Análise multitemporal de uso e ocupação do solo (1977-2018) e identificação de impactos ambientais negativos no município de Assú/RN (Multitemporal analysis of land use and occupation (1977-2018) and identification of negative environmental impacts in the city of Assú/RN)

João Paulo Rodrigues Araújo, Alfredo Marcelo Grigio, Manoel Cirício Pereira Neto

Resumo


A preocupação diante o cenário de degradação ambiental em todo o mundo tem incentivado uma diversidade de estudos, que inserem o homem como principal fator de modificação dos ambientes naturais no planeta. A ocupação do Nordeste brasileiro foi estruturada principalmente na agricultura e pecuária, de modo a fornecer as bases à economia regional e proporcionar uma reestruturação diversificada na paisagem, intensificando os processos de modificação na mesma. O avançado aparato tecnológico proporcionado pela cartografia temática, a análise e estudo dos ambientes modificados pela ação antrópica ficou mais rápida e precisa. Nesse contexto o planejamento territorial é um grande auxiliador na tomada de decisões e desenvolvimento integrado na área de municípios, proporcionando a definição e organização do território, com relação a ocupação e desenvolvimento de atividades, proporcionando a diminuição de impactos negativos e danos ao meio ambiente. A área de estudo é o município de Assú que se encontra localizado na região Oeste do Estado do Rio Grande do Norte. Esse estudo se dispõe a realizar uma análise multitemporal do uso e ocupação no município de Assú/RN, identificando os principais impactos negativos encontrados na área atualmente. Foram elaborados mapas temáticos de uso e ocupação, como suporte para uma observação que compreendeu os anos de 1977, 1987, 1998, 2008 e 2018 - uma escala temporal de 40 anos. Com os resultados obtidos proporciona-se, então, importantes subsídios para a implementação de políticas públicas de ordenamento do território, através da compreensão de sua dinâmica social e as suas consequências na configuração do meio.

 

 

A B S T R A C T

Concern about the scenario of environmental degradation worldwide has encouraged a variety of studies, inserting the man as the main factor modification of natural environments on the planet.  The occupation of the Brazilian Northeast is structured mainly on agriculture and livestock activities that underlie the regional economy, this factor is providing a diversified restructuring in the landscape, in this way human actions intensify the processes of modification in the same. The advanced technological apparatus provided by thematic mapping, analysis and study of environments modified by human action was faster and more accurate. Thus, territorial planning is a great helper in decision making and integrated development in the area of municipalities, providing the definition and organization of the territory and region, regarding the occupation and development activities, providing the reduction of impacts and damage to the environment in a negative way. The study area is the municipality of Assú which is located in the West region of the state of Rio Grande do Norte. The study proposes to achieve a multitemporal analysis of the use and occupation in the city of Assú/RN, identifying the main negative impacts found in the area. Then, it provides important support to the implementation of public policy planning, allowing understanding of territorial dynamics and how this influences the environment.

Keywords: Landscape; Thematic Cartography; Territorial Planning.


Palavras-chave


Paisagem, Cartografia Temática, Ordenamento Territorial.

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. 2010. Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Brasília, DF. Agosto.

Campanha, Mônica Matoso; Araújo, Francisca Soares de. 2010. Árvores e arbustos do sistema agrossilvipastoril Caprinos e Ovinos, CE /por Mônica Matoso Campanha e Francisca Soares de Araújo. Sobral: Embrapa Caprinos e Ovinos.

Castro, Nivalde; Pacheco, Carlos. 2009. Análise das Possibilidades de expansão do uso do Gás Natural na Indústria Cerâmica Brasileira. 2005, n.d. In. Prudêncio, Marivan Almeida; Cândido, Daniela Karina. Degradação da vegetação nativa do município de Assu/RN: indicadores e ações mitigadoras. Sociedade e Território, Natal, v. 21, nº 1 – 2 (Edição Especial), p. 144 -156, jan./dez.

Costa, S. M. F. 2003. A antropogeografia de Ratzel. In: IBGE. 2013. Manual técnico de uso da terra, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 3ª edição. Rio de Janeiro.

De Deus, Rafael Mattos; Bakonyi, Sonia Maria Cipriano. 2012. O impacto da agricultura sobre o meio ambiente. Rev. Elet. em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental. V (7), nº 7, p. 1306-1315, MAR-AGO.

EMPARN. Empresa de Pesquisas Agropecuárias do Rio Grande do Norte. 2019. Monitoramento Pluviométrico. Disponível em: < http://189.124.130.5:8181/monitoramento/monitoramento.php> Acessado em 19 de Fevereiro de 2019.

França, E. M. S. Chaves, A. M. S. Costa, S. O. S. 2015. Resíduos sólidos e a não transgressão da legislação ambiental: um estudo no município de Garanhuns-PE. Revista do Centro de Ciências Naturais e Exatas – UFSM Santa Maria. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental - V. 19, n. 2, mai- ago. p. 281-291.

Grigio, A. M., 2009. Evolução da Paisagem do Baixo Curso do Rio Piranhas-Assu (1988-2024): Uso de Autômatos Celulares em modelo Dinâmico Espacial para Simulação de Cenários Futuros. 29 de fevereiro de 2008. 247p. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2017. Cidades. Disponível em: < https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rn/acu/panorama> Acessado em: 19 de fevereiro de 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Demográfico e contagem, 2010. Disponível em: . Acesso em: abr. 2018.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2010. Manual Técnico de Uso da Terra. Rio de Janeiro.

IDEMA. Instituto de Defesa do Meio Ambiente, 2008. Perfil do seu Município. Assú. Disponível em: < http://www.idema.rn.gov.br/Conteudo.asp?TRAN=CATALG&TARG=61&ACT=null&PAGE=0&PARM=null&LBL=Socioecon%C3%B4mico>. Acesso em: mai. 2018.

Johnson, D. L. et al. 1997. Meanings of enviromental terms. Journal of enviromental quality, n. 26, p. 581-589. In. SANCHEZ, L. E., 2013. Avaliação de impacto ambiental: conceitos e métodos. 2. ed., São Paulo: Oficina de Textos.

Lopes, D. N. 2018. Vulnerabilidade natural e ambiental e análise multitemporal do uso e ocupação dos solos do município de Tibau – RN. 47f. Dissertação (Mestrado) Programa de pós-graduação em ciências naturais, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Mossoró.

Paese, Joel. 1997. O desemprego no mundo do trabalho: estudo das trajetórias de desempregados no mercado de trabalho. 208 f. Dissertação (Mestrado) Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Pereira Neto, M. C.; Fernandes, E. 2015. Fragilidade ambiental da bacia hidrográfica do rio Seridó (RN/PB – Brasil). Revista Brasileira de Geomorfologia, São Paulo, v.16, n.3, p. 399-411.

Pereira Neto, M. C. Fernandes, E. 2016. Instabilidade emergente e aspectos de degradação ambiental da bacia hidrográfica do rio Seridó (RN/PB – Brasil). Revista de Geografia (Recife), v. 33, No. 1.

Pereira Neto, M. C.; Peixoto, M. C. S; Araújo, J. P. R. 2017. Abordagem perceptiva aplicada à análise dos riscos de inundação no município de Ipanguaçu/RN – Brasil. Boletim de Geografia. Maringá, v. 35, n. 1, p. 134-147, .

Prudêncio, Marivan Almeida; Cândido, Daniela Karina. 2009. Degradação da vegetação nativa do município de Assu/RN: indicadores e ações mitigadoras. Sociedade e Território, Natal, v. 21, nº 1 – 2 (Edição Especial), p. 144 -156.

QGIS Development Team. 2009. QGIS Geographic Information System. Open Source Geospatial Foundation.

Rio Grande do Norte. Decreto Nº 27.764, de 16 de março de 2018. Declara Situação de Emergência nas áreas dos Municípios do Estado do Rio Grande do Norte, afetados por desastre natural climatológico por estiagem prolongada que provoca a redução sustentada das reservas hídricas existentes (COBRADE/1.4.1.2.0 – Seca). 2018. Disponível em: < http://www.diariooficial.rn.gov.br/dei/dorn3/docview.aspx?id_jor=00000001&data=20180317&id_doc=603018> Acessado em: 19 de fevereiro de 2019.

Sanchez, L. E. 2013. Avaliação de impacto ambiental: conceitos e métodos. 2. ed., São Paulo: Oficina de Textos.

Santos, Rozely Ferreira. 2004. Planejamento Ambiental: teoria e pratica. São Paulo: Oficina.

Silva, F. M. 2013. Análise da vulnerabilidade ambiental no estuário do Rio Curimataú/Cunhaú, Baía Formosa e Canguaretama – RN/ 152 f. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes. Programa de Pós-Graduação em Geografia, Natal.

USGS. United States Geological Survey. 1977. Using the USGS Landsat 2 Product. Disponível em: . Acesso em: 08 julho 2018.

USGS. United States Geological Survey. 2008. Using the USGS Landsat 5 Product. Disponível em: . Acesso em: 08 julho 2018.

USGS. United States Geological Survey. 1998. Using the USGS Landsat 5 Product. Disponível em: . Acesso em: 08 julho 2018.

USGS. United States Geological Survey. 1987. Using the USGS Landsat 5 Product. Disponível em: . Acesso em: 08 julho 2018.

USGS. United States Geological Survey. 2018. Using the USGS Landsat 8 Product. Disponível em: . Acesso em: 08 julho 2018.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v12.4.p1538-1553

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License