Fenologia da Salicornia neei Lag. cultivada no semiárido cearense (Phenology of the Salicornia neei Lag. Cultivated in Ceara Semiarid)

Paulo Ricardo Alves, Eliseu Marlônio Pereira de Lucena, Oriel Herrera Bonilla, Cesar Serra Bonifácio Costa

Resumo


A halófita Salicornia neei Lag. apresenta ciclo de vida perene e elevada tolerância à salinidade intersticial. Este trabalho objetivou caracterizar a fenologia e as exigências térmicas da Salicornia neei Lag. cultivada no semiárido cearense. O monitoramento ocorreu em área de cultivo de 200 m2 em Ocara-CE, semiárido cearense. Foram marcadas 20 plantas aleatoriamente (10 femininas e 10 masculinas), e irrigadas uma vez ao dia por 30 minutos. Foram observadas as fenofases de enfolhamento, queda foliar, floração e frutificação, no período de junho de 2014 a maio de 2015. O enfolhamento predominou durante todo o período monitorado, e apresentou uma baixa intensidade de queda foliar. A floração ocorreu de setembro de 2014 a março de 2015, e a frutificação ocorreu de setembro de 2014 até abril de 2015. Os resultados indicaram que a energia exigida por S. neei desde a marcação da planta até a flor em antese foi de 1.139,2 unidades de calor (UC). Para a frutificação, a partir da flor em antese até o estádio de fruto maduro foi de 1.282,4 UC. Conclui-se que a S. neei teve uma boa adaptação ao semiárido, alcançando todas as fenofases de seu ciclo perene, com uma irrigação diária. A falta de sincronia na floração e frutificação dificulta a colheita das plantas quando maduras, podendo induzir a erros, levando a uma subestimativa na produção de flores e frutos quando estimadas.

 

A B S T R A C T

The Halophyte Salicornia neei Lag. features perennial life cycle and high tolerance to salinity of interstitial. This work aimed to characterize the phenology and the thermal requirements of Salicornia neei Lag. grown in the semiarid. The monitoring occurred in growing area of 200 m2 in Ocara-CE, Ceara semiarid. 20 plants were marked at random (10 female and 10 male), and irrigated once a day for 30 minutes. Observed the phenophases of leafiness, fall foliage, flowering and fruiting in the period June 2014 to May 2015. The leafiness prevailed throughout the period monitored, and presented a low intensity of leaf fall.Flowering occurred September 2014 and March 2015, and fruiting occurred September 2014 until April 2015. The results indicated that the energy required by S. neei since marking of the plant until the flower anthesis was 1,139.2 heat units (HU). For the fruiting, from the flower anthesis until the mature fruit stage was of 1,282.4 HU.It is concluded that S. neei had a good adaptation to the semi-arid, reaching all the phenophases of your perennial cycle, with a daily irrigation. The lack of synchrony on flowering and fruiting difficult to harvest plants when mature, and may induce errors, leading to an underestimate in the production of flowers and fruit when estimated.

Keywords: Phenophase, halophytic vegetation, salinity


Palavras-chave


Fenofase, vegetação halofítica, salinidade

Texto completo:

PDF

Referências


Alonso, M.A.; Crespo, M.B., 2008. Taxonomic and nomenclatural notes on South American taxa of Sarcocornia A.J. Scott (Chenopodiaceae). Annales Botanici. Fennici 45, 241-254.

Amorim, I.L., Sampaio, E.V.S.B., Araújo, E.L., 2009. Fenologia de espécies lenhosas da caatinga do Seridó, RN. Revista Árvore, Viçosa 33, 491-499.

Bencke, C.S.C., Morellato, L.P.C., 2002. Estudo comparativo da fenologia de nove espécies arbóreas em três tipos de floresta atlântica no sudeste do Brasil. Revista Brasileira de Botânica 25, 237-248.

Berilli, S.S., Oliveira, J.G., Marinho, A.B., Lyra, G.B., Sousa, E.F., Viana, A.P., Bernardo, S., Pereira, M.G., 2007. Avaliação da taxa de crescimento de frutos de mamão (Caricapapaya L.) em função das épocas do ano e graus-dias acumulados. Revista Brasileira de Fruticultura 29, 11-14.

Bertin, R.L., Gonzaga, L.V., Borges, G.S.C., Azevedo, M.S., Maltez, H.F., Heller, M., Micke, G.A., Tavares, L.B.B., Fett, R., 2014. Nutrient composition and, identification/ quantification of major phenolic compounds in Sarcocornia ambígua (Amaranthaceae) using HPLC–ESI-MS/MS. Food Research International 55, 404- 411.

Bertin, R.L., Maltez, H.F., Gois, J.S., Borges, D.L.G., Borges, G.S.C., Gonzaga, L.V., Fett, R., 2016. Mineral composition and bioaccessibility in Sarcocornia ambigua using ICP-MS, Journal of Food Composition and Analysis.47, 45-51.

Busato, C.C.M., Soares, A.A., Motoike, S.Y., Busato, C., 2013. Fenologia e exigência térmica da cultivar de videira ‘Niágara Rosada’ produzida no Noroeste do Espírito Santo. Revista Trópica: Ciências Agrárias e Biológicas 7, 135-148.

Costa, C.S.B., Neves, L.S., 2006. Respostas Cromaticas de Salicornia gaudichaudiana Mog. (Chenopodiaceae) a diferentes níveis de radiação UV-B e salinidade. Atlântica. Rio Grande 28, 25-31.

Costa, C.S.B., 2011. Restoration of coastal salt marshes in Brazil using native salt marsh plants. In: Restoration Ecology (Greipsson, S. ed). Jones and Bartlett Publishers, Sudbury (MA. U.S.A.) 333-338.

Costa, C.S.B., Vicenti, J.R.M., Moron-Villareyes, J.A., Caldas, S.; Cardozo, L.V., Freitas, R.F., D’Oca, M.G.M., 2014. Extractionand characterization of lipids from Sarcocornia ambigua meal: A halophyte biomass produced with shrimp farm effluent irrigation. Anais da Academia Brasileira de Ciências 86, 935-943.

Costa, C.S.B., Herrera, O.B., 2016. Halophytic life in Brazilian salt flats: Biodiversity, uses and threats. In: Khan, M.A., Boër, B., Ozturk, M., Clüsener-Godt, M., Gul, B.; Breckle, S.-W. (ed.) Sabkha Ecosystem V: The Americas. Berlin: Springer, 11-27.

Costa, C.S.B., Chaves, F.C., Rombaldi, C.V., Souza, C.R., 2018. Bioactive compounds and antioxidant activity of three biotypes of the sea asparagus Sarcocornia ambigua (Michx.) M.A.Alonso & M.B.Crespo: A halophytic crop for cultivation with shrimp farm effluent. S. Afr. J. Bot. 117, 95–100.

Chitarra, M.I.F., Chitarra, A.B., 2005. Pós–colheita de frutas e hortaliças: fisiologia e manuseio, 2. ed. UFLA, Lavras.

D’oca, M.G.M. et al. 2012. Fatty acids composition in seeds of the South American glasswort Sarcocornia ambigua. Annals of the Brazilian Academy of Sciences 84, 245 – 261.

Davy, A.J., Costa, C.S.B., Proudfoot, A.M., Yaloop, A.R., Mohamed, M., 2000. Biotic Interactions In Plant Communities of Saltmarshes. In: Sherwook, B.R., Gardiner, T.G., Harris, B.R. (Org.). British Salthmarshes. 1 ed. Ceredgion (Inglaterra): Linnean Society/ Forrest Text, 109 – 127.

Davy, A.J., Bishop, G.F., Costa, C.S.B., 2001. Salicornia L. (Salicornia pusilla J. Woods, S. ramosíssima J. Woods, S. europea L., S. obscura P.W. Ball &Tutin, S. nitens P.W. Ball &Tutin, S. fragilis P.W. Ball &Tutin and S. dolichostachya Moss). Journal of Ecology, 681-707.

Doncato, K.B., Costa, C.S.B., 2017. Growth and mineral composition of two lineages of the sea asparagus Sarcocornia ambigua irrigated with shrimp farm saline effluent. Exp. Agric. 54, 399–416.

Ferreira, C. A., Torezan-Silingardi, M., 2013. Fenologia, morfologia floral e visitantes florais de duas espécies do gênero Banisteriopsis (Malpighiaceae) em uma reserva de Cerrado. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Conservação de Recursos Naturais) – Instituto de Biologia, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia.

Fournier, L.A., 1974. Um método cuantitativo para la medición de características fenológicas enarboles. Turrialba, Turrialba 24, 422-424.

Freire, M.B.G., Souza, E.R., Freire, F.J. Fitorremediação de solos afetados por sais. In: Gheyi, H.R.; Dias, N.S.; Lacerda, C.F., 2010. Manejo da salinidade na agricultura. Fortaleza, INCT Sal, 472p.

Greis, G., 2009. Cultivo de Salicornia gaudichaudiana Moq. irrigada com efluente de camarão no clima temperado na costa sul do Brasil. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-graduação em Oceanografia Biológica. Universidade Federal do Rio Grande - FURG, Rio Grande, RS.

IPECE. Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará, 2015. Perfil básico municipal 2015: Ocara. SEPLAG, Fortaleza. Disponível: http://www.ipece.ce.gov.br/publicacoes/perfil_basico/pbm-2015/Ocara.pdf. Acesso: 14 nov. 2016.

IPECE. Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará, 2016. Ceará em mapas: limites municipais e distritais região de planejamento Maciço de Baturité - 2016. SEPLAG, Fortaleza. Disponível: http://www2.ipece.ce.gov.br/atlas/capitulo1/11/pdf/Distritos_Baturite.pdf. Acesso: 14 nov. 2016.

Izeppi, E.M., 2011. Efeitos da densidade de plantio na sobrevivência, desenvolvimento e produção de biomassa da halófitas Sarcocornia ambígua (Michx.) Alonso & Crespo. Dissertação 70 f., Instituto de Oceanografia, Universidade Federal do Rio Grande - FURG, Rio Grande, RS.

Leite, M.S., Barros, F.J.A., Khoury, S.H., Bonilla, O.H., Costa, C.S.B., 2007. Cultivo de Plântulas de Salicornia gaudichaudiana Moq. para uso em Bioremediação junto a Viveiros de Criação de Camarão. Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre 5, 297-299.

Lucena, E.M.P. de, 2006. Desenvolvimento e maturidade fisiológica de manga ‘Tommy Atkins’ no vale do São Francisco. Tese (Doutorado em Agronomia/Fitotecnia). Fortaleza, Universidade Federal do Ceará.

Martins, F.B., Reis, D.F.da., Pinheiro, M.V.M., 2012. Temperatura base e filocrono em duas cultivares de oliveira. Ciência Rural 42, 1975-1981.

Morellato, L.P.C., 1991. Estudo da fenologia de árvores, arbustos e lianas de uma floresta semidecídua no sudeste do Brasil. Tese de Doutorado, Universidade de Campinas, Campinas, São Paulo.

Muniz, L.F., Pereira, J.M.R., Ximenes Junior, C.L., Studar, T.M.C., 2017. Classificação climática para o estado do ceará Utilizando distintos sistemas de caracterização. In: Anais do XXII Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos. Florianópolis, SC. 1 – 8.

Müller, L., Manfron, P.A., Medeiros, S.L.P., Streck, N.A., Mittelmman, A., Neto, D.D., Bandeira, A.H., Morais, K.P., 2009. Temperatura base inferior e estacionalidade de produção de genótipos diploides e tetraploides de azevém. Ciência Rural 5, 1343-1348.

Nielsen, A.L., Chen, S., Fleischer, S.J., 2016. Coupling developmental physiology, photoperiod and temperature to model phenology and dynamics of an invasive heteropteran, Halyomorphahalys. Frontiers in Physiology 7, 1 - 4.

Oliveira, A.D. de. et al., 2009. Graus dias acumulados para a berinjela em Seropédica-RJ. XVI Congresso Brasileiro de Agrometeorologia. Anais... Belo Horizonte, MG., CD Rom. Disponível: http://www.sbagro.org.br/anais_congresso_2009/cba2009/033.pdf

Parida, A.K., Jha, B., 2010. Antioxidative defense potential to salinity in the Euhalophyte Salicornia brachiata. Journal of Plant Grown Regulation 29, 137-148.

Pereira, V. da. C., Vieira, R.Y.M., Espínola Sobrinho, J., Oliveira, A.D. de., Cavalcante Junior, E.G., Almeida, B.M. de., Borges, V.P., Silva, F.G. da., Oliveira, I.A. de., 2010. Graus-dias acumulados e índice de área foliar para a cultura do melão em Mossoró-RN. XVI Congresso Brasileiro de Meteorologia. Anais... Belém do Pará, PA. CD Rom. Disponível: http://www.sbmet.org.br/cbmet2010/artigos/116_46462.pdf

Pereira, J.B.A., 2006. Avaliação do Crescimento, Necessidade Hídrica e Eficiência no Uso da Água pela Cultura do Pimentão (Capsicum Annuum. L), sob Manejo Orgânico nos Sistemas de Plantio com Preparo do Solo e Direto – Seropédica, RJ. Dissertação (Mestrado). Seropédica, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

Porto, E.R., Amorin, M.C.C., Dutra, M.T.D., Paulino, R.V., Brito, L.T.L., Matos, A.N.B., 2006. Rendimento da Atriplex numularia irrigada com efluentes da criação de tilápia em rejeito da dessalinização de água. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 10, 97-103.

Puente, E.O.R., 2003. Estudio de lafenología y potencial productivo de lahalofita Salicornia bigelovii (Torr.) com la asociación de bactérias fijadoras de nitrógeno. Playa Palo de Santa Rita Sur La Paz, B.C.S. México. Tese (Doutorado). Centro de Investigaciones Biológicas del Noroeste, S.C.

Roberto, S.R., Sato, A.J., Brenner, E.A., Jubileu, B.S., Santos, C.E.S., Genta, W., 2005. Caracterização da fenologia e exigência térmica (graus-dias) para uva 'Cabernet Sauvignon' em zona subtropical. Acta Scientiarum. Agronomy 27, 183-187.

Rosa, H.T., Walter, L.C., Streck, N.A., Alberto, C.M., 2009. Métodos de soma térmica e datas de semeadura na determinação de filocrono de cultivares de trigo. Pesquisa Agropecuária Brasileira 44, 1374–1382.

Ruana, C.J., Lia, H., Guob, Y.Q., Qinb, P., Gallagherc, J.L., Seliskarc, D.M., Luttsd, S., Mahye, G., 2008. Kosteletzkya virginica, an agroecoengineering halophytic species for alternative agricultural production in China's east coast: Ecological adaptation and benefits, seed yield, oil content, fatty acid and biodiesel properties. Ecological Engineering 32, 320-328.

Scoriza, R.N., Piña-Rodrigues, F.C.M., 2014. Influência da precipitação e temperatura do ar na produção de serapilheira em trecho de floresta estacional em Sorocaba, SP. FLORESTA 44, 687 - 696. Disponível: http://dx.doi.org/10.5380/rf.v44i4.34274. doi.org/10.5380/rf.v44i4.34274.

Taiz, L., Zeiger, E., 2013. Fisiologia Vegetal. 5.ed. Porto Alegre: Artmed, 954p.

TROPICOS. Tropicos.org. Missouri Botanical Garden, 2019. Disponível em: < http://www.tropicos.org/NamePage.aspx?nameid=7200300 >. Acesso em: 16 jan 2019.

Timm, T.G., Silva Jr., A.A., Bertin, R.L., Tavares, L.B.B., 2015. Processamento de conservas de Sarcocornia perennis. Agropecuaria Catarinense 28, 97-102.

Tubelis, A., Nascimento, F.J.L., 1992. Meteorologia descritiva: fundamentos e aplicações brasileiras. Nobel, São Paulo.

Van Schaik, J.W., Terborgh, S.J., 1993. The phenology of tropical forests: Adaptive significance and consequences for primary consumers. Annual Review of Ecology and Systematics 24, 353-377.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v12.2.p489-504

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Revista Brasileira de Geografia Física - eISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License