Análise da Susceptibilidade à Erosão Hídrica em uma Bacia Hidrográfica do Semiárido Brasileiro

Tássio Jordan Rodrigues Dantas da Silva, José Cleidimário Araújo Leite, Andréa Karla Gouveia Cavalcanti, Jussara Silva Dantas, Flaubert Queiroga de Sousa, Maxsuel Bezerra do Nascimento, José Ludemario da Silva Medeiros, Olávio Rocha Neto, Gabriella Moreira Campos, Luan Carlos de Andrade Santos

Resumo


A degradação dos solos constitui um dos principais problemas da atualidade, sendo decorrente, na maioria das vezes das ações irresponsáveis do ser antrópico sobre os recursos naturais, nesse cenário, o geoprocessamento se apresenta como uma importante ferramenta de investigação, servindo de base para identificação dos níveis de degradação ambiental, bem como na classificação de terras e na elaboração de mapas cartográficos que auxiliem no planejamento público, e em novas pesquisas acadêmicas. Neste estudo, teve-se por objetivo avaliar a susceptibilidade à erosão hídrica na Bacia Hidrográfica do Rio Piancó, por meio de geotecnologias. Em síntese, a sequência dos procedimentos metodológicos utilizados nesta pesquisa foram: levantamento bibliográfico, criação de um banco de dados georreferenciados, atribuição de pesos as classes de susceptibilidade à erosão do solo, elaboração de mapas temáticos e geração de um mapa final de vulnerabilidade à erosão hídrica. A partir dos resultados, foi possível identificar áreas de incompatibilidade legal e averiguar que 66% da área de estudo apresentou grau de vulnerabilidade medianamente estável/vulnerável e que outros 19% da área enquadraram-se de moderadamente vulnerável a vulnerável, indicando assim, a necessidade da adoção de medidas mitigadoras a fim de reduzir a vulnerabilidade dos solos nesses locais. Por fim, pôde-se concluir, que o uso de geotecnologias associado a modelos empíricos é eficaz na classificação de vulnerabilidade à erosão hídrica.


Palavras-chave


Vulnerabilidade Ambiental; Geoprocessamento; SIG; Planejamento Ambiental

Referências


AESA. Agência Executiva de Gestão de Águas do Estado da Paraíba, 2020. Geo Portal AESA. Disponível: . Acesso: 04 jun. 2020.

ANA. Agência Nacional de Águas/ Portal Hidroweb, 2019. Disponível: . Acesso: 02 de fev. 2019.

ALMEIDA, W. S. D., CARVALHO, D. F. D., PANACHUKI, E., VALIM, W. C., RODRIGUES, S. A., e VARELLA, C. A. A, 2016. Erosão hídrica em diferentes sistemas de cultivo e níveis de cobertura do solo. Pesquisa Agropecuária Brasileira [online], v. 51, n. 9, p. 1110-1119, 2016. Disponível: http://dx.doi.org/10.1590/s0100-204x2016000900010. Acesso: 27 jul. 2020.

ALMEIDA, A. Q. D., SOUZA, R. M. S., LOUREIRO, D. C., PEREIRA, D. D. R., CRUZ, M. A. S., & VIEIRA, J. S, 2017. Modelagem da dependência espacial do índice de erosividade das chuvas no semiárido brasileiro. Pesquisa Agropecuária Brasileira [online], v. 52, n. 6, p. 371-379. Disponível: https://doi.org/10.1590/s0100-204x2017000600001. Acesso: 27 de jul. 2020.

ALVES, R. E.; SOUZA, F. L.; SOUZA, M. V.; QUEIROZ, A. F. T.; & LIMA, V. J, 2016. A degradação e fragilidade dos solos no Sudoeste de Goiás. Revista Geográfica de América Central [online], v. 6, n. 2, p. 235–258. Disponível: https://doi.org/10.15359/rgac.1-56.10. Acesso: 25 jul. 2020.

BARBOSA NETO, M. V.; ARAUJO, M. S. B.; FILHO, J. C. A.; ALMEIDA, B. G, 2017. Degradação do solo por erosão em área vulnerável à desertificação no semiárido pernambucano. ln: I Congresso Nacional de Geografia Física [online]. Campinas - SP, p. 4406-4416. Disponível: https://doi.org/10.20396/sbgfa.v1i2017.1929. Acesso: 23 mai. 2020.

BERTONI, J., LOMBARDI NETO, F., 2014. Conservação do solo. 9ed. São Paulo: Ícone, p. 355.

BRASIL. Código Florestal Brasileiro, 2012. Disponível: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12651.htm#art83. Acesso: 27 de jun. 2020.

CALIJURI, M. L.; DO COUTO, E. D. A.; DA FONSECA SANTIAGO, A.; CAMARGO, R. A.; e SILVA, M. D, 2012. Evaluation of the Influence of Natural and Antrhopogenic Processes on Water Quality in Karstic Region. Water, Air, & Soil Pollution [online], v. 223, n. 5, p. 2157-2168. Disponível: https://doi.org/10.1007/s11270-011-1012-5. Acesso: 25 jun. 2020.

CBHPPA. Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Piancó - Piranhas - Açu, 2018. Disponível: http://www.cbhpiancopiranhasacu.org.br/site/a-bacia. Acesso: 05 de abr. 2020.

COSTA, A. L. C. Estudo da vulnerabilidade à erosão com a aplicação da Equação Universal de Perda de Solo na Alta Bacia Hidrográfica do Rio Jacaré Pepira, utilizando SIG/SPRING. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas. 2005, p. 166.

CREPANI, E.; MEDEIROS, J. D.; HERNANDEZ FILHO, P.; FLORENZANO, T. G.; DUARTE, V.; BARBOSA, C. C. F. Sensoriamento remoto e geoprocessamento aplicados ao zoneamento ecológico-econômico e ao ordenamento territorial. 1 ed. São José dos Campos: Ed. INPE /Ministério da ciência e tecnologia, 2001, p. 74.

CUIABANO, M. D. N., NEVES, S. M. A. D. S., NUNES, M. C. M., SERAFIM, M. E., e NEVES, R. J, 2018. Vulnerabilidade ambiental à erosão hídrica na sub-bacia do córrego do Guanabara/Reserva do Cabaçal–MT, Brasil. Geociências (São Paulo), v. 36, n. 3, p. 543-556. Disponível: https://doi.org/10.5016/geociencias.v36i1.12301. Acesso: 20 jun. 2020.

FALCÃO, K. S.; LEITE, E. F, 2018. Avaliação do potencial natural à erosão hídrica na Bacia do Rio Nioaque. Revista GeoAraguaia [online]. Barra do Garças/MT, v. 8, n. 3, p. 56-63. Disponível: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/geo/article/view/7792/pdf. Acesso: 27 jul. 2020.

FERNANDES, M. F.; QUEIROZ, P, 2018. Vegetação e flora da Caatinga. Ciência e Cultura [online], v. 70, n. 4, p. 51-56. Disponível: https://doi.org/10.21800/2317-66602018000400014. Acesso: 27 jul. 2020.

GERBER, D., PERTILLE, C. T., VIEIRA, F. S., CORRÊA, B. J. S., DE SOUZA, C. F., 2018. Caracterização morfométrica da Bacia Hidrográfica do Rio Itajaí–Santa Catarina. Acta Biológica Catarinense [online] v. 5, n. 01, p. 72-83. Disponível: http://dx.doi.org/10.21726/abc.v5i1.446. Acesso: 16 mai. 2020.

HAIDARA, I., TAHRI, M., MAANAN, M., & HAKDAOUI, M. Efficiency of Fuzzy Analytic Hierarchy Process to detect soil erosion vulnerability, 2019. Geoderma [online], v. 354, p. 113853, 2019. Disponível: https://doi.org/10.1016/j.geoderma.2019.07.011. Acesso: 27 de jul. 2020.

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA, 2015. Geociência/ informações ambientais. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/geociencias/informacoes-ambientais. Acesso em: 10 dez. 2019.

KOPPEN, W. D., 1936. Das geographische system der klimat, Handbuch der klimatologie, 1 ed. Berlim: Gebruder Borntraeger, 44 p.

LEAL, M. S., TONELLO, K. C., 2017. Análise Da Morfometria E Do Uso E Cobertura Da Terra Da Microbacia Do Córrego Ipaneminha De Baixo, Sorocaba/Sp. Floresta [Online] v. 46, n. 4, p. 439-446. Disponível: https://doi.org/10.5380/rf.v46i4.45809. Acesso: 12 jun. 2020.

LEPSCH, I. F. Formação e conservação dos solos, 2016. 2 ed. São Paulo: Oficina de textos, 178 p.

MOMOLI, R. S. COOPER, M, 2016. Erosão hídrica em solos cultivados e sob mata ciliar. Pesquisa Agropecuária Brasileira [online], v. 51, n. 9, p. 1295-1305. Disponível: https://doi.org/10.1590/s0100-204x2016000900029. Acesso: 22 jun. 2020.

PAGÁN, J. I.; Aragonés, L.; Tenza-Abril, A. J.; e Pallarés, P, 2016. The influence of anthropic actions on the evolution of an urban beach: Case study of Marineta Cassiana beach, Spain. Science of the Total Environment [online], v. 559, n. 1, p. 242-255. Disponível: https://doi.org/10.1016/j.scitotenv.2016.03.134. Acesso: 25 jul. 2020.

PANAGOPOULOS, Y., DIMITRIOU, E., & SKOULIKIDIS, N. Vulnerability of a Northeast Mediterranean Island to Soil Loss. Can Grazing Management Mitigate Erosion?. Water [online], v. 11, n. 7, p. 1491, 2019. Disponível: https://doi.org/10.3390/w11071491. Acesso: 26 jul. 2020.

PAN, Y.; Yuan, S. Y.; Tan, H. M.; Gan, L.; Li, L.; Amini, F, 2018. Recent knowledge of hydraulic erosion of the HPTM system with vegetation. In: PIO Conference Series: Earth and Environmental Sciences. Banda Aceh, p. 012024.

PINTO, M. L. C.; SHEFFER, E. W. D. O.; STEINKE, V. A.; FLORIANI, N.; FLORIANI, N, 2012. Cor e turbidez como indicadores de processos erosivos na bacia hidrográfica do Taquaral São Mateus Do Sul. Raega - O Espaço Geográfico em Análise [online], v. 24, n. 1. Disponível: https://doi.org/10.5380/raega.v24i0.26264. Acesso: 20 jul. 2020.

RIBEIRO, F. L.; CAMPOS, S, 2007. Vulnerabilidade à erosão do solo da região do Alto Rio Pardo, Pardinho, SP. Revista brasileira de engenharia agrícola e ambiental [online], v. 11, n. 6, p. 628-636. Disponível: https://doi.org/10.1590/s1415-43662007000600012. Acesso: 15 mai. 2020.

RODRIGUES, J. A. M; MELLO, R. C.; VIOLA, M. R.; RODRIGUES, M. C, 2018. Estimativa da vulnerabilidade dos solos à erosão hídrica na bacia hidrográfica do rio Cervo–MG. Geociências [online], v. 36, n. 3, p. 531-542. Disponível: https://doi.org/10.5016/geociencias.v36i3.11695. Acesso: 29 abr. 2020.

SANTOS, E. J.; FERREIRA, C. A.; SILVA JÚNIOR, J. M. F, 2002. Geologia e recursos minerais do estado da Paraíba. 1 ed. Recife: CPRM, 142 p.

SANTOS, M. C, 2017. Solos do Semiárido do Brasil - Semiárido Riquezas e Oportunidades / Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Pernambuco. 10 ed. Recife: EDUFRPE, 43p.

SILVA, L. N. A.; ROCHA, A. M.; SOUZA FILHO, E. T.; FERNANDES, J. A. F, 2018. O Uso de Sistemas de Informação Geográfica (SIGs) na Gestão Sustentável do Assentamento Jardim, Baturité-CE. Conexões-Ciência e Tecnologia [online], v. 12, n. 3, p. 119-129. Disponível: https://doi.org/10.21439/conexoes.v12i3.1190. Acesso: 23 mai. 2020.

TIANYANG LI., LI, S., LIANG, C., HE, B., e BUSH, R. T, 2019. Erosion vulnerability of sandy clay loam soil in Southwest China: Modeling soil detachment capacity by flume simulation. Catena [online], v. 178, p. 90-99. Disponível: https://doi.org/10.1016/j.catena.2019.03.008. Acesso: 26 jun. 2020.

USGS. United States Geological Survey. 2019. Disponível em: https://www.usgs.gov/centers/eros/science/usgs-eros-archive-landsat-archives-landsat-8-oli-operational-land-imager-and?qt-science_center_objects=0#qt-science_center_objects. Acesso em: 18 de dez. 2019.

VELOSO, F. A.; PINHEIRO, M. V, 2016. Análise do índice de erodibilidade do solo de terreno acidentado da cidade de Cristina/MG. Revista Científica da FEPI [online], v. 9, n 17, p. 45-59. Disponível: http://revista.fepi.br/revista/index.php/revista/article/view/433/334. Acesso: 02 jul. 2020.

ZELLHUBER, A.; SIQUEIRA, R, 2016. Rio São Francisco em descaminho: degradação e revitalização. Cadernos do CEAS: Revista crítica de humanidades [online], v. 6, n. 227, p. 3-24. Disponível: http://dx.doi.org/10.25247/2447-861X.2007.n227.p3%20-%2024. Acesso: 07 jun. 2020.

ZUFFO, A., e ZUFFO, M., 2017. Gerenciamento de recursos hídricos: conceituação e contextualização. 1 ed. Rio de Janeiro: Elsevier Brasil, 480 p.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v14.3.p%25p

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License