoff with land use and seasons. Journal of Water and Health, 4, 109-125.

Sener, S.; Sener, E.; Davraz, A. 2017. Evaluation of water quality using water quality index (WQI) method and GIS in Aksu River (SW-Turkey). Science of the total Environment, 585, 131-144.

Silva, M. P.; Santos, F. M. & Leal, A. C. 2016. Planejamento ambiental da bacia hidrográfica do córrego da Olga, UGRHI Pontal do Paranapanema – São Paulo. Revista Sociedade & Natureza, 28, 409-428.

Silva, R. V. 2003. Estimativa de largura de faixa vegetativa para zonas ripárias: Uma revisão. In: I Seminário de Hidrologia Florestal: Zonas Ripárias, Alfredo Wagner -SC.

Silva, M.S.; Bueno, I. T.; Júnior, F. W. A.; Borges, L. A. C.; Calegario, N. 2017 Avaliação da cobertura do solo como indicador de gestão de recursos hídricos: um caso de estudo na sub-bacia do Córrego dos Bois, Minas Gerais. Engenharia Sanitária e Ambiental, 22, 445-452.

Silvério, G.S., Mezomo, J., Tomazoni, J.C., Coletti, V.D., 2011. As Condições Ambientais da Microbacia do Rio Passo da Pedra. Revista Brasileira de Geografia Física 5, 1029-1042.

Silveira, C. T. et al. 2006. Mapeamento de declividade de vertentes: aplicação na APA de Guaratuba/Paraná. In: VI Simpósio Nacional de Geomorfologia; Regional Conference on Geomorphology, Goiania-GO.

Soares, F. B. & Leal, A. C. 2011. Planejamento ambiental da bacia do balneário da Amizade nos municípios de Álvares Machado e Presidente Prudente – São Paulo. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental da Alta Paulista. 7, 75-93.

Souza, M. M. & Gastaldini, M. C. C. 2014. Avaliação da qualidade da água em bacias hidrográficas com diferentes impactos antrópicos. Engenharia Sanitária e Ambiental, 19, 263-274.

Stein, D. P.; Ponçano, W. L. & Saad, A. R. 2003. Erosão na bacia do Rio Santo Anastácio, Oeste do Estado de São Paulo, Brasil. Revista Geociências, 22, 143-162.

Teixeira, W. et al. 2000. Decifrando a Terra. Oficina de Textos, São Paulo.

Torres, J. L. R.; Guidolini, J. F.; Santana, M. G.; Santos, E. C. & Laureano, M. B. J. 2010. Avaliação das características morfológicas e hidrológicas da microbacia do córrego Buracão, afluente do rio Uberaba. Caminhos de Geografia, 11, 157-167.

Tundisi, J. G. & Matsumura Tundisi, T. 2011. Recursos hídricos no século XXI. Oficina de Textos, São Paulo.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Revista Brasileira de Geografia Física - eISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License