O mapa das hepatites virais no Acre: entre territórios e territorialidades

Cleilton Sampaio de Farias, Ricardo Antunes Dantas de Oliveira, Maurício R. M. P. da Luz

Resumo


As hepatites virais são doenças causadas por vírus distintos (A, B, C e D), que têm em comum o acometimento particularmente forte do fígado humano. Objetivou-se mapear a distribuição das hepatites virais no Acre, no período de 2010 a 2014, por meio de dois indicadores. Esse mapeamento foi associado a proposições para explicar seus territórios, suas territorialidades e suas territorializações, sendo respectivamente os locais de maior ocorrência, as relações históricas e sociais que causaram essas enfermidades e a formação desses territórios. Em vista de tudo isto, as hepatites virais se territorializaram historicamente no Acre, possivelmente favorecidas por aspectos inadequados de vigilância epidemiológica, ligados com o controle de outras endemias que assolavam os municípios. Estes fatores, associados com as condições socioeconômicas e ambientais, com a desigualdade de renda, de escolaridade e de desenvolvimento humano desses espaços, permitiram que as relações que proporcionam a infecção e a transmissão dessas doenças fossem passadas de geração para geração. Esse processo resultou em territórios que apresentam, além de muitos casos notificados altas taxas de incidências como em Cruzeiro do Sul, Rio Branco, Tarauacá e Assis Brasil.


Palavras-chave


As hepatites virais são doenças causadas por vírus distintos (A, B, C e D), que têm em comum o acometimento particularmente forte do fígado humano. Objetivou-se mapear a distribuição das hepatites virais no Acre, no período de 2010 a 2014, por meio de doi

Referências


Acre, Governo do estado do. Acre em números. 2015.

Alves, V. A. F., Gayotto, L. C. C. Patologia das Hepatites. In: Silva, L. C. Hepatites agudas e crônicas. São Paulo: Sarvier; 1995. P. 40-55.

Atlas Brasileiro de Desastres Naturais: 1991 A 2012. Estado do Acre. Centro Universitário de Estudos e Pesquisas Sobre Desastres. Florianópolis: CEPED UFSC, 2013.

Barcellos, C., Bastos, F. I. Geoprocessamento, ambiente e saúde: uma união possível? Cad. Saúde Públ., Rio de Janeiro, 12(3):389-397, jul-set 1996.

Barrozo, L. V. Contribuições da cartografia aos estudos de geografia da saúde: investigando associações entre padrões espaciais. Revista do Departamento de Geografia – USP, Volume Especial Cartogeo (2014), p. 413-425.

Basso, L., Righi, E. Casos de Hepatite A e leptospirose no município de Porto Alegre – RS entre os anos de 2007 a 2011. Hygeia 11 (20): 66 - 84, Jun/2015.

Brasil, M. da S. Material instrucional para capacitação em vigilância epidemiológica das hepatites virais. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2008.

_______. A B C D E das hepatites virais para agentes comunitários de saúde. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. Brasília: Ministério da Saúde, 2009.

_______. Programa Nacional Para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. Brasília: Ministério da Saúde, 2011. Acesso em: 10/12/2015. Disponível no endereço: http://www.saude.gov.br/sps/areastecnicas/hepatite.htm

Carrilho, F. J., Silva, L. C. da. Epidemiologia. In: SILVA, L. C. da. Hepatites agudas e crônicas. São Paulo: SARVIER, 1995.

Carvalho, M. S. de., Zequim, M. A. Doenças infecto-contagiosas relacionada as carências habitacionais na cidade de Londrina – Paraná (Brasil). In: Carvalho, M. S. de. Geografia, meio ambiente e saúde em Londrina. Londrina: Edições Humanidades, 2005.

Censo Demográfico. % de domicílios particulares permanentes com banheiros ou sanitários. Brasil: 2010. Disponível em: . Acessado no dia 21/01/2016, às 08h40min da manhã.

Chen, J. T., Rehkopf, D. H., Waterman, P. D., Subramanian, S. V., Coull, B. A., Cohen, B., Ostrem, M., Krieger, K. Mapping and Measuring Social Disparities in Premature Mortality: The Impact of Census Tract Poverty within and across Boston Neighborhoods, 1999–2001. Journal of Urban Health: Bulletin of the New York Academy of Medicine, Vol. 83, No. 6, 1063-1084, 2006.

Cndss, C. N. S. D. S. da S. As causas sociais das iniquidades em saúde no Brasil. Ministério da Saúde, 2008.

Costa, K. M. de M., Almeida, W. A. F. de., Magalhães, I. B., Montoya, R., Moura, M. S., Lacerda, M. V. G. de. Malária em Cruzeiro do Sul (Amazônia Ocidental brasileira): análise da série histórica de 1998 a 2008. Rev Panam Salud Publica. 2010;28(5):353–60.

Dantas, T. O. M. Aspectos epidemiológicos da infecção pelo vírus da hepatite C e coinfecções com os vírus B e delta no estado do Acre, Amazônia Ocidental Brasileira. Tese (doutorado) – Universidade de Brasília, Núcleo de Medicina Tropical, 2010.

Farias, C. S. de., Silva, N. O. da. Sistema de informação geográfica - SIG aplicado no estudo da geografia das hepatites virais no Acre. Revista Brasileira de Geografia Física. V. 08 N. 03 (2015) 840-847.

Fonseca, C. F. da., Brasil, L. M. Infecção pelo vírus da hepatite C na região Amazônica brasileira. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. Hepatologia tropical. 37 (Suplemento II). 2004.

Fonseca, C. F. da. Histórico das Hepatites Virais. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. 43(3):322-330, mai-jun, 2010.

Haesbaert, R. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

Lobato, C. Tavares-Neto, J., Rios-Leite, M., Trepo, C., Vitvitski, L., Parvaz, P., Zoulim, F., D’Oliveira Jr, A., Paraná, R. Intrafamilial prevalence of hepatites B vírus in western brasilian amazon region: Epidemiologic and biomolecular study. Journal of Gastroenterology and Hepatology. 2006.

_______., Waldman, E. A. Aspectos epidemiológicos da hepatite B e prognóstico de cirrose em pacientes com hepatite B crônica na Amazônia Ocidental. JSM Gastroenterol Hepatol. 3(1): 1038. 2015.

Loiola, C. C. P., Silva, C. J. Mangabeira da; TAUIL, Pedro Luiz. Controle da malária no Brasil: 1965 a 2001. Rev Panam Salud Publica. 2002;11(4):235–44.

Martinelli, M. Mapas de geografia e cartografia temática. São Paulo: Contexto, 2013.

Nanni, A. S., Descovi Filho, L., Virtuoso, M. A., Montenegro, D., Willrich, G., Machado, P. H., Sperb, R., Dantas, G. S., Calazans, Y. Quantum GIS - Guia do Usuário, Versão 1.7.4 ’Wroclaw’. Acesso em: 2014. Disponível em: http://qgisbrasil.org.br

Nunes, H. M., Monteiro, M. R. de C. C., Soares, M. do C. P. Prevalência dos marcadores sorológicos dos vírus das hepatites B e D na área indígena Apyterewa, do grupo Parakanã, Pará, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 23(11):2756-2766, nov. 2007.

Peiter, P. A Geografia da Saúde na Faixa de Fronteira Continental do Brasil na Passagem do Milênio. Tese de doutorado. PPGG/UFRJ, julho de 2005.

Pina, M. de F. R. P. de. Potencialidades dos sistemas de informação geográficas na área da saúde. In: Najar, A. L., Marques, E. C. (org.). Saúde e espaço: estudos metodológicos e técnicas de análise. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 1998.

Pnud, P. das N. U. para o D. Atlas do desenvolvimento humano. Taxa de analfabetismo, índice de Gine e IDH-M do ano de 2010. Disponível em: http://www.atlasbrasil.org.br/2013/pt/consulta/ Acesso em: 2016.

Saquet, M. A. Por uma abordagem territorial. In: Saquet, M. A., Sposito, E. S. (Org.). Territórios e territorialidades: teorias, processos e conflitos. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

Silva, L. C. da. Conceito, tipos de hepatites por vírus e evolução dos conhecimentos. In: Silva, L. C. da. Hepatites agudas e crônicas. São Paulo: SARVIER, 1995.

Silva, A. R., Lopes, C. M., Muniz, P. Blitz do preservativo masculino e feminino: porte, acondicionamento e uso. DST – J Bras Doenças Sex Trans. 14 (5):22, 32, 2002.

Sin, S. de I. sobre M. Estatísticas vitais: Hepatite. Informação de saúde – TABNET: 2016. Disponível em: < http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php?area=0205&id=6937&VObj=http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?sim/cnv/obt10>, Acesso em: 18/09/2016.

Sinan, S. de I. de A. de N. Epidemiológicas e morbidade: hepatite. Informação de saúde – TABNET. Disponível em: , Acesso em: 18/09/2016.

Valle, S. da C. N. do. Hepatite B e Delta: avaliação de uma série de casos na regional do Juruá – estado do Acre. Dissertação de mestrado. Universidade do estado do Amazonas – UEA. Programa de pós-graduação em medicina tropical. Manaus, 2007.

Viana, S. Estudo soroepidemiológico das Hepatites B e Delta na população de doze municípios do estado do Acre, Brasil. Tese (doutorado) – Universidade de Brasília. Faculdade de Medicina, 2003.

_______. Alta prevalência de hepatite B e D na Amazônia Ocidental. Am. J. Trop. Med., 73(4), 2005, pp. 808–814.

WALDMAN, E. A. Vigilância em Saúde Pública, volume 7. São Paulo: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, 1998.

WOOD, D. The power of maps. Routledge: London, 1992.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Revista Brasileira de Geografia Física - eISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License