Análise comparativa da fragilidade ambiental da bacia do rio Piracicaba a partir da aplicação de dois modelos metodológicos: suporte para o estabelecimento e proposição de Corredores Ecológicos.

Suelen Crispim Sutil, José Augusto Costa Gonçalves, Eliane Maria Vieira

Resumo


A avaliação da fragilidade ambiental das bacias hidrográficas vem se tornando cada vez mais importante no cenário ambiental, devido ao desenvolvimento gradativo da sociedade e a expansão tecnológica e econômica ao longo dos anos. Uma estratégia adotada para amenizar a degradação e restabelecer o equilíbrio, é a formação de corredores ecológicos (CEs), que auxilia na ligação entre remanescentes naturais. A bacia do rio Piracicaba passa por um longo histórico de degradação e de fragmentação florestal, principalmente próximo às cidades devido ao desmatamento de matas ciliares. Em vista disso, este trabalho analisou e comparou a aplicação de dois diferentes modelos de fragilidade ambiental, aplicada a esta bacia e, a partir de seus produtos identificou a melhor metodologia base para a proposição de corredores ecológicos na região. Com os resultados obtidos, foi possível inferir que, além de grande parte da bacia apresentar grau de fragilidade entre fraco e médio, as áreas mais vulneráveis são aquelas mais próximas à cabeceira da bacia. O estabelecimento dos corredores ecológicos abrangeu, prioritariamente, as áreas de maior fragilidade entre a conexão dos fragmentos de vegetação e as Áreas de Preservação Permanentes (APPs), assim, verificou-se que é necessário o reflorestamento de cerca de 342,24 km² das APPs da bacia para que seja possível a conexão entre as remanescentes e 2,0 km²  de áreas de ligação.

 

Comparative analysis of the environmental fragility of the Piracicaba river basin using two methodological models: support for the application and proposition of Biological Corridors

 

A B S T R A C T

The assessment of a river basin’s environmental fragility has become even more important on the environmental scenery due to society’s gradual development and technological and economic expansion over the years. An adopted strategy to ease the degradation and restore the ecological balance is the establishment of biological corridors that can assist the connection between natural forest patches. The Piracicaba river basin has been going through a long history of degradation and forest fragmentation, especially near the cities because of the deforestation of riparian forests. Therefore, this paper analyzed and compared the application of two adapted environmental fragility models in this river basin and identified from their products the best base methodology for the proposition of ecological corridors. From the results, it was possible to infer that, in addition to a big part of the basin present poor and average fragility level, the most vulnerable areas are the ones close to the source of the main rivers. The biological corridors establishment covered, primarily, the most vulnerable areas between the fragments of remaining forests and the Permanent Preservation Areas (PPAs) and, from this, it was possible to verify that the reforestation of around 132,14 mi² of PPAs is necessary for the connection of patches of remaining forests and 0,77 mi² of connections areas.

Keywords: environmental vulnerability, geoprocessing, environmental management.


Palavras-chave


vulnerabilidade ambiental, geoprocessamento, Gestão Ambiental.

Texto completo:

PDF

Referências


ALOS PALSAR. 2011. Imagens de Altimetria. Resolução Espacial 12,5 m (raster). Disponível em: . Acesso: 09 dez 2020.

Almeida, P.F., Silva, J.B.L., Neves, F.M., 2020. Vulnerabilidade Ambiental do Município de Teixeira de Freitas-BA. Revista Brasileira de Geografia Física [online], 13, 1587-1609. Disponível: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.4.p1587-1609. Acesso: 30 nov 2020.

Ayer, J.E.B., Olivetti, D., Mincato, R.L., Silva, M.L.N., 2015. Erosão hídrica em Latossolos Vermelhos distróficos. Pesq. Agropecuária Tropical [online], 45, 180-191. Disponível: https://doi.org/10.1590/1983-40632015v4531197. Acesso: 30 nov 2020.

Barbosa, P.G., Cavalcanti, A.B., Campos, J.H.B.C, Rocha, C.M.R.S, Silva, M.T., Ogata, I.S., Costa, L.M., Justo, A.O, Chagas, G.R.S., 2019. Uso de geotecnologias integradas a um sistema de Informações Geográficas (SIG) na análise da situação ambiental da região do parque estadual do Jabre/PB. Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais [online], 10, 146-153. Disponível: http://doi.org/10.6008/CBPC2179-6858.2019.006.0013. Acesso: 09 dez 2020.

Belato, L.S., Serrão, S.L.C., 2019. Aplicação da vulnerabilidade ambiental do município de Tomé-Açu, Estado do Pará. Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais [online], 10, 131-145. Disponível: https://doi.org/10.6008/CBPC2179-6858.2019.001.0011. Acesso: 09 dez 2020.

Bertolin, C.M., 2020. Desafios na gestão financeira: estudo de caso nas unidades de conservação na Serra de São José – MG. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental [online], 9, 596-616. Disponível: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v9e12020596-616. Acesso: 30 nov 2020.

BRASIL, 2012, Lei no 12.651, de 25 de maio.

CBH DOCE. Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio Doce, 2010. Plano Integrado de Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica do Rio Doce. Belo Horizonte. Disponível: http://www.cbhdoce.org.br/wp-content/uploads/2014/10/PIRH_Doce_Volume_I.pdf. Acesso: 30 nov 2020.

Crepani, E., Medeiros, J.S., Azevedo, L.G., Duarte, V., Hernandez, P., Florenzano, T., 2001. Sensoriamento Remoto e Geoprocessamento Aplicados ao Zoneamento Ecológico-Econômico e ao Ordenamento Territorial, 1 ed. INPE, São José dos Campos.

Dalla Corte, A.P., Hentz, A.M.K., Doubrawa, B., Sanquetta, C.R., 2015. Environmental fragility of Iguaçu river watershed, Paraná, Brazil. Bosque (Valdivia) [online], 32, 287-297. Disponível: http://dx.doi.org/10.4067/S0717-92002015000200014. Acesso: 30 nov 2020.

De Araújo, T.M.S., Bastos, F.H., 2019. Corredores ecológicos e conservação da biodiversidade: aportes teóricos e conceituais. Revista da Casa da Geografia de Sobral (RCGS) [online], 21, 716-729. Disponível: https://doi.org/10.35701/rcgs.v21n2.575. Acesso: 09 dez 2020.

Gomes, I., Vieira, E.M., Machado, M.L., Simão, M.L.R., Ferreira, A.C., 2019. Delineamento de áreas com potencial erosivo para a bacia hidrográfica. Revista Geonomos [online], 27, 60-72. Disponível: https://doi.org/10.18285/geonomos.v27i1.23744. Acesso: 30 nov 2020.

Gouveia, I.C.M.C., Ross, J.L.S., 2019. Fragilidade Ambiental: uma Proposta de Aplicaçao de Geomorphons para a Variável Relevo. Revista do Departamento de Geografia [online] 37. Disponível: https://doi.org/10.11606/rdg.v37i0.151030. Acesso: 14 dez. 2020.

IEF. Instituto Estadual de Florestas, 2020. Parque Estadual do Rio Doce. Belo Horizonte.

Jóźwiak-Niedźwiedzka, D., Antolik, A., Dziedzic, K., Glinicki, M., Gibas, K., 2019. Resistance of selected aggregates from igneous rocks to alkali-silica reaction: verification. Roads and Bridges - Drogi i Mosty [online], 18, 67-83. Disponível: http://https:/doi.org/10.7409/rabdim.019.005. Acesso: 09 dez 2020.

Leão de Souza, D.S., Dellargne, F.L., Mira, I.R.C., Silva, G.T.G., Silva, M.L., 2020. Análise e Mapeamento da Fragilidade Ambiental no Município de Inconfidentes–MG. Revista Brasileira de Geografia Física [online], 13, 2269-2292. Disponível: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.5.p2269-2292. Acesso: 09 dez 2020.

Lima, M.M.P., Silva, L., 2018. Análise da Vulnerabilidade Natural da Bacia Hidrográfica do Rio Banabuiú, com Apoio de Geotecnologia. Revista Brasileira de Geografia Física [online], 11, 1442-1457. Disponível: https://doi.org/10.26848/rbgf.v11.4.p1442-1457. Acesso: 30 nov 2020.

Machado, M.F., Silva, S.F., 2010. Geodiversidade do Estado de Minas Gerais. Programa de Geologia do Brasil. Belo Horizonte. CPRM. Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais, 94p. Disponível: http://rigeo.cprm.gov.br/xmlui/handle/doc/16735?show=full. Acesso: 30 nov 2020.

Maciel, A.L., Vieira, E.M., Monte Mor, R.C., Vasques, A.C., 2019. Regionalização e espacialização de vazões de permanência: estudo aplicado na bacia rio Piracicaba - MG. Revista Brasileira de Climatologia [online], 24, 114-133. Disponível: http://dx.doi.org/10.5380/abclima.v24i0.58420. Acesso: 30 nov 2020.

Magalhães, I. A. L., Thiago, C.R.L., Dos Santos, A.R., 2020. Identificação de Fragmentos Florestais Potencias para a delimitação de Corredores Ecológicos na bacia hidrográfica do Rio Itapemirim, ES por meio técnicas de Sensoriamento Remoto. Revista Brasileira de Geografia Física [online], 13, 595–612. Disponível: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.2.p595-612 Acesso: 09 dez 2020.

Mahmood Ajaj, Q.M., Shareef, M.A., Hassan, N.D., Hasan, S.F., Noori, A.M, 2018. GIS Based Spatial Modeling to Mapping and Estimation Relative Risk of Different Diseases Using Inverse Distance Weighting (IDW) Interpolation Algorithm and Evidential Belief Function (EBF) (Case study: Minor Part of Kirkuk City, Iraq). International Journal of Engineering & Technology [online], 7, 185-191. Disponível: http://dx.doi.org/10.14419/ijet.v7i4.37.24098 Acesso: 30 nov 2020.

Nogueira Martins R., Colares A.P.F., Almeida S.L.H., Zanella M.A., Nery C.V.M., 2018. Fragilidade potencial e emergente na bacia do rio Peruaçu, região norte de Minas Gerais. Revista Brasileira De Geomática [online], 6, 99-118. Disponível: http://dx.doi.org/10.3895/rbgeo.v6n2.7521. Acesso: 30 nov 2020.

Oliveira, A.M.M., Pinto, S.A.F., Lombardi Neto, F., 2007. Caracterização de indicadores da erosão do solo em bacias hidrográficas com o suporte de geotecnologias e modelo preditivo. Estudos Geográficos, Rio Claro, 5, 63-86.

Pereira, A.G. Mapeamento do uso e cobertura da bacia hidrográfica do Rio Piracicaba para o ano de 2019, 2020. In: III Simpósio de Iniciação Científica – Universidade Federal de Itajubá, MG.

Periçato, A.J., Souza, M.L., 2019. O Estudo da Fragilidade Potencial e Emergente na Bacia Hidrográfica do Rio das Antas, Noroeste do Paraná. Caderno de Geografia [online], 29, 1064-1082. Disponível: https://doi.org/10.5752/P.2318-2962.2019v29n59p1064. Acesso: 30 nov 2020.

Queiroz, M.T.A., Sabará, M.G., Queiroz, C.A., Leão, M.M.D, Amorim, C.C., Lima, L.R.P. de., 2017. Estudo sobre os teores de Tório, Urânio e Potássio nas águas superficiais e sedimento marginal do Rio Piracicaba, Minas Gerais, Brasil. Eng. Sanit. Ambient. [online], 22, 371-380. Disponível: https://doi.org/10.1590/s1413-41522016126287. Acesso: 09 dez 2020.

Ross, J.L.S., 1994. Análise Empírica da Fragilidade dos Ambientes Naturais e Antropizados. Revista do Departamento de Geografia (USP) [online], 8, 63-74. Disponível: https://doi.org/10.7154/RDG.1994.0008.0006. Acesso: 30 nov 2020.

Santos, H.G., Jacomine, P.K.T., Anjos, L.H.C., Oliveira, V.A., Lumbreras, J.F., Coelho, M. R., Almeida, J.A., Araujo Filho, J.C., Oliveira, J.B., Cunha, T.J.F., 2018. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. Brasília, DF: Embrapa, 2018.

Santos, J.R.U. dos, Marchioro, E., 2020. Análise empírica da fragilidade ambiental da bacia hidrográfica do rio Duas Bocas, Espírito Santo, Brasil. Revista do Departamento de Geografia [online], 39, 72-87. Disponível: https://doi.org/10.11606/rdg.v39i0.160946. Acesso em 14 dez 2020.

Silva, F.T., Prates, A.P.L., 2020. Possibilidade de Uso de Mecanismos de Compensação para a Regularização Fundiária de Unidades de Conservação Estaduais em Minas Gerais. Revista Biodiversidade Brasileira (BioBrasil) [online], 10, 17-35. Disponível: https://doi.org/10.37002/biobrasil.v10i2.1468. Acesso: 30 nov 2020

Silva, V.C.B., Machado, P.S., 2014. SIG na Análise Ambiental: Susceptibilidade Erosiva da Bacia Hidrográfica do Córrego Mutuca, Nova Lima - Minas Gerais. Revista de Geografia (UFPE), 31, 66-78.

Sokoloski, L.J.F., Ferreira, M.R.A., Viterbo, G.A., Belotti, F.M., Vieira, E.M., 2019. Estudo da vulnerabilidade natural da sub-bacia do Rio Piracicaba/MG utilizando Sistemas de Informações Geográficas (SIG). Revista Ibero Americana de Ciências Ambientais [online], 10, 211-222. Disponível: https://doi.org/10.6008/CBPC2179-6858.2019.002.0018. Acesso: 30 nov 2020.

Spröl, C., Ross, J.L.S, 2004. Análise Comparativa da fragilidade ambiental com aplicação de três modelos. GEOUSP Espaço e Tempo [online], 8, 39-49. Disponível: https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2004.123868. Acesso: 30 nov 2020.

Valle, I.C., Francelino, M.C., Pinheiro, H.S.K., 2016. Mapeamento da Fragilidade Ambiental na Bacia do Rio Aldeia Velha, RJ. Floresta e Ambiente, Seropédica [online], 23, 295-308. Disponível: https://doi.org/10.1590/2179-8087.107714. Acesso: 30 nov 2020.




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v13.6.p3060-3077

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License