Escassez de Água e Seus Impactos Socioeconômicos na Piscicultura Familiar em Tanques-redes no Açude Castanhão no Município de Jaguaribara no Ceará

Leodilma Dantas Soares Takahashi, Cleiton da Silva Silveira, Francisco das Chagas Vasconcelos Júnior

Resumo


A piscicultura representa uma alternativa potencial para a geração de emprego e renda para os piscicultores familiares, no entanto, o sucesso da atividade está diretamente relacionado com a disponibilidade hídrica para seu desenvolvimento. Assim, a presente pesquisa teve como objetivo analisar a situação da piscicultura familiar em tanques-redes no Açude Castanhão, no município de Jaguaribara, no Estado do Ceará, levando em consideração as adversidades climáticas. Para tal análise, dados foram coletados por meio da aplicação de um questionário com informações relativas aos aspectos sociais (faixa etária, componentes familiares, nível de instrução, situação de moradia, etc) e econômicos (renda) de 84 piscicultores familiares do município de Jaguaribara. Visando avaliar os impactos provocados à piscicultura pelos sucessivos anos de estiagem, quatro anos após a aplicação do questionário, realizou-se procedimento de observação direta aos 84 piscicultores que tinham sido estudados. Nesse levantamento, foi identificado que esse número de piscicultores tinha sido reduzido em 94%, pois apenas cinco permaneciam com tanques-redes povoados, evidenciando assim o grande impacto dos sucessivos anos de escassez de água sobre a atividade. Conclui-se então que a piscicultura familiar é uma importante atividade econômica e social para regiões onde existem grandes açudes, como no caso o açude Castanhão, todavia, a atividade é fortemente condicionada às condições climáticas, podendo sofrer grandes impactos ou até mesmo desaparecer após anos seguidos de escassez hídrica.

Referências


médio: múltiplas vozes. UNESCO: Brasília.

AGROPOLOS. Instituto Agropolos do Ceará. A participação da agricultura familiar no PIB do Ceará, 2009. Fortaleza. Disponível: http://www.institutoagropolos.org.br/img/uploads/arquivos/a_particip_080520121211434408.pdf. Acesso: 02 out. 2013.

ANA – Agência Nacional das Águas. Monitor de Secas. Disponível: http://monitordesecas.ana.gov.br/. Acesso: 30 set. 2019.

Brabo, M.F., Ramos Júnior, A.L., Pimentel, J.W.C., Reis, T. S., Campelo, D.A.V., Veras, G.C., 2017. A piscicultura na área de influência de um grande projeto de mineração na Amazônia brasileira. Revista Brasileira de Engenharia de Pesca 10, 69-82.

Buainain, A.M., Romeiro, A.R, Guanziroli, C., 2003. Agricultura familiar e o novo mundo rural. Sociologias 10, 312-347.

Campo Grande News. Estiagem do rio Paraná compromete produção de peixes e gado de MS. Disponível: https://www.campograndenews.com.br/economia/estiagem-do-rio-parana-compromete-producao-de-peixes-e-gado-de-ms. Acesso: 25 nov 2018.

Campos, J.N.B., 2014. Secas e políticas públicas no semiárido: ideias, pensadores e períodos. Estudos Avançados 28, 65-88.

Figueiredo Júnior, C.A., Valente Júnior, A.S., 2008. Cultivo de tilápia no Brasil: origens e cenário atual. In: Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural, SOBER, Rio Branco, Acre.

FUNCEME – Fundação Cearense de Meteorologia, 2019. Disponível: http://msne.funceme.br/. Acesso: 30 set. 2019.

Garjulli, R., 2003. Os recursos hídricos no semi – árido. Ciência e Cultura 55, 38-39.

G1. Piscicultores sofrem com prejuízos da estiagem em Santa Inês, MA. Disponível em: < http://g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/2014/11/piscicultores-sofrem-com-prejuizos-da-estiagem-em-santa-ines-no-ma.html>. Acesso: 25 nov. 2018.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2016. Produção da agricultura, por tipo de produto. Disponivel : https://sidra.ibge.gov.br/tabela/3940#resultado. Acesso: 05 nov. 2018.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2018. Pesquisa de Informações Básicas Municipais – Perfil dos Municípios Brasileiros. Disponível: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101595.pdf. Acesso: 30 out. 2018.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2019. História Jaguaribara. Disponível: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ce/jaguaribara/historico. Acesso: 07 nov 2018.

IPECE - Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará, 2012. Ceará em Números 2012. Fortaleza. Disponível: http://www2.ipece.ce.gov.br/publicacoes/ceara_em_numeros/2012/completa/Ceara_em_Numeros_2012.pdf. Acesso: 07 out. 2013.

IPECE - Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará, 2016. Perfil Básico Municipal 2016 Jaguaribara. Disponível: http://www.ipece.ce.gov.br/perfil_basico_municipal/2016/Jaguaribara.pdf. Acesso: 11 jul 2017.

IPECE – Instituto de Pesquisa e Estratégica Econômica, 2017. Perfil Básico Municipal 2017. Disponível: http://www.ipece.ce.gov.br/wp-content/uploads/sites/45/2018/09/Jaguaribara_2017.pdf. Acesso: 23 Out. 2018.

Matias, J.F.N., 2012. Análise da Sustentabilidade da Aquicultura em Águas de Domínio da União, no Parques Aquícolas do Açude do Castanhão, Estado do Ceará: Estudo de Caso. Tese (Doutorado). Fortaleza-CE, UFC.

Martins, E.S.P.R., Magalhães, A.R., Fontenele, D., 2017. A seca plurianual de 2010-2017 no Nordeste e seus impactos. Revista Parcerias Estratégicas 22, 17- 40.

Melo, M.F.M., Matos, M.M.V.L., 2006. Gênero na Pesca e Economia Familiar: subordinação e subvalorização. In: Seminário Internacional Fazendo Gênero, Florianópolis.

Oliveira, A.G., Bastos, A.T., Fontenele, R.E.S., Moura, H.J., 2011. Avaliação de Políticas Públicas de Desenvolvimento Local: o caso do Projeto Castanhão. In: Encontro Internacional sobre Gestão Empresarial e Meio Ambiente - ENGEMA. Disponível: http://www.engema.org.br/XVIENGEMA/322.pdf. Acesso: 30 out 2019.

Ostrensky, A., borghetti, J.R., Soto, D., 2008. Aquicultura no Brasil: o desafio de crescer. FAO, Brasília.

Rotta, M.A., 2003. Diagnóstico da piscicultura na Bacia do Alto Taquari - MS. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento / Embrapa Pantanal - Corumbá: Embrapa Pantanal.

SRH. Secretaria de Recursos Hídricos, 2018. Plano de ações estratégicas de recursos hídricos do Ceará. Disponível: http://www.srh.ce.gov.br/wp-content/uploads/sites/90/2018/07/PLANO-DE-ACOES-ESTRATEGICAS-DE-RECURSOS-HIDRICOS-CE_2018.pdf. Acesso: 30 out 2019.

Triviños, A.N.S., 1992. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação: o positivismo, fenoenologia, maxismo. 3. ed. São Paulo, Atlas.

Wikipédia. Mapa Jaguaribara. Disponível: https://www.google.com/search?q=mapa+do+municipio+de+jaguaribara+ce&sa=N&tbm=isch&tbo=u&source=univ&ved=2ahUKEwj_5v-z8azeAhUHPJAKHb8CDUE4ChDsCXoECAUQDw&biw=1366&bih=654#imgrc=Yt8wpPq6aSLA4M. Acesso: 30 out 2018.

Valenti, W.C., 2002. Aquicultura sustentável. In: Congresso de Zootecnia, 12º, Vila Real, Portugal, 2002, Vila Real: Associação Portuguesa dos Engenheiros Zootécnicos. Disponível: https://docplayer.com.br/13187132-Aquicultura-sustentavel-wagner-cotroni-valenti.html. Acesso: 11 nov. 2018.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.4.p%25p

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License