Perfil sociodemográfico e narrativas de pessoas idosas que já viviam a solidão antes da sindemia do Covid-19

Patricia Araújo Bezerra, Suelen de Alencar Soares, Simone Bezerra Franco, Leides Barroso de Azevedo Moura

Resumo


Os dados e narrativas apresentados neste estudo descrevem o quão urgente é compreender os desafios e as oportunidades da heterogeneidade do envelhecimento, especialmente numa sociedade ageista que historicamente isola os indivíduos mais longevos. Neste artigo são analisados resultados de entrevistas com pessoas de 60 anos ou mais de idade residentes em duas Instituições de Longa Permanência no Distrito Federal, no período de agosto a dezembro de 2019. Adota-se o constructo do ageismo como perspectiva teórica do estudo.  Observou-se que a maioria das pessoas idosas já viviam a solidão antes da circulação global do SARS COV-2. A sindemia do COVID 19 em curso tem o potencial de acirrar a solidão já vivida por pessoas idosas, mas também de criar novas sociabilidades e redes de solidariedade intergeracionais.


Palavras-chave


Solidão. Sindemia. Covid-19. Pessoa Idosa. Ageismo.

Texto completo:

PDF

Referências


BARROSO, S.M. et al. Evidências de validade da Escala Brasileira de Solidão UCLA. Uberaba - MG: Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Departamento de Psicologia, 2016.

BEAUVOIR, S. A Velhice. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Diretoria de Pesquisas. Coordenação de População e Indicadores Sociais. Projeções da População do Brasil e Unidades da Federação por sexo e idade: 2010-2060. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística; 2018.

BUTLER, R. N. Ageism: A foreword. Journal of Social Issues, v. 36, n. 2, p. 8-11, 1980.

CAMARANO, A.M; KANSO, S. As instituições de longa permanência para idosos no Brasil. Rev. bras. Estud. Popul. vol.27 no.1 São Paulo Jan./June 2010.

DEBERT, G. G. A invenção da terceira idade e a rearticulação de formas de consumo e demandas políticas. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 12, n. 34, p. 39-56, 1997.

ELLIOTT, A.; LEMERT, C. The New Individualism - The Emotional Costs of Globalization. Londres e Nova Iorque: Routledge, 2006.

HORTON, R. COVID 19 is not a pandemic. The Lancet, v. 396, n. 10255, p 874, 2020.

LIMA-COSTA, M. F., 2018. Envelhecimento e Saúde coletiva: Estudo Longitudinal da Saúde dos Idosos Brasileiros (ELSI-Brasil). Rev Saúde Pública. 52 Supl 2:2s.

MOURA, L B A. A Pessoa Idosa na Área Metropolitana de Brasília: oportunidades e desafios. In: Vasconcelos A M N et all (Org) Território e sociedade: as múltiplas faces da Brasília metropolitana. Brasília: Editora UnB; 2019.

OLIVEIRA, A. A quarentena é branca | classe, raça, gênero e colonialidade. Ver. REALIS, v. 10, n. 01, p. 1903-203, 2020.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. Guia Global das Cidades Amigas da Pessoa Idosa. Genebra: OMS; 2008.

PARK, N. S. et al. Associations of a social network typology with physical and mental health risks among older adults in South Korea. Aging & mental health, v. 22, n. 5, p. 631-638, 2018.

RAMAGE-MORIN, P.L. Hearing difficulties and feelings of social isolation among Canadians aged 45 or older. Statistics Canada, 2016.

RUSSELL D, PEPLAU LA, FERGUSON ML. Developing a measure of loneliness. J Pers Assess. 1978;42(3):290-4.

SPIVAC G.C. Pode o subalterno falar? Belo Horizonte: editora UFMG; 2010

TADAKA, E. et al. Development of a community’s self-efficacy scale for preventing social isolation among community-dwelling older people (Mimamori Scale). BMC public health, v. 16, n. 1, p. 1198, 2016.

VERAS, R. P., & OLIVEIRA, M. (2018). Envelhecer no Brasil: a construção de um modelo de cuidado. Ciência & Saúde Coletiva, 23, 1929-1936.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista de Estudos AntiUtilitaristas e PosColoniais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Creative Commons CC Atribuição Não comercial, sem derivação 4.0.