Efeitos da precipitação na vazão da bacia hidrográfica do rio Pajeú-PE

Luciana Mayla de Aquino França, Caio Cesar Farias Diaz, Josimar Vieira dos Reis, Valéria Sandra de Oliveira Costa, Josiclêda Domiciano Galvíncio

Resumo


Em estudos hidrológicos se torna importante a obtenção de dados através de estações meteorológicas. Porém, em certas localidades, esses dados possuem muitas falhas, o que pode comprometer diversos estudos. Com isso, o uso de estatística para o preenchimento de falhas e análise de séries climáticas e hidrológicas são fundamentais para a interpretação dessas séries. Assim, este trabalho tem como objetivo aplicar métodos estatísticos no preenchimento de falhas para análise da espacialização das vazões. Foram utilizados dados de precipitação e vazão para algumas localidades da bacia hidrográfica do rio Pajeú dos anos de 1994 a 2013 para a regressão linear e de 1964 a 2014 para a vazão específica. Como forma de preenchimento de falhas, foi utilizado o método de Ponderação Regional para a precipitação e o método Auto Regressivo de Médias Moveis (ARMA) para a vazão. Para analisar se a série tem relação estatisticamente foi utilizado o método de Regressão Linear e para analisar os dados anualmente foi calculada a vazão específica de cada estação. Os resultados demonstram que não há relação entre precipitação e vazão durante o período analisado, onde o melhor valor obtido de r foi 0.0315 para a estação Ilha Grande no município de floresta e a maior vazão específica foi para a estação de Afogados da Ingazeira. Com a análise de regressão linear entre a vazão e a precipitação, foi demonstrado que para essa bacia hidrográfica essas variáveis não possuem significância estatística.


Palavras-chave


bacias hidrograficas; clima; falhas; estatistica

Texto completo:

PDF

Referências


Alves, E.D.L., 2016. Influência das variáveis naturais e antrópicas nos padrões da temperatura de superfície: análise por meio de regressão linear múltipla. Raega - O Espaço Geográfico em Análise 38, 345 - 364.

ANA. Agência Nacional de Águas, 2019. HidroWeb v3.1.1. Série históricas das estações. Disponível: http://www.snirh.gov.br/hidroweb/serieshistoricas. Acesso em: 20 nov. 2018.

Anjos, R., Nóbrega, R., Araújo, F., & Rocha Filho, G. (2016). Spacial Distribution of Rain Types In Pernambuco With The Usage Of Remote Sensing. Journal of Hyperspectral Remote Sensing, 6(3), 154-163. doi:https://doi.org/10.5935/2237-2202.20160016

APAC. Agência Pernambucana de Águas e Climas. Monitoramento hidrológico. Disponível: http://www.apac.pe.gov.br/monitoramento/. Acesso: 24 nov. 2018.

Assis, J.M.O., Souza, W.M., Sobral, M.C., 2015. Análise climática da precipitação no submédio da bacia do rio São Francisco com base no índice de anomalia de chuva. Revista Brasileira de Ciências Ambientais 36, 115-127.

Bertoni, J.C., Tucci, C.E.M., 2007. Precipitação, in: Tucci, C.E.M. Hidrologia: ciência e aplicação. UFRGS, Porto Alegre, pp. 177-241.

Camelo, H.N., Lucio, P.S., Leal Junior, J.B.V., Carvalho, P.C.M., 2017. Métodos de previsão de séries temporais e modelagem híbrida ambos aplicados em médias mensais de velocidade do vento para regiões do nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Meteorologia 32, 565-574.

Campozano, E.S., Sánchez, A., Aviles, A., Samaniego, E., 2014. Evaluating of infilling methods for time series of daily precipitation and temperature: the case of the ecuadorian Andes. Maskana 5, 99-115.

Cavalcante, H., Cruz, P., Viana, L., Silva, D., & Barbosa, J. (2018). Influence of the use and the land cover of the catchment in the water quality of the semiarid tropical reservoirs. Journal of Hyperspectral Remote Sensing, 7(7), 389-398. doi:https://doi.org/10.29150/jhrs.v7.7.p389-398

CBHSF. Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco. O tal do rio Pajeú que despeja no São Francisco. 2014. Disponível: http://cbhsaofrancisco.org.br/o-tal-do-rio-pajeu-que-despeja-no-sao-francisco/. Acesso: 15 fev. 2019.

Cirilo, J.A., Montenegro, S.M.G.L., Campos, J.N.B., 2010. A questão da água no semiárido brasileiro, in: Bicudo, C.E.M., Tundisi, J.G., Scheuenstuhl, M.C.B. (org.), Águas do Brasil: análises estratégicas. Instituto de Botânica, São Paulo, pp. 81-91.

Costa, V.J., Ferreira, M., Cordeiro, M.T.A., 2015. Análise de séries temporais climáticas. Revista de Ciências Agroveterinárias 14, 169-177.

Cruz, J.C., Tucci, C.E.M., 2008. Estimativa da disponibilidade hídrica através da curva de permanência. Revista Brasileira de Recursos Hídricos 13, 111-124.

Diaz, C.C.F., Pereira, J.A.S., Nóbrega, R.S., 2018. Comparação de dados estimados pelo método da ponderação regional (pr) e dados estimados pelo trmm para o preenchimento de falhas de precipitação na bacia hidrográfica do rio Pajeú. Revista Brasileira de Climatologia 22, 324-339.

DNOCS. Departamento Nacional de Obras Contra as Secas. Disponível: https://www.dnocs.gov.br/php/canais/recursos_hidricos/. Acesso: 24 nov. 2018.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Centro Nacional de Pesquisa de Solos, 2006. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 2. ed. EMBRAPA-SPI, Rio de Janeiro.

Ermenegildo, L.F.S., Pereira, S.B., Arai, F.K., Jardim-Rosa, D.B.C., 2012. Vazão específica e precipitação média na bacia do Ivinhema. Agrarian 5, 428-432.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2012. Manual Técnico da Vegetação Brasileira. 2. ed. IBGE, Rio de Janeiro.

Leivas, J.F., Berlato, M.A., Fontana, D.C., 2006. Risco de deficiência hídrica decenial na metade sul do Estado do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 10, 397-407.

Lemos Filho, L.C.A., Carvalho, L.G., Evangelista, A.W.P., Carvalho, L.M.T., Danras, A.A.A., 2007. Análise espaço-temporal da evapotranspiração de referência para Minas Gerais. Ciência e Agrotecnologia 31, 1462-1469.

Limberger, L., Silva, M.E.S., 2012. Precipitação e vazão mensal na Amazônia. Revista Geonorte 1, 719-728.

MMA. Ministério do Meio Ambiente, 2000. Agenda 21 brasileira – Bases para discussão. Brasília. Disponível: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/8457/mod_resource/content/1/bases_discussao_agenda21.pdf. Acesso: 16 set. 2018.

Molina, S.K.M., 2012. Disponibilidade hídrica na bacia hidrográfica do rio Amambai-MS. Dissertação (Mestrado). Campina Grande, UFPB.

Oliveira, J., de Medeiros, B., da Silva, J., Moura, G., Lins, F., Nascimento, C., & Lopes, P. (2018). Space-temporal evaluation of biophysical parameters in the High Ipanema watershed by remote sensing. Journal of Hyperspectral Remote Sensing, 7(6), 357-366. doi:https://doi.org/10.29150/jhrs.v7.6.p357-366

Oliveira, L.F.C., Fioreze, A.P., Medeiros, A.M.M., Silva, M.A.S., 2010. Comparação de metodologias de preenchimento de falhas de séries históricas de precipitação pluvial anual. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 14, 1186-1192.

Penereiro, J.C., Orlando, D.V., 2013. Análise de tendências em séries temporais anuais de dados climáticos e hidrológicos na bacia do rio Parnaíba entre os estados do Maranhão e Piauí/Brasil. Revista Geográfica Acadêmica 7, 5-21.

Pezzi, L.P., Ubarana, V., Repelli, C., 2000. Desempenho e previsões de um modelo regional estatístico para a região sul do Brasil. Brazilian Journal of Geophysics 18.

Pruski, F.F., Pereira, S.B., Novaes, L.F., Silva, D.D., Ramos, M.M., 2004. Precipitação média Precipitação média anual e vazão específica média de longa duração na bacia do São Francisco. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 8, 247-253.

Pruski, F.F., Nunes, A.A., Rego, F.S., Souza,

M.F., 2012. Extrapolação de equações de regionalização de vazões mínimas: alternativas para atenuar os riscos. Water Resources and Irrigation Management 1, 51-59.

Salgueiro, J.H.P.B., Montenegro, S.M.G.L., 2008. Análise da distribuição espacial da precipitação na bacia do rio Pajeú em Pernambuco segundo método geoestatístico. Revista Tecnologia 29, 174-185.

Santos, G.G., Figueiredo, C.C., Oliveira, L.F.C., Griebeler, N.P., 2009. Intensidade duração-frequência de chuvas para o Estado de Mato Grosso do Sul. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental 13, 899-905.

Silva, K., Gomes, R., & Rego, N. (2015). Social And Environmental Hydrographics Implications Of The Land Use In The Plain And Coastal Boards Between Ilhéus And Olivença – BA. Journal of Hyperspectral Remote Sensing, 5(1), 013-026. doi:https://doi.org/10.29150/jhrs.v5.1.p013-026

Silva, H., Santos, M., Cabral Junior, J., & Spyrides, M. (2016). Modeling of reference evapotranspiration by multiple linear regression. Journal of Hyperspectral Remote Sensing, 6(1), 44-58. doi:https://doi.org/10.5935/2237-2202.20160005

Schirmbeck, L. (2017). Understanding TVDI as an index that expresses soil moisture. Journal of Hyperspectral Remote Sensing, 7(2), 82-90. doi:https://doi.org/10.29150/jhrs.v7.2.p82-90

Soares, D.B., Nóbrega, R.S., Galvíncio, J.D., 2018. Indicadores climáticos de desertificação na bacia hidrográfica do Rio Pajeú, Pernambuco. Revista Brasileira de Climatologia 22, 363-380.

Sobral, M.C., Assis, J.M.O., Oliveira, C.R., Silva, G.M.M., Morais, M., Caminha, M.R.C., 2018. Impacto das mudanças climáticas nos recursos hídricos no submédio da bacia hidrográfica do rio São Francisco – Brasil. Rede – Revista Eletrônica do Prodema 12, 95-106.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v12.6.p2377-2391

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License