Africanidade e território na inscrição (da escrita literária) brasileira

Heloisa Toller Gomes

Resumo


Este texto examina como tem se dado o preenchimento simbólico do território brasileiro e enfoca, através da escrita literária, as ligações entre o território e as culturas africanas implantadas, desenvolvidas e transformadas em nosso país.  Procurando mapear a geografia do imaginário na escrita – inseparável da questão identitária – aqui discutimos exemplos extraídos da literatura colonial, romântica, modernista e contemporânea; e destacamos como, em contraponto à expressão de ideologias racialistas autojustificadoras, hegemônicas durante todo o processo de colonização e visíveis nos mitos de fundação a serviço do estabelecimento do Estado-nação, a expressão literária afrobrasileira tem quebrado os paradigmas eurocêntricos em sua inscrição de africanidade e território.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 REALIS | Revista de Estudos AntiUtilitaristas e PosColoniais - ISSN: 2179-7501



Creative Commons CC Atribuição Não comercial, sem derivação 4.0.