Planos diretores na articulação da gestão de recursos hídricos com o uso do solo no entorno de reservatórios

Tatiana de Oliveira Calado, Maria do Carmo Sobral, Ariane Silva Cardoso, Erika Alves Tavares Marques

Resumo


A Política Nacional de Recursos Hídricos tem como uma das suas principais diretrizes a articulação da gestão da água com a gestão do uso do solo. Este trabalho tem como objetivo verificar se esta integração está sendo considerada nos instrumentos de gestão da bacia e do território onde se insere o açude Epitácio Pessoa, na Paraíba. Para tal, foi realizada análise do Plano Diretor da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba e dos planos diretores municipais de Boqueirão, Barra de São Miguel e Cabaceiras, localizados no entorno do reservatório. Foi verificado que existem coerências entre os objetivos, princípios e diretrizes dos documentos analisados. Os programas planejados pelo plano de bacia hidrográfica incorporam a questão do uso do solo como elemento a ser monitorado para garantir a qualidade das águas do reservatório. Os planos diretores municipais, que visam o ordenamento territorial, incorporam as questões dos recursos hídricos indiretamente ao regular as atividades no entorno, bem como ao incluir ações relativas ao saneamento, agricultura e gestão dos resíduos sólidos. Os zoneamentos dos municípios de Boqueirão e Barra de São Miguel realizam planejamentos estratégicos para conservação do açude Epitácio Pessoa. Entretanto, ressalta-se a necessidade de os planos de bacia hidrográfica incluírem orientações mais diretas aos municípios, e estes por sua vez, necessitam ampliar suas compreensões acerca da gestão dos recursos hídricos e incorporar o conceito de bacia hidrográfica na gestão integrada com os municípios vizinhos, buscando garantir a segurança dos recursos hídricos locais.

 

 

Master plans in articulation of water resource management with land use around reservoirs

 

A B S T R A C T

Brazil’s National Water Resources Policy has as one of its main guidelines the articulation of water management with the land use management. This work aims to verify if this integration is being considered in the management instruments of the river basin and territory where the Epitácio Pessoa Reservoir is located, in Paraiba. To this end, an analysis was made of the Paraiba River Basin Master Plan, along with the master plans of Boqueirão, Barra de São Miguel and Cabaceiras, municipalities located near the reservoir. It was verified that there are consistencies between the objectives, principles and guidelines of the documents. The programs planned by the basin plan incorporate the issue of land use as an element to be monitored to guarantee the quality of the water in the reservoir. The municipal master plans, which focus on territorial planning, incorporate water resources issues indirectly when regulating activities in their jurisdictions, and include actions related to sanitation, agriculture and solid waste management. The municipal zoning of Boqueirão and Barra de São Miguel carry out strategic planning for the conservation of the Epitácio Pessoa Reservoir. However, there is a need for basin plans to include more direct guidance for municipalities, which in turn need to broaden their understanding of water resource management and incorporate the concept of an interconnected river basin into integrated management with neighboring municipalities, seeking to ensure the security of local water resources.

Keywords: integrated management; land planning; water quality; zoning.

 


Palavras-chave


gestão integrada; ordenamento; qualidade da água; zoneamento.

Texto completo:

PDF

Referências


AESA. Agência Executiva de Gestão das águas. Governo da Paraíba, 2018. Rio Paraíba. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2018.

ANA. Agência Nacional de Águas, 2017. Reservatórios do Semiárido Brasileiro: Hidrologia, Balanço Hídrico e Operação. 103p.

Arana, A.R.A., Bezerra, J.P.P., Gonçalves, D.L., Leal, A.C., Osco, L.P., Ramos, A.P.M., 2018. Gestão das águas e planejamento ambiental: áreas de preservação permanente no manancial do alto curso do rio Santo Anastácio – SP. Revista Brasileira de Geografia Física, 11, 674-686.

Baker, A., 2003. Land use and water quality. Hydrology Process, 17, p. 2.499-2.500.

Barra de São Miguel (Município), 2014. Lei nº 91, de 15 de setembro de 2014. Institui o Plano Diretor Participativo do Município de Barra de São Miguel-PB. Barra de São Miguel.

Boqueirão (Município), 2016. Lei nº 1075, de 02 de dezembro de 2016. Institui o Plano Diretor Participativo do Município de Boqueirão e dá outras providências corretas correlatas.

Brasil, 2007. Lei nº 11.445, de 05 de janeiro de 2007. Estabelece as diretrizes nacionais para o saneamento básico.

Brasil, 2002. Resolução CONAMA nº 302, de 20 de março de 2002. Dispõe sobre os parâmetros, definições e limites de Áreas de Preservação Permanente de reservatórios artificiais e o regime de uso do entorno.

Brasil, 2001. Lei nº 10.257, de 10 de julho de 2001. Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. (Estatuto da Cidade).

Brasil, 1997. Lei nº 9.433, de 08 de janeiro de 1997. Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, regulamenta o inciso XIX do art. 21 da Constituição Federal, e altera o art. 1º da Lei nº 8.001, de 13 de março de 1990, que modificou a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989.

Cabaceiras (Município), 2008. Lei nº 686, de 13 de agosto de 2008. Institui o Plano Diretor Participativo do Município de Cabaceiras e dá outras providências.

Campos, V.N.O., Fracalanza, A.P., 2010. Governança das águas no brasil: conflitos pela apropriação da água e a busca da integração como consenso. Ambiente & Sociedade, 13, 365-382.

CBH. Comitês de Bacias Hidrográficas, 2018. O que é um CBH? Disponível em: . Acesso em: 06 out. 2018.

Collivignarelli, C., 2017. Segurança da água: um dos objetivos primários do nosso tempo. Ambiente & Água, 12, 1-7.

Consórcio TC/BR Riverside Technology Inc. Governo do Estado da Paraíba. Secretaria Extraordinária do Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos e Minerais – SEMARH, 2001. Plano Diretor de Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica do rio Paraíba.

Couto, R., Garcia, K.J., Silva, M.L., 2018. Conflitos de uso e ocupação do solo nas áreas de preservação permanente do Município de Inconfidentes – MG. Revista Brasileira de Geografia Física, 11, 2244-2259.

Fechini, J.A.L., Galvíncio, J.D., 2014. Uma Forma de Convivência Com a Seca: Bacia Hidrográfica do Rio Brígida - Pernambuco – Brasil. Revista Brasileira de Geografia Física, 07, 724-730.

Fernandes, D., Gonçalves, A.L., Antonello, I.T., Kanashiro, M., 2018. Planos Diretores Municipais: avaliação de instrumentos segundo princípios do Estatuto da Cidade. Geo UERJ [online], 32. Disponível: https://doi.org/10.12957/geouerj.2018. 33716. Acesso em 20 set. 2019.

Ferreira, V.O., Cupolillo, F., 2016. Diagnóstico, zoneamento, planejamento e gestão ambiental na dimensão territorial: diferenças e complementos. Revista Brasileira de Geografia Física, 09, 1428-1440.

Granziera, M.L.M., Jerez, D.M., 2019. Implementação de Políticas Públicas: desafios para integração dos planos diretores, de saneamento básico e de bacia hidrográfica. Revista Brasileira de Políticas Públicas, 3 (9), 230-248.

Gunkel, G., Selge, F., Keitel, J., Lima, D. Calado, S., Sobral, M., Rodriguez, M., Matta, E., Hinkelmann, R., Casper, P., Hupfer, M., 2018. Water management and aquatic ecosystem services of a tropical reservoir (Itaparica, São Francisco, Brazil). Regional Environmental Change, 18, 1913-1925.

Kunen, A., Tabalipa, N.L., Sabbi, V., Mello, N.A., 2019, Contextualização do desenvolvimento urbano do município de Pato Branco-PR nos últimos dez anos a partir de dados de sensoriamento remoto. Revista Brasileira de Geografia Física, 12, 681-696.

Medeiros, A.H.C., Oliveira, C.R., Marques, E.A.T., Assis, J.M.O., Sobral, M.C., 2018. Análise temporal do uso do solo no trecho Submédio da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco. Sustentare, Edição especial II SBHSF, 69-79.

MI. Ministério da Integração Nacional, 2004. RIMA - Projeto de Integração do Rio São Francisco com as Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional. 136 p.

Patrício, M. C. M.; Araújo, S. M. S. Indicadores socioambientais dos municípios de Cabaceiras e Barra de São Miguel - PB - Brasil: fragilidades e vulnerabilidades à Seca e à Desertificação. Espacios, v. 37, n. 24, 2016, 1-4. ISSN 0798 1015.

Peres, R. B., Silva, R. S., 2013. Análise das relações entre o Plano de bacia hidrográfica Tietê-Jacaré e os Planos Diretores Municipais de Araraquara, Bauru e São Carlos, SP: avanços e desafios visando a integração de instrumentos de gestão. Sociedade & Natureza, 25, 349-362.

Pizella, D. G, 2015. A relação entre Planos Diretores Municipais e Planos de Bacias Hidrográficas na gestão hídrica. Ambiente & Água, 10, p.635-645.

Pizella, D. G, 2019. Avaliação ambiental estratégica como instrumento para a gestão integrada dos recursos hídricos: estudo de caso do Plano de Bacia do São José dos Dourados e do Plano Diretor Municipal de Ilha Solteira, SP. Holos Environment, 19 (3), 338-355.

Santos, S.L.; Fernandes, V.O.; Medeiros, Y.D.P., 2019. Sustentabilidade de cidades no contexto da integração entre a gestão de recursos hídricos e o planejamento urbano territorial. Bahia Análise & Dados, 2 (29), 55-75.

Siegmund-Schultze, M., Köppel, J., Sobral, M. C., 2018. Unraveling the water and land nexus through inter and transdisciplinary research: sustainable land management in a semi-arid watershed on Brazil’s Northeast. Regional Environmental Change, 18, 2005-2017.

Silva, P. H. P., Ribeiro, M. M. R., Miranda, L. I. B., 2017. Uso de cadeia causal na análise institucional da gestão de recursos hídricos em reservatório no semiárido da Paraíba. Engenharia Sanitária e Ambiental, 22, 637-646.

Sobral, M. C., 2011. Estratégia de Gestão dos Recursos Hídricos no Semiárido Brasileiro. Revista Eletrônica do Prodema – Rede, 7, 76-82.

Sobral, M.C.; Assis, J.M.O.; Oliveira, C.R.; Silva, G.M.N.; Morais, M.; Carvalho, E.M.C., 2018. Impacto das mudanças climáticas nos recursos hídricos no Submédio da bacia hidrográfica do Rio São Francisco – Brasil. Revista Eletrônica do Prodema, 12, 95-106.

Souza Júnior, C. B.; Siegmund-Schultze, M.; Köppel, J.; Sobral, M.C, 2017. Sinais de um problema crônico: a governança hídrica carece promover os comitês de bacias, coordenar planos e gerir informações. Ambiente & Água, 12, 1054-1067.

Young, J.; Sedoura, F. M., 2019. Planos diretores municipais e planos de gestão das águas: uma análise comparada das cidades de Lisboa/PT e Porto Alegre/BR. Revista Brasileira de Gestão Urbana, 11, 1-16.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.3.p958-972

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License