Parâmetros de Qualidade de Água em Nascentes no Município de Olho D’Água do Casado, Semiárido Alagoano

Ana Paula Lopes da Silva, Gabriel do Nascimento Alves, Anderson Marques Araújo do Nascimento, Álvaro dos Santos

Resumo


No Semiárido Alagoano os estudos sobre os parâmetros de qualidade de água ainda são pouco documentados e, em alguns casos, escassos, quando comparado à região costeira do estado, desta forma, análises esporádicas nesses corpos d’água tornam-se imprescindíveis. Objetivou-se no presente artigo analisar os parâmetros físico-químicos de qualidade de água em sete nascentes localizadas nas áreas rural e urbana do município de Olho D’Água do Casado, Semiárido Alagoano. Foram coletados dados in situ de pH, temperatura, sólidos totais e condutividade elétrica com auxílio de um sensor óptico. À exceção do parâmetro temperatura, constatou-se que a maioria das nascentes analisadas, nas duas áreas, apresentaram padrões de qualidade de água que extrapolam as diretrizes da Resolução CONAMA/2005. Comparativamente, as nascentes da área urbana apresentaram maior dinâmica e maiores níveis discrepantes nos parâmetros analisados. Faz-se necessário a elaboração de um quadro com medidas mitigadoras que abranjam tanto a esfera socioeconômica quanto a ambiental, visando dar a estes mananciais uma melhor proficiência para a população residente em seu entorno, tanto para fins de abastecimento quanto para criação e agricultura, e concomitantemente buscando o equilíbrio entre sua utilização e a reparação e preservação da dinâmica natural. É pertinente afirmar que o banco de dados obtido tem elevada relevância social, científica e ambiental no que concerne à qualidade de água no Semiárido Alagoano, servindo de base para o uso e manutenção consciente das nascentes estudadas e como subsídios para futuros trabalhos.

 

Water Quality Parameters in Springs in the Municipality of Olho D'Água do Casado, Alagoas Semiarid

 

A B S T R A C T

In the Alagoas Semiarid, studies about the parameters of water quality are still poorly documented and, in some cases, scarce when compared to the coastal region of the state, so sporadic analyzes in these bodies of water become essential. The aim of this study was to analyze the physical and chemical parameters of water quality in seven nascent located in the rural and urban areas of the municipality of Olho D'Água do Casado, Alagoas Semiarid. In situ data of pH, temperature, total solids and electrical conductivity were collected with the aid of an optical sensor. With the exception of the temperature parameter, it was verified that most of the nascents analyzed in both areas presented water quality standards that exceed the CONAMA/2005 Resolution guidelines. Comparatively, the nascents of the urban area presented greater dynamics and higher levels of discrepancy in the analyzed parameters. It is necessary to create a cadre with mitigating measures that cover both the socioeconomic and environmental spheres, aiming to give these sources a better proficiency for the population residing in their surroundings, both for sourcing purposes and for breeding and agriculture, and concomitantly seeking the balance between its use and the repair and preservation of the natural dynamics. It is pertinent to affirm that the database obtained has high social, scientific and environmental relevance regarding water quality in the Alagoas Semiarid, serving as a basis for the conscious use and maintenance of the nascents studied and as subsidies for future works.

Keywords: Spring, Semiarid, chemical-physical analysis.


Palavras-chave


Nascente, Semiárido, análise físico-química.

Texto completo:

PDF

Referências


Abreu, C. H. M., Cunha, A. C. 2017. Qualidade da água e índice trófico em rio de ecossistema tropical sob impacto ambiental. Eng Sanit Ambient [online] 22. Disponível: http:// DOI: 10.1590/S1413-41522016144803. Acesso: 24 jul. 2019.

ALAGOAS. SEPLAG – Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio/AL, 2015. Perfil municipal de Olho D’Água do Casado. Maceió.

Amaral, C. T., Silva, F. S. A. 2017. Qualidade da água em um igarapé balneário na Amazônia: estudo de caso em Porto Velho. InterEspaço [online] 3. Disponível://DOI:dx.doi.org/10.18764/2446-6549.v3n8p251-267. Acesso: 25 dez. 2018.

Andrade, J. A., Nunes, M. A. 2014. Acesso à água no Semiárido Brasileiro: uma análise das políticas públicas implementadas na região. Revista Espinhaço 3, p. 28-39.

Barreto, L.; Fraga, M. S.; Barros, F. M.; Rocha, F. A.; Amorim, J. S.; Carvalho, S. R.; Bonomo, P.; Silva, D. P. 2014. Estado trófico em uma seção do rio Catolé Grande sob diferentes níveis de vazão. Rev. Ambient. Água [online] 9. Disponível:// doi: 10.4136/ambi-agua.1231. Acesso: 14 dez. 2018.

Bomfim, E. O., Gadelha, C. L. M., Filgueira, H. J. A., Amorim, J. F., Amorim, D. S. 2015. Sustentabilidade hidroambiental de nascentes na Bacia Hidrográfica do Rio Gramame no Estado da Paraíba, Brasil. Soc. & Nat. [online] 27. Disponível: DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1982-451320150307. Acesso: 08 abr. 2019.

Brandini, N., Rodrigues, A. P. C., Abreu, I. M., Cotovicz Junior, L. C., Knoppers, B. A., Machado, W. 2016. Nutrient behavior in a highly-eutrophicated tropical estuarine system. Acta Limnologica Brasiliensia [online] 28. Disponível: http://dx.doi.org/10.1590/S2179-975X3416. Acesso: 09 dez. 2018.

CONAMA, 2005. Lei nº 357, de 17 de março.

Correia, L. J. H., Fernandes, A. J. D., Martins Lúcio, M. M. L., Tomaz, K. K. O., Honorato, M. B., Carneiro, E. N. 2015. Monitoramento da qualidade físico-química da água do estuário do Rio Paraíba – Cabedelo, PB. Revista Principia 27, 47-54.

Crispim, A. B., Souza, M. J. N., Queiroz, P. H. B., Silva, E. V. 2016. A questão da seca no Semiárido Nordestino e a visão reducionista do estado: a necessidade da desnaturalização dos problemas socioambientais. Ambiente & Educação 21, p. 39-59.

Damasceno, J., Souto, J. S. Indicadores biológicos do núcleo de desertificação do Seridó Ocidental da Paraiba. Revista de Geografia (UFPE), 31, p. 100-132.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, 2014. Sistema Brasileiro de classificação de solos. Brasília.

Ferreira, K, C. D., Lopes, F. B., Andrade, E. M., Meireles, A. C. M., Silva, G. S. 2015. Adaptação do índice de qualidade de água da National Sanitation Foundation ao semiárido brasileiro. Revista Ciência Agronômica [online] 46. Disponível: DOI: 10.5935/1806-6690.20150007. Acesso: 08 abr. 2019.

Gomes, R. C., Paiva, L. G. G., Oliveira, V. P. V. 2017. Elementos naturais que fundamentam a conservação das Serras Semiáridas do Centro-Oeste Cearense. Revista de Geografia (Recife) 34, p. 118-136.

Jardim, F. A., Sperling, E., Jardim, B. F. M., Almeida, K. C. B. 2014. Fatores determinantes das florações de cianobactérias na água do Rio Doce, Minas Gerais, Brasil. Eng Sanit Ambient. [online] 19. Disponível:// DOI: 10.1590/S1413-41522014019000001026. Acesso: 24 jul. 2019.

Jesus, J. B., Oliveira, L. S., Gama, D. C. 2018. Composição florística e caracterização do estado de conservação de nascentes no Centro-Leste da Bacia Hidrográfica do Rio Itapicuru, Semiárido da Bahia. Floresta [online] 48. Disponível: DOI: 10.5380/rf.v48 i2.55540. Acesso: 08 abr. 2019.

Lins, R. C., Martinez, J. M.; Marques, D. M.; Cirilo, J. M.; Medeiros P. R. P.; Fragoso Júnior, C. R. 2018. A Multivariate analysis framework to detect key environmental factors affecting spatiotemporal variability of chlorophyll-a in a tropical productive estuarine-lagoon system. Remote Sensing [online] 10. Disponível:// doi:10.3390/rs10060853. Acesso: 14 jul. 2019.

Marmontel, C. V. F., Rodrigues, V. A. 2015. Parâmetros indicativos para qualidade da água em nascentes com diferentes coberturas de terra e conservação da vegetação ciliar. Floresta e Ambiente [online] 22. Disponível:// dx.doi.org/10.1590/2179-8087.082014. Acesso: 14 jul. 2019.

Nascimento, A. M. A., Santos, A., Alves, G. N., Medeiros, P. R. P. 2019. Limnologia aplicada à análise de água em duas nascentes do Povoado Baixa da Areia, Alagoas. Revista Brasileira de Geografia Física 12, p. 574-591.

Rodrigues, R. F., Lima, P. M. L., Lima, A. M.., Masutti, C. S. M. 2015. Agricultura familiar no município de Jaguarari, Bahia: conservação de nascentes e expansão das ações ambientais por integração de saberes “etno” e acadêmico. Revista de Extensão da Univasf 3. p. 63-68.

Santana, N. R. F., Aguiar Neto, A. O., Silva, M. G., Garcia, C. A. B. 2016. Índice de qualidade da água nas nascentes do rio Piauitinga-SE por análise multivariada e o uso na irrigação. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada [online] 10. Disponível: DOI: 10.7127/rbai.v10n600441. Acesso: 29 mai. 2019.

Santos, E. O., Medeiros, P. R. P., Santos, C. J. S. 2018. Implicações socioambientais do processo de apropriação e uso do Rio Paraíba do Meio em Viçosa (AL). Revista Geonorte [online] 9. Disponível: http://DOI:10.21170/geonorte.2018.V.9.N.32.45.66. Acesso: 23 dez. 2018.

Santos, E. M. C., Araujo, K. D., Souza, M. A., Gomes, D. L., Silva, A. P. L., Lira, E. S., Silva, L. C. S., Costa, J. G. 2018. Alternativas de armazenamento e abastecimento de água em assentamentos rurais do Semiárido Alagoano. Caminhos de Geografia, [online] 19. Disponível: http://dx.doi.org/10.14393/RCG196809. Acesso: 08 abr. 2019.

Santos, G. R., Santos, E. M. C., Lira, E. S., Gomes, D. L., Souza, M. A., Araujo, K. D. 2017. Análise da precipitação pluvial e temperatura do ar de Olho D´Água do Casado, Delmiro Gouveia e Piranhas, Alagoas. REGNE 3, p. 16-27.

Santos, G. R., Santos, E. M. C., Lira, E. S., Gomes, D. L., Araujo, K. D. 2016. Respiração microbiana do solo relacionada ao conteúdo de água no solo e a temperatura do solo, na época do Equinócio de primavera, em Olho D’Água do Casado, Semiárido de Alagoas. REGNE 2, p. 884-893.

Silva, L. C. S., Silva, A. P. L., Alves, S. S., Santos Neto, P. 2016. Importância das nascentes do Semiárido Alagoano no abastecimento das populações rurais difusas. REGNE 2, p. 534-544.

Silva, A. P. L.; Ferreira Neto, J. V.; Silva, J. H. S. 2014. Estudo da vazão hídrica nas nascentes da Serra da Caiçara, município de Maravilha – Alagoas. Revista Reflexões e Práticas Geográficas 1, p. 82-92.

Souza, N. S., Sá-Oliveira, J. C., Silva, E. S. 2015. Avaliação da qualidade da água do Alto Rio Pedreira, Macapá, Amapá. Biota Amazônia [online] 5. Disponível: DOI: http://dx.doi.org/10.18561/21795746/biotaamazonia.v5n2p107-118. Acesso: 25 dez. 2018.

UFCG-Universidade Federal de Campina Grande, 2018. Dados climatológicos do Estado de Alagoas. Campina Grande.

Wlegand, M. C., Pledra, J. I. G., Araújo, J. C. 2016. Vulnerabilidade à eutrofização de dois lagos tropicais de climas úmido (Cuba) e semiárido (Brasil). Eng Sanit Ambient [online] 21. Disponível: DOI: 10.1590/S1413-41522016139527. Acesso: 08 abr. 2019.

Zanella, M. E. 2014. Considerações sobre o clima e os recursos hídricos do Semiárido Nordestino. Caderno Prudentino de Geografia 1, p. 126-142.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v12.6.p2271-2284

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License