“Um modo singular de ser ocidental” Reflexões sobre a identidade latino-americana a partir do pensamento de Manoel Bomfim e de Octavio Paz

Mariana Cavalcanti Albuquerque

Resumo


Neste artigo analisamos a identidade latino-americana, através dos ensaios-sociais América Latina: males de origem (1905), de Manoel Bomfim, e O labirinto da solidão (1950), de Octavio Paz. Destacamos a noção de “um modo singular de ser ocidental” como mote para a abordagem da referida identidade, considerando três aspectos vistos como “marcas simbólicas”: a herança colonial, a mestiçagem e o suposto sentimento de inferioridade. As obras puderam ser analisadas com base na abordagem temática, por permitir cruzar mais livremente diversas perspectivas, intérpretes e contextos, que dialogam entre si. Assumimos como pressuposto a leitura decolonial, que tem evidenciado a necessidade de revisão sobre os significados subjacentes noção de América Latina, segundo o argumento que a lógica da colonialidade é parte constitutiva da modernidade. Assim, propusemos o conceito de “identidade subjugada” para enfatizar os aspectos ligados às narrativas identitárias sobredeterminada pela “lógica colonial”

Palavras-chave


Identidade Latino-Americana. Teoria Decolonial. Manoel Bomfim. Octavio Paz.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, Ronaldo Conde (2000) O rebelde esquecido – tempo, vida e obra de Manoel Bomfim. Rio de Janeiro: Topbooks.

ALBUQUERQUE, Mariana. (2017).Identidade latino-americana nas concepções de Manoel Bomfim e Octavio Paz: uma análise à luz do pensamento decolonial. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal de Pernambuco, CFCH. Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Recife.

ANDERSON, Benedict. (2015). Tradução de Denise Bottman. Comunidades Imaginadas. São Paulo: Companhia das letras.

BALLESTRIN, Luciana. (2013). América Latina e o giro decolonial. Rev. Bras. Ciênc. Polít., Brasília, n. 11, p. 89-117, Aug.

BOMFIM, Manoel. (2005). A América Latina – Males de origem. Rio de Janeiro: Topbooks.

CANDIDO, Antonio. (1990). Radicalismos. Estud. av., São Paulo , v. 4, n. 8, p. 4-18, Apr.

DUSSEL, Enrique. (2005). Traduzido por Júlio César Cesarin Barroso Silva - “Europa, Modernidade e eurocêntrico” In LANDER, Edgardo (org.) A colonialidade do saber – Eurocentrismo e ciências sociais perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO.

HALL, Stuart. (2015). Tradução de Tomaz Tadeu da Silva & Guaciara Lopes Louro. A identidade cultural na pós-modernidade. Ed. 12. Rio de Janeiro: Lamparina.

MARTINS, Paulo Henrique. (2014). O ensaio sobre o dom de Marcel Mauss: um texto pioneiro da crítica decolonial. Ed. Sociologias, Porto Algre, ano 16, nº 36, mai/ago, p. 22- 41.

MIGNOLO, Walter D. (2005). Traduzido por Júlio César Cesarin Barroso Silva - “A colonialidade de cabo a rabo: o hemisfério ocidental no horizonte conceitual da modernidade” In LANDER, Edgardo (org.) A colonialidade do saber – Eurocentrismo e ciências sociais perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO,.

MIGNOLO, Walter. (2005). La ideia de américa latina. La herida colonial e la opcion decolonial. Editora gedisa, S.A. espanha.

MIGNOLO, Walter. (2003). Tradução de Solange Ribeiro de Oliveira. Histórias locais/ projetos globais. Colonialidade, saberes subalternos e pensamento liminar. Belo horizonte, editora YFMG.

MUDIMBE. (2013). A invenção de África. Gnose, filosofia e a ordem do conhecimento. Edições pedago, Portugal.

PAZ, Octávio. (2014). Tradução de Ari Roitman & Paulina Wacht. O labirinto da solidão. São Paulo: Cosac Naify.

QUIJANO, Aníbal. (2005). Traduzido por Júlio César Cesarin Barroso Silva - “Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina” In LANDER, Edgardo (org.) A colonialidade do saber – Eurocentrismo e ciências sociais perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO.

REZENDE, Antonio Paulo. (2000). Octavio Paz: as trilhas do labirinto. Revista Brasileira de História. São Paulo, v.20, nº39, p223-248.

RIBEIRO, Darcy. (2005). “Manoel Bomfim, antropólogo” In BOMFIM, Manoel. América Latina: males de origem. Rio de Janeiro: Topbooks.

RIBEIRO, Darcy. (1979). O dilema da América. 2 ed. Petrópolis: Editora Vozes Ltda.

SANTIAGO, Silvino. (2006). As raízes e o labirinto da América Latina. Rio de Janeiro: Rocco.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista de Estudos AntiUtilitaristas e PosColoniais - ISSN: 2179-7501

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Creative Commons CC Atribuição Não comercial, sem derivação 4.0.