Fragilidade ambiental no contexto de sítio urbano na sub-bacia hidrográfica do Rio Banabuiú - Ceará

Luis Ricardo Fernandes da Costa, Vládia Pinto Vidal de Oliveira, Jader de Oliveira Santos

Resumo


O presente artigo trata da dinâmica dos sistemas ambientais e discute a aplicação de modelos de fragilidade ambiental em áreas de entorno de sítios urbanos. A metodologia do trabalho, pautada nos estudos integrados, procura estabelecer a relação de variáveis físico-ambientais e definir o mosaico para o estudo dos sistemas ambientais. A abordagem procedida possibilitou, a partir de uma análise interdisciplinar, visualizar a dinâmica dos sítios urbanos através da aplicação de quatro modelos de fragilidade ambiental. Os resultados demonstraram a importância da aplicação de diferentes modelos de fragilidade ambiental (potencial e emergente), com apoio de análises estatísticas, o que demonstrou, em diferentes situações, os elevados graus de degradação nas áreas de entorno dos sítios urbanos.

 

Environmental fragility in the context of an urban site in the basin of the banabuiú river – Ceará

 

A B S T R A C T

This article deals with the dynamics of environmental systems and discusses the application of models of environmental fragility in areas surrounding urban sites. The work methodology, based on the integrated studies, seeks to establish the relationship of physical-environmental variables and to define the mosaic for the study of environmental systems. Based on an interdisciplinary analysis, the approach made possible to visualize the dynamics of the urban sites through the application of four models of environmental fragility. The results demonstrated the importance of the application of different models of environmental fragility (potential and emergent), with the support of statistical analysis, which demonstrated, in different situations, the high degrees of degradation in the surrounding areas of urban sites.

Keywords: Integrated analysis. Environmental systems. Urban site.


Palavras-chave


Análise integrada. Sistemas ambientais. Sítio urbano.

Texto completo:

PDF

Referências


AB’SABER, A. N, 1975. Formas de relevo: texto básico. Edart. São Paulo.

AB’SABER, A. N, 2007. Geomorfologia do Sítio Urbano de São Paulo. Ed. Fac-Similar - 50 anos. São Paulo: Ed. Ateliê.

BOTELHO, R. G. M.; SILVA, A. S. da, 2004. Bacia Hidrográfica e Qualidade Ambiental. In: VITTE, Antônio C.; GUERRA, Antônio J. T. (orgs). Reflexões sobre a Geografia Física no Brasil. Bertrand Brasil, 2 ed. Rio de Janeiro.

CASTILHO, C. J. M., 2011. O Ambiente Urbano numa Perspectiva Interdisciplinar:Discussão de Conceitos que Tratam das Inter-Relações Sociedade-Natureza,a partir da Geografia do Recife. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 04, n. 05.

CEARÁ. Assembleia Legislativa, 2009. Caderno regional da sub-bacia do Banabuiú / Conselho de Altos Estudos e Assuntos Estratégicos. SANTANA, E.W. de (Coordenador). – Fortaleza: INESP.

CHIRISTOFOLETTI, A, 1999. Modelagem de Sistemas Ambientais. São Paulo: Ed. Edgard Blucher.

CRISPIM, A. B, 2016. Fragilidade ambiental decorrente das relações sociedade/natureza

no semiárido brasileiro: o contexto do município de Quixadá-CE. Tese de

Doutorado. Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza.

GUERRA, A.T.; GUERRA, A. J. T, 1997. Novo Dicionário Geológico-Geomorfológico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2009. Manual técnico de geomorfologia/IBGE, Coordenação de Recursos Naturais e Estudos Ambientais. – 2. ed. - Rio de Janeiro : IBGE.

MENDONÇA, F.; LEITÃO, S, 2008. Riscos e vulnerabilidade socioambiental urbana: uma

perspectiva a partir dos recursos hídricos. Geotextos, Paraná, v. 4, n. 1, p. 145-163.

MIYAZAKI, V. K, 2013. Estruturação da cidade e morfologia urbana: um estudo sobre

cidades de porte médio da rede urbana paulista. Tese de doutorado. Universidade

Estadual Paulista. Presidente Prudente – SP.

RODRIGUES, S. C, 2000. Análise da Fragilidade do Relevo. Abordagem Empírico-Experimental. Revista Sociedade e Natureza, Uberlândia, v. 23, p. 167-189.

ROCHA, A. A, 2011. Sociedade e Natureza: a produção do espaço urbano em bacias hidrográficas. Edições UESB: Vitória da Conquista.

ROSS, J. L. S, 1994. Análise empírica da fragilidade dos ambientes naturais e

antropizados. In: Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, n.8, p.3-74.

SANTOS, J. O; ROSS, J. L. S, 2012. Fragilidade ambiental urbana. Revista da ANPEGE, v. 8, n. 10, p. 127-144.

SANTOS, J.O; SOUZA, M.J.N, 2014. Abordagem geoambiental aplicada à análise da vulnerabilidade e dos riscos em ambientes urbanos. In: Boletim Goiano de Geografia. v.34. n. 2.

SOUZA, M.J.N, 1988. Contribuição para o estudo das unidades morfo-estruturais do

Estado do Ceará. Fortaleza: Revista de Geologia, ano 1 - nº.

SOUZA, M.J.N, 2000. Bases geoambientais e esboço do zoneamento geoambiental do

Estado do Ceará. In: LIMA, L. C. (Org). Compartimentação territorial e gestão

regional do Ceará. Fortaleza: Funece.

SOUZA, Marcelo Lopes, 2003. ABC do Desenvolvimento Urbano. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil; 190 páginas.

SOUZA, M. J. N; OLIVEIRA, V. P. V, 2011. Análise ambiental – uma prática da interdisciplinaridade no ensino e na pesquisa. Revista Rede.

TEODORO, V. L. I.; TEIXEIRA, D.; COSTA, D. J. L.; FULLER, B. B, 2007. O conceito de bacia hidrográfica e a importância da caracterização morfométrica para o entendimento da dinâmica ambiental local. Revista UNIARA, v. 20, p. 227-245.

TRICART, J, 1977. Ecodinâmica. Rio de Janeiro: IBGE.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v12.7.p2580-2594

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License