Análise Superficial da Cabeceira de Drenagem na Vila Maria no Município de Garanhuns – Pernambuco

Italo Rodrigo Paulino de Arruda, Larissa Furtado Lins dos Santos, Viviane Trajano da Silva, Keila Suzana Glicério de Assis, Osvaldo Girão da Silva

Resumo


O presente artigo tem por objetivo realizar uma análise sistêmica da paisagem a partir do uso de geotecnologias, associadas ao trabalho de campo e às pesquisas bibliográficas, a fim de compreender a geodinâmica de uma área de cabeceira de drenagem localizada na Vila Maria, inserida no município de Garanhuns, no Estado de Pernambuco. Esta avaliação se baseia na identificação dos principais processos que implicam modificações do uso da terra por ações antrópicas e os resultados destas ações, associados à dinâmica geomorfológica. Destaca-se também nesta análise as relações de conectividades, expressas entre encosta e a região das cabeceiras, bem como a ligação longitudinal entre jusante e montante do curso do rio Mundaú. A metodologia empregada foi pautada na realização de extensa revisão bibliográfica, trabalho de campo e processamento de imagens através do Google Earth Pro, o que permitiu a obtenção de resultados preliminares satisfatórios, tornando possível a concretização dos objetivos do trabalho.


Palavras-chave


Cabeceiras de drenagem; Geomorfologia Fluvial; Análise sistêmica; Vila Maria; Pernambuco.

Referências


Amorim, R.F., Corrêa, A.C.B., Silva, D.G., 2016. Tempo e magnitude nos processos geomorfológicos. Geografia, Rio Claro, 41, 17-31.

Arruda, I.R.P., Guimarães, T.O., 2020. Análise vegetacional do município de Brejo da Madre de Deus - Pernambuco. Revista Geofronter, 6, 01-17.

Arruda, I.R.P. Guimarães, T.O., 2019. O Uso do software Microdem como ferramenta para o ensino de Geografia Física. Revista Ensino de Geografia (Recife), 2, 63-79. doi: https://doi.org/10.38187/regeo2019.v2n3id242761

Azambuja, R.N., Corrêa, A.C.B., 2015. Geomorfologia e áreas de expansão urbana do Município de Garanhuns-PE: uma abordagem espaço temporal dos eventos morfodinâmicos para o planejamento territorial. Revista Geo UERJ, 27, 202-233. doi: https://doi.org/10.12957/geouerj.2015.16739.

Bezerra, J., Andrade, J., Melo, F., Vigoderis, R., Galvíncio, J., & Souza, W. (2019). Degradation of the Vila Maria Spring in Garanhuns–PE. Journal of Hyperspectral Remote Sensing, 9, 320-329. doi: https://doi.org/10.29150/jhrs.v9.6.p320-329.

Bispo, C.O., Oliveira, G.P., Silva, M.L.G., Santos, A.C., Listo, F.L.R., Girão, O., 2018. Diagnóstico de voçorocas na zona periurbana de Garanhuns, agreste meridional Pernambucano. Revista de Geografia (Recife), 35, 322-340

Bispo, C.O.; Falcao, N.A.M.; Toujaguez, R., 2019. Ocupação irregular de encostas urbanas no município de Maceió‐AL. OKARA : GEOGRAFIA EM DEBATE (UFPB), 13, 216-229. Doi: https://doi.org/10.22478/ufpb.1982-3878.2019v13n1.39080.

Brito, T.R.C., Lima, J.R.S., Oliveira, C.L., Souza, R.M.S., Antonino, A.C.D., Medeiros, E.V., Souza, E.S., Alves, E. M., 2020. Mudanças no Uso da Terra e Efeito nos Componentes do Balanço Hídrico no Agreste Pernambucano. Revista Brasileira de Geografia Física, 13, 870-886. doi: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.2.p870-886.

CPRM. Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais. 2015. Manual Geobank.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, 2013. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. EMBRAPA, Brasília.

Ferreira, P.S., Gomes, V.P., Santos, A.M., Souza, W.M., Galvíncio, J. D., 2016. Mudanças climáticas e a Geopotencialidade à fruticultura em municípios de Pernambuco: subsídios à agricultura familiar. Caderno de Geografia, 26, 522-544. doi: 10.5752/p.2318-2962.2016v26n.46p.522

Ferreira, P.S., Gomes, V.P., Galvíncio, J.D., Santos, A.M., Souza, W.M., 2017. Avaliação da tendência espaço-temporal da precipitação pluviométrica em uma região semiárida do estado de Pernambuco. Revista Brasileira de Climatologia [online] 27. Disponível: http://dx.doi.org/10.5380/abclima.v21i0.45895. Acesso: 12 jun. 2019.

Gomes, V.P., Galvíncio, J.D., Ferreira, P.S., Silva, J.F., Ferreira, H.S., 2016. Hyperspectral analysis in areas of Caatinga degraded in the municipality of Sertânia - PE. Journal of Hyperspectral Remote Sensing, 6(5), 262-269. doi:https://doi.org/10.5935/2237-2202.20160026

Guareschi, V.D., Nummer, A.D., 2018. Cabeceiras de drenagem e controle estrutural na bacia hidrográfica do Arroio Lajeado Taquarembó-RS. IN: PREZE FILHO, A., AMORIM, R. R. (org). Os desafios da Geografia Física na fronteira do conhecimento. Editora Campinas: Instituto de Geociências – UNICAMP, São Paulo, pp. 6343-6351.doi: https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2527

Lima, M.C.G., Santos, T.E.M., Costa, V.S.O., Lima, C.E.S., Reis, J.V., Souza, W.M., 2019. Avaliação do padrão hidroclimático e da erosividade no Sertão de Pernambuco. Revista Brasileira de Geografia Física, 12,, 1757-1769. doi: https://doi.org/10.26848/rbgf.v12.5.p1757-1769

Lopes, A., & Galvíncio, J.D., 2013. Uso da Terra em Ambientes Urbanos e seus Impactos (Land Use in Urban Environment and your Impacts). Revista Brasileira de Geografia Física, 6(2), 329-340. doi: https://doi.org/10.26848/rbgf.v6.2.p329-340.

Mafra, R.C., Pinheiro, M.M.F., Cicerelli, R.E., Osco, L.P., Alves, M.R., Ramos, A.P.M., 2020.Validação de mapa de vulnerabilidade a erosão por aprendizagem de máquina. Revista Brasileira de Geografia Física, 13, 564-575. doi: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.2.p564-575.

Menezes, C.R.; Salgado, C.M., 2019. Classificação de estilos fluviais na bacia do rio Bananeiras (alto vale do Rio São João, Silva Jardim – RJ): base para análise da condição geomorfológica. Revista Brasileira de Geografia Física, 12, 895-912. doi: https://doi.org/10.26848/rbgf.v12.3.p895-912.

Nascimento, K.R.P.N., Alves, E.R., Alves, M.V., Falvíncio, J.D., 2020. Impacto da precipitação e do uso e ocupação do solo na cobertura vegetal na Caatinga. Journal of Environmental Analysis and Progress, 05, 221-231. doi: https://doi.org/10.24221/jeap.5.2.2020.3058.221-231

Oliveira, G.P., Bispo, C.O., Nascimento, D.A., Silva, O.G., 2018. O Google Earth como uma ferramenta de apoio aos estudos preliminares de Geomorfologia Fluvial: Estudo de caso no riacho de Vila Maria - Garanhuns-PE. Revista Geosaberes, 9, 1-10. doi: 10.26895/geosaberes.v9i18.656.

Oliveira, G.P., & Diniz, M.T.M., (2015). Proposta de uso do Software Microdem como recurso didático para o ensino de geomorfologia. Revista Do CERES, 1, 245-250.

Paisani, J.C.; Pontelli, M.E.; Geremia, F., 2006. Cabeceiras de drenagem da bacia do Rio Quatorze - formação serra geral (SW do Paraná): distribuição espacial, propriedades morfológicas e controle estrutural. Raega - O Espaço Geográfico em Análise, 12, 211-219 doi: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v12i0.4789.

Reis, G.A., Ribeiro, A.J.A., Silva, C. A. U., 2020. Diagnóstico de Vulnerabilidade Socioambiental em Áreas Urbanas Utilizando Inteligência Geográfica. Revista Brasileira de Geografia Física, 13, 767-781. doi: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.2.p767-781.

Santos, L.F.L., Melo, R.F.T., Listo, D.G.S., 2019. Proposta de utilização do Google Earth pro para a confecção de mapeamento geomorfológico de detalhe do maciço estrutural de Água Branca (AL/PE). Revista de Geografia (Recife), 36, 147-159.

Silva, D.G., Arruda, I.R.P., Silva, M.L.G., Ferreira, P.S.F., Gomes, V.P., 2016. Análise espaço-temporal do uso e cobertura da terra no município de Exu, PE. Revista Clio Arqueológica, V31, 193-210. doi: https://doi.org/10.20891/clio.V31N3p193-210.

Silva, R.L., Paula, K.M.M., Monteiro, K.A., 2018. Análise de cabeceiras de drenagem a partir de classificação geossistêmica e da relação hipsometria-declividade em unidade de paisagem inserida na bacia do CELMM. In: Perez Filho, A., Amorim, R. (Org.). E-book. Os Desafios da Geografia Física na Fronteira do Conhecimento. Ied. Campinas: UNICAMP, 2017, I, 7335-7341. Doi. https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2295.

Soares, A.B., Troleis, A.L., 2015. Análise da problemática socioambiental de nascentes urbanas no Município de Garanhuns-PE. Dissertação (Mestrado em Geografia). Natal, Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Soares, A.B., Troleis, A.L., 2018. A expansão urbana de Garanhuns-PE entre 1811 e 2016 e suas implicações socioambientais. Revista Movimentos Sociais e Dinâmicas Espaciais 7, 185-209.

Sousa, S.G., Lima, E.M., Silva, J.F.G., Listo, D.G.S., Listo, F.L.R., 2019. O papel da escala espacial e temporal na análise de processos geomorfológicos: exemplos e aplicações. Revista de Geografia (Recife), 36, 168-180.

Sousa, S.G., Silva, M.L.G., Pereira, T.M.S., Barbosa, M.P., Listo, F.L.R., 2018. Suscetibilidade a escorregamentos e risco de queda de blocos no geossítio colina do horto, Juazeiro do Norte/CE. Estudos Geográficos, Rio Claro, 16, 193-212. doi: https://doi.org/10.5016/estgeo.v16i2.13313.

Sousa, S. G., Santos, L.F.L., Silva, V.T., Arruda, I.R.P., Listo, D.G.S., 2019. Análise geomorfológica do município de Quipapá - zona da mata de Pernambuco. Revista Equador (UFPI), 8, 436-448.

Sousa, S.G. Macedo, F.R.B., Ribeiro, S.C., 2018. Os processos geomorfológicos sob a ótica do produtor rural, município de Granjeiro/CE. IN: Preze Filho, A., Amorim, R. R. (org). Os desafios da Geografia Física na fronteira do conhecimento. Campinas: Instituto de Geociências – UNICAMP, I, 6352-6360. doi: https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.2524

Souza, J.O.P.; Barros, A.C.M..; Correa, A.C.B., 2016. Estilos fluviais num ambiente semiárido: bacia do Riacho do Saco, Pernambuco. Finisterra, Lisboa , I, 3-23. doi: http://dx.doi.org/10.18055/Finis3737.

Tavares, V.C.; Arruda, Í.R.P.; Silva, D.G., 2019). Desertificação, mudanças climáticas e secas no semiárido brasileiro: uma revisão bibliográfica. Geosul, Florianópolis, 34, 385-405. doi: https://doi.org/10.5007/21775230.2019v34n70p385.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.5.p%25p

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License