Análise espacial da morbimortalidade humana associada ao saneamento, destinação do lixo,abastecimento e tratamento de água

Jéssica Mazutti Penso-Campos, Eduardo Périco, Eliane Fraga da Silveira

Resumo


A negligência relacionada ao saneamento inadequado e à destinação incorreta de lixo tornam-se fatores que contribuem para a contaminação hídrica, assim como, a problemática da poluição ambiental é notória. O objetivo do estudo consistiu em analisar e estabelecer o grau de risco dos municípios do Rio Grande do Sul em relação à morbimortalidade humana associada ao saneamento, destinação do lixo e abastecimento e tratamento de água.A análise das áreas mais suscetíveis é relevante, uma vez que possibilita o planejamento e execução das ações emergentes, bem como, estratégias de promoção da saúde. Trata-se de um estudo quantitativo e ecológico, cuja unidade de análise caracteriza-se pelo conjunto de internações hospitalares e de óbitos, ocasionados pelas doenças de transmissão hídrica e alimentar (DTHA), em relação às condições de abastecimento e tratamento de água, condições sanitárias e de destinação de lixo.Para a análise, utilizou-se a correlação de Pearson, o Índice de Moran Global e a Interpolação Linear Simples. Como resultados mapas de distribuição espacial das variáveis e mapa final de suscetibilidade às DTHA foram organizados. Aponta-se associação significativa entre a destinação de fezes/urina em esgoto e, o consumo de água sem tratamento com os coeficientes de internação e de óbito pelas DTHA. Os resultados apresentam a escala do cálculo de risco, para as DTHA, em mapa temático. Existe associação entre a morbimortalidade com variáveis de saneamento, assim como a existência de municípios com grau máximo de suscetibilidade para as DTHA.


Palavras-chave


contaminação hídrica, poluição ambiental, doenças de transmissão hídrica e alimentar, ambiente e desenvolvimento, sustentabilidade

Referências


Angelini, M., Stehling, E.G., Moretti, M.L., Silveira, W.D., 2009. Molecular epidemiology of Shigella spp strains isolated in two different metropolitam areas of southeast Brazil. Brazilian Journal of Microbiology [online] 40. Disponível: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-83822009000300034&lng=en. Acesso: 23 abr. 2019.

Araújo, G.F.R., Alves, R.I..S., Tonani, K.A.A., Ragazzi, M.F., Julião, F.C., Sampaio, C.F., Cardoso, O.O., Segura-Muñoz, S.I., 2011. Qualidade físico-química e microbiológica da água para o consumo humano e a relação com a saúde: estudo em uma comunidade rural no estado de São Paulo. O Mundo da Saúde [online] 35. Disponível: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/qualidade_fisico_quimica_microbiologica_%C3%A1gua_consumo_humano.pdf. Acesso: 23 abr. 2019.

Athayde Júnior, G.B., Nóbrega, C.C., Gadelha, C.L.M., Souza, I.M.F., Fagundes, G.S., 2009. Efeito do antigo Lixão do Roger, João Pessoa, Brasil, na qualidade da água subterrânea local. Ambiente & Água - An Interdisciplinary Journal of Applied Science [online] 4. Disponível em: http://www.ambi-agua.net/seer/index.php/ambi-agua/article/download/182/294. Acesso: 23 abr. 2019.

Barcat, J.A., 2014. Filippo Pacini y el cólera, 1854. Medicina (Buenos Aires) [online] 74. Disponível: http://www.scielo.org.ar/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0025-76802014000100018&lng=es. Acesso: 23 abr. 2019.

Borbolla, M., Cruz, L., Piña, O., Fuente, J., Garrido, S., 2003. Calidaddel agua en Tabasco. Saluden Tabasco [online] 9. Disponível: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=48709106. Acesso: 23 abr. 2019.

Brasil, 2006. Vigilância e Controle da Qualidade da Água para Consumo Humano. Ministério da Saúde: Brasília. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/vigilancia_controle_qualidade_agua.pdf. Acesso: 23 abr. 2019.

Brasil, 2007. Introdução à Estatística Espacial para a Saúde Pública. Ministério da Saúde, Brasília. Disponível em: http://pesquisa.bvsalud.org/bvsms/resource/pt/mis-22623. Acesso: 23 abr. 2019.

Brasil, 2011. Portaria nº 2.914, de 12 de dezembro de 2011. Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade [online]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2914_12_12_2011.html. Acesso: 23 abr. 2019.

Brasil. Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental - SNSA, 2007. Operação e manutenção de estações: abastecimento de água: guia do profissional em treinamento: nível 1 [online]. Belo Horizonte: ReCESA. Disponível em: http://nucase.desa.ufmg.br/wp-content/uploads/2013/04/AA-OMETA.1.pdf. Acesso: 27 abr. 2019.

Cavalcante, R.B.L., 2014. Ocorrência de Escherichia coli em fontes de água e pontos de consumo em uma comunidade rural. Revista Ambiente & Água [online] 9. Disponível: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-993X2014000300015&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso: 23 abr. 2019.

Ciminelli, V.S.T., Barbosa, F.A.R., Tundisi, J.G., Duarte, H.A., 2014. Recursos Minerais, Água e Biodiversidade. Cadernos Temáticos de Química Nova na Escola [online], 8. Disponível: http://qnesc.sbq.org.br/online/cadernos/08/08-CTN6.pdf. Acesso: 23 abr. 2019.

Coelho, M.I.S., Mendes, E.S., Cruz, M.C.S., Bezerra, S.S., Pinheiro, R.P., 2010. Avaliação da qualidade microbiológica de águas minerais consumidas na região metropolitana de Recife, Estado de Pernambuco. Acta Scientiarum - Health Sciences [online] 32. Disponível: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciHealthSci/article/view/3837/3837. Acesso: 23 abr. 2019.

Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA. Resolução nº 357, de 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Disponível em: http://www2.mma.gov.br/port/conama/res/res05/res35705.pdf. Acesso: 23 abr. 2019.

Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA. Resolução nº 396, de 3 de abril de 2008. Dispõe sobre a classificação e diretrizes ambientais para o enquadramento das águas subterrâneas e dá outras providências. Disponível em: http://pnqa.ana.gov.br/Publicacao/RESOLU%C3%87%C3%83O%20CONAMA%20n%C2%BA%20396.pdf. Acesso: 23 abr. 2019.

Cunha e Silva, D.C., Lourenco, R.W., Cordeiro, R.C., Cordeiro, M.R.D., 2014. Análise da relação entre a distribuição espacial das morbidades por obesidade e hipertensão arterial para o estado de São Paulo, Brasil, de 2000 a 2010. Ciência e saúde coletiva [online] 19. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232014000601709&lng=pt. Acesso: 29 abr. 2019.

Fajersztajn, L., Alves, N.O., Coelho, M.S.Z.S., Veras, M.M., Saldiva, P.H.N., 2016. How can ecological urbanism promote human health?.URBE - Revista Brasileira de Gestão Urbana [online] 8. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-33692016000100077&lng=en&nrm=iso&tlng=en. Acesso: 23 abr. 2019.

Howard, T., 2000. Heavy Metals in the Environment. Using wetlands for their removal. Alemania: Lewis Publisher. p. 31-48.

Ishii, S., Sadowsky, M.J., 2008. Escherichia coli in the environment: Implications for water quality and human health. Microbes Environ [online] 23. Disponível em: https://www.jstage.jst.go.jp/article/jsme2/23/2/23_2_101/_pdf/-char/en. Acesso: 23 abr. 2019.

Kieling-Rubio, M.A., Benvenuti, T., Costa, G.M., Petry, C.T. Rodrigues, M.A.S. Schmitt, J.L. Droste, A., 2015. Integrated Environmental Assessment of streams in the Sinos River basin in the state of Rio Grande do Sul, Brazil. Brazilian Journal of Biology [online] 75. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-69842015000300018&lng=en. Acesso: 23 abr. 2019.

Libânio, P.A.C., Chernicharo, C.A.L., Nascimento, N.O., 2005. A dimensão da qualidade de água: avaliação da relação entre indicadores sociais, de disponibilidade hídrica, de saneamento e de saúde pública. Engenharia Sanitaria e Ambiental [online] 10. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-41522005000300006&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso: 29 abr. 2019.

Machado, C.J.S., 2003. Recursos Hídricos e Cidadania no Brasil: Limites, Alternativas e Desafio. Ambiente & Sociedade [online] 6. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-753X2003000300008&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso: 23 abr. 2019.

Mendes, M.P., Silva, N.G., Carvalho, J.C., Pereira, Junior, J., Diniz, V.B., 2016. Avaliação da qualidade da água dos bebedouros da Universidade do Estado do Pará na cidade de Belém Pará, Brasil [online] 12. Disponível em: https://www.scientiaplena.org.br/sp/article/view/3067. Acesso: 23 abr. 2019.

Mendonça, M.H.M., Roseno, S.A.M., Cachoeira, T.R.L., Silva, Á.F.S., Jácome, P.R.L.A, Jácome Júnior, A.T., 2017. Análise bacteriológica da água de consumo comercializada por caminhões-pipa. Revista Ambiente & Água [online] 12. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-993X2017000300468&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso: 23 abr. 2019.

Müller, L.R., Parussolo, L. Qualidade microbiológica da água utilizada para consumo em escolas municipais de Mamborê, Paraná. SaBios Revista de Saúde e Biologia [online] 9. Disponível em: http://revista2.grupointegrado.br/revista/index.php/sabios2/article/view/1548. Acesso: 23 abr. 2019.

Novotny, V., 1995. Diffuse Sources of Pollution by Toxic Metals and Impact on Receiving Waters. Heavy Metals [online]. Disponível em: https://www.springer.com/gp/book/9783642793189. Acesso: 23 abr. 2019.

Oliveira, G.A., Nascimento, E.L., Rosa, A.L.D., Lauthartte, L.C., Bastos, W.R., Barros, C.G.D., Cremonese, E.R., Bento, A.Q., Malm, O., Georgin, J., Corti, A.M., 2015. Avaliação da qualidade da água subterrânea: estudo de caso de Vilhena – RO. Revista Águas Subterrâneas [online]. Disponível em: https://aguassubterraneas.abas.org/asubterraneas/article/view/28399. Acesso: 23 abr. 2019.

Organização das Nações Unidas - ONU. O Direito Humano à Água e Saneamento: Comunicado aos Média. Disponível em: http://www.un.org/waterforlifedecade/pdf/human_right_to_water_and_sanitation_media_brief_por.pdf. Acesso: 23 abr. 2019.

Organización Mundial de la Salud - OMS, 2012. Se cumple la meta sobre agua potable del Objetivo de Desarrollo del Milenio: La meta de saneamiento sigue estando muy retrasada. Disponível em: http://www.who.int/mediacentre/news/releases/2012/drinking_water_20120306/es/. Acesso: 23 abr. 2019.

Porto, L.C.S., Ethur, E.M., 2009. Elementos traço na água e em vísceras de peixes da Bacia Hidrográfica Butuí-Icamaquã, Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Ciência Rural [online] 39. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84782009000900020&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso: 23 abr. 2019.

Rodríguez, S., García, O., Muñoz, R., 2002. Una solución factible para la clarificación de aguas para consumo humano. Noticias Técnicas del Laboratorio [online] 1. Disponível em: http://www.labciencia.com/uploadverzeichnisse/downloads/artikel/2002/NTL102-254.pdf. Acesso: 23 abr. 2019.

Rouquayrol, M.Z., Almeida Filho, N., 2003. Epidemiologia e saúde. Rio de Janeiro, Medsi.

Sánchez-Martín, J., Alonso, J.J.B.H., Murillo, C.C., Pérez, P.G., 2011a. Absorbentes naturales a partir de taninos. Una propuesta de reutilización de residuos forestales para la purificación de aguas. Cuides. Cuaderno Interdisciplinar de Desarrollo Sostenible [online] 7. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/imagen/xicono_articulo.png.pagespeed.ic.3BiDQzXkIu.webp. Acesso: 23 abr. 2019.

Sánchez-Martín, J., Beltrán-Heredia, J., Gibello-Pérez P., 2011b. Adsorbent biopolymers from tannin extracts for water treatment. Chemical Engineering Journal [online] 168. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1385894711001902. Acesso: 27 abr. 2019.

Santos, E.L.B., 1994. Avaliação de fatores de risco da amebíase invasiva (Entamoeba histolytica Shaudinn, 1903) em duas áreas sem saneamento básico, Jardim Roriz, DF e Vila da Barca, PA. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical [online] 27. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86821994000100012&lng=en. Acesso: 27 abr. 2019.

São Paulo, 2005. Investigação de surto de febre tifóide em Santos, SP, 2004. Revista de Saúde Pública [online] 39. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102005000200027&lng=en&nrm=iso. Acesso: 23 abr. 2019.

Silva, Á.F.S., Lima, C.A., Queiroz, J.J.F., Jácome, P.R.L.A., Jácome Júnior, A.T., 2016. Análise bacteriológica das águas de irrigação de horticulturas. Revista Ambiente & Água [online] 11. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-993X2016000200428&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso: 27 abr. 2019.

Soto, C., Reina, E., 2012. Análisis de la calidad del agua en la subcuenca del Río Coca. Coca, Ecuador: Secretaría Nacional del Agua [online]. Disponível em: https://www.agua.gob.ec/wp-content/uploads/downloads/2012/07/InformeCocaFinal1.pdf. Acesso: 27 abr. 2019.

Tarqui-Mamani, C., Alvarez-Dongo, D., Gómez-Guizado, G., Valenzuela-Vargas, R., Fernandez-Tinco, I., Espinoza-Oriundo, P., 2016. Calidad bacteriológica del agua para consumo en tres regiones del Perú. Revista de Salud Pública [online] 18. Disponível: http://www.scielo.org.co/scielo.php?pid=S0124-00642016000600904&script=sci_abstract&tlng=es. Acesso: 23 abr. 2019.

Tucci, C.E.M., 2001. Gestão da água no Brasil. Brasília: UNESCO. Disponível em: http://r1.ufrrj.br/lmbh/pdf/Outras%20publicacoes/LMBH_gestao_da_agua_no_Brasil.pdf. Acesso: 27 abr. 2019.

UNESCO, 2003. Water for people, water for life: The United Nations World Water Development Report [online]. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000129556. Acesso: 27 abr. 2019.

UNESCO, 2015. The United Nations world water development report 2015: water for a sustainable world [online]. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000231823. Acesso: 27 abr. 2019.

Wang, H., Masters, S., Edwards, M.A., Falkinham J.O., Pruden, A. Effect of disinfectant, water age, and pipe materials on bacterial and eukaryotic community structure in drinking water biofilm. Environmental Science and Technology [online] 48. Disponível em: https://pubs.acs.org/doi/10.1021/es402636u. Acesso: 27 abr. 2019.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Revista Brasileira de Geografia Física - eISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License