Diversidade Florística dos Afloramentos Rochosos da Reserva Biológica de Pedra Talhada, Quebrangulo, Alagoas

Juliana Silva Correia, Rosângela Pereira Lyra-Lemos, Rayane de Tasso Moreira Ribeiro, Maria Iracema Bezerra Loiola

Resumo


Os afloramentos rochosos ocorrem principalmente em regiões de climas áridos e são reconhecidos por apresentarem uma flora altamente especializada, com altos níveis de diversidade e endemismo. O objetivo do estudo foi realizar um levantamento florístico em ambientes de afloramentos rochosos visando registrar a diversidade local e contribuir para a ampliação do conhecimento da flora brasileira. O estudo foi desenvolvido nos afloramentos rochosos conhecidos popularmente como Pedra Talhada, Três Lagoas e dos Bois, todos localizados na Reserva Biológica de Pedra Talhada no município de Quebrangulo, Alagoas. Coletas mensais foram realizadas durante dois anos (2013 - 2014). Para a identificação dos táxons foram consultadas bibliografias especializadas, guias e sítios de imagens, além de especialistas. Na Rebio de Pedra Talhada foram identificadas 160 espécies de angiospermas pertencentes a 132 gêneros e 60 famílias. Nas três áreas estudadas predomina o estrato herbáceo-arbustivo (77,3%), no entanto, diferem quanto a riqueza e composição florística. As famílias com maior representatividade foram Orchidaceae (13 spp.), Rubiaceae (12 spp.) e Asteraceae (11 spp.). São indicadas 15 novas ocorrências para Alagoas; cinco para o domínio Mata Atlântica e um novo registro para a região Nordeste do Brasil.


Palavras-chave


Angiospermas, Mata Atlântica, novas ocorrências, nordeste do Brasil

Referências


APG - Angiosperm Phylogeny Group IV., 2016. An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG IV. Botanical Journal of the Linnean Society 181, 1-20.

Almeida, A., Felix, W.P., Andrade, L.A., Felix, L.P., 2008. A família Orchidaceae em inselbergues da Paraíba, Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Biociências 5, 753-755.

Antunes, K., Salimena, F.R.G., Sobral, M., 2013. Plinia delicata (Myrtaceae), a new species from southeastern Brazil. Phytotaxa 131, 45-48.

Araújo, F.S., Oliveira, R.F., Lima-Verde, L.W., 2008. Composição, espectro biológico e síndromes dedispersão da vegetação de um inselbergue no domínio da Caatinga, Ceará. Rodriguésia 59, 659-671.

Assis, J. S., Alves, A. L., Nascimento, N.C., 2007. Atlas Escolar de Alagoas: espaço geo-histórico e cultural. João Pessoa: Grafiset. 208 p.

Barthlott, W., Gróger, A., Porembski, S., 1993. Some remarks on the vegetation of tropical inselbergs: diversity and ecological differentiation. Biogeographica 69, 105-124.

BFG - The Brazil Flora Group Brazilian., 2018. Flora 2020: Innovation and collaboration to meet Target 1 of the Global Strategy for Plant Conservation (GSPC). Rodriguésia 69, 1513-1527.

Carmo, F.F., 2014. Padrões de diversidade, Estrutura, de Comunidades de Plantas em Afloramentos Rochosos, Quadrilátero Ferrífero, Brasil. 2014. Tese (Doutorado em Ecologia, Conservação e Manejo da Vida Silvestre) –Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

Cordeiro, W.P.F.S., Esser, H.-J. Sapium in Flora do Brasil 2020 em construção. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2020.

Couto, D.R., Francisco, T.M., Manhães, V.C., Dias, H.M., Pereira, M.C.A., 2017. Floristic composition of a Neotropical inselberg from Espírito Santo state, Brazil: an important area for conservation. Check List 13, 2043.

CRIA. Centro de Referência em Informação Ambiental., 2020. speciesLink. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2020.

Flora do Brasil 2020 (em construção), 2020. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: . Acesso em: 12 maio 2020.

França, F., Melo, E., Santos, C.C., 1997. Flora de inselbergues da região de Milagres, Bahia, Brasil: I. Caracterização da vegetação e lista de espécies de dois inselbergues. Sitientibus, Série Ciências Biológicas 17, 163-184.

França, F., Melo, E., Santos, A.K.A., Melo, J.G.A.N., Marques, M., Silva-Filho, M.F.B., Moraes, L., Machado, C., 2005. Estudos ecológico-florístico em ilhas de vegetação de um inselbergue no semi-árido da Bahia, Brasil. Hoehnea 32, 93-101.

França, F., Melo, E., Gonçalves, J.M., 2006. Aspectos da diversidade da vegetação no topo de um inselbergue no semiárido da Bahia, Brasil. Sitientibus Série Ciência Biológicas 6, 30-35.

Gomes, P., Alves, M., 2010. Floristic diversity of two crystalline rocky outcrops in the Brazilian northeast semi-arid region. Revista Brasileira de Botânica 33(4), 661-676.

Gomes, P., Sobral-Leite, M., 2013. Crystalline rock outcrops in the Atlantic Forest of northeastern Brazil: vascular flora, biological spectrum, and invasive species. Brazilian ournal of Botany 36, 111-123.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia Estatística., 2012. Manual técnico da vegetação brasileira. 2. ed. Disponível em: < https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv63011.pdf>. Acesso em: 10 jun. 2020.

ICMBIO. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade., 2020. Reserva Biológica de Pedra Talhada. 2020. Disponível em: . Acesso em: 9 jun. 2020.

IPNI. The International Plant Names Index., 2020. The Royal Botanic Gardens, Kew. Disponível em: . Acesso em: 13 maio 2020.

Lopes-Silva, R.F., Rodrigues, J.S., Gomes-Silva, F., Lucena, D.S., Lucena, M.F.A., 2019. Composição florística de um inselbergno semiárido paraibano, nordeste brasileiro. Rodriguésia 70: e02812017.

Martinelli, G., Moraes, M.A. (Org.), 2013. Livro Vermelho da Flora do Brasil. Instituto de pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Centro Nacional de Conservação da Flora, 1100p.

MMA. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (MMA), 2006. Plano Operativo de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais da Reserva Biológica de Pedra Talhada. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis-IBAMA, Quebrangulo.

Moraes, A. O., Melo, E., Agra, M. F., França, F., 2009. A família Solanaceae nos “Inselbergues” do semi-árido da Bahia, Brasil. Iheringia 64(2), 109-122.

Oliveira, R.B., Godoy, S.A.P., 2007. Composição florística dos afloramentos rochosos do Morro do Forno, Altinópolis, São Paulo. Biota Neotropica 7, 37-48.

Oliveira, A.N.S., Amorim, C.M.F., Lyra-Lemos, R.P., 2014. Alagoas: Unidades de Conservação. As riquezas das Áreas protegidas no Território Alagoano. Maceió: Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas: Mineração Vale Verde, p. 62.

Paulino, R.C., Gomes, V.S., Silveira, A.P., 2018. Flora de Inselbergues do Monumento Natural Monólitos de Quixadá, no sertão central do Ceará. Iheringia, série Botânica 73, 182-190.

Pereira, M.M.D., Braga, P.E.T., Guiomar, N., Santos, F.D.S., Ribeiro, S., 2018. A flora e a vegetação dos afloramentos rochosos em três municípios na região Norte do Ceará, Brasil: caracterização fitossociológica. Rodriguésia 69, 281-299.

Pessoa, E., Alves, M., 2014. Orchidaceae em afloramentos rochosos do estado de Pernambuco, Brasil. Rodriguésia 65, 717-734.

Porembski, S., Martinelli, G., Ohlemuller, R., Barthlott. W., 1998. Diversity and ecology of saxicolousvegetation mats on inselbergs in Brazilian Atlantic forest. Diversity and Distributions 4, 107-119.

Porembski, S., 2007. Tropical inselbergs: habitat types, adaptive strategies and diversity patterns. Brazilian Journal of Botany 30, 579-586.

Porto, P.A.F., Almeida, A., Pessoa, W.J., Felix, L.P., Trovão, D., 2008. Composição florística de um inselbergue no Agreste paraibano, município de Esperança, Nordeste do Brasil. Revista Caatinga 21(2): 214-223.

Rodrigues, J.S., Brasileiro, J.C.B., Melo, J.I.M., 2014. Flora de um inselbergue na mesorregião agreste do estado da Paraíba-Brasil. Polibotânica 37, 47-61.

Sales-Rodrigues. J., Brasileiro, J.C.B., Melo, J.I.M., 2014. Flora de um inselberg na mesorregião agreste do estado da Paraíba-Brasil. Polibotânica 37: 47-61.

Silva, T.D.S., Felix, L.P., Melo, J.I.M.D., 2015. Bromeliaceae and Orchidaceaeon rocky outcrops in the Agreste Mesoregion of the Paraíba State, Brazil. Hoehnea 42, 345-365.

Silva, J.B., 2016. Panorama sobre a vegetação em afloramentos rochosos do Brasil. Oecologia Australis 20, 451-463.

Souza, V.C. Orobanchaceae in Flora do Brasil 2020 em construção. Jardim Botânico do Rio de Janeiro.Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2020.

Tinti, B.V., Schaefer, C.E.R.G., Nunes, J.A., Rodrigues, A.C., Fialho, I.F., Neri, A.V., 2015. Plant diversity on granite/gneiss rock outcrop at Pedra do Pato, Serra do Brigadeiro State Park, Brazil. Check List 11, artigo1780.

Tölke, E., Silva, J.B., Pereira, A.R.L., Melo, J.I.M., 2011. Flora vascular de um inselbergue no estado da Paraíba, Nordeste do Brasil. Biotemas 24: 39-48.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v14.2.p%25p

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License