Do outro lado do Atlântico: A África como referencial nas pedagogias propostas pelo Movimento Negro no Brasil

Ivan Costa Lima

Resumo


O artigo sintetiza estudos do mestrado e doutorado em educação, sobre conhecimentos acerca do pensar e fazer pedagógico de entidades do Movimento Negro (MN) no Brasil, que nomearam como pedagogia seus modelos educativos para o país. Este tema mostra-se relevante na medida em que se almeja superar o desconhecimento na sociedade e na história da Educação de propostas pedagógicas desenvolvidas pelo Movimento Negro. A investigação discute como tais pedagogias problematizam a referência sobre África como uma educação diferenciada para os sistemas de ensino brasileiro. As metodologias têm uma perspectiva sócio histórica, considerando os sujeitos, suas origens e as relações sociais, que se estabeleceram em suas trajetórias.  Esta visão histórica foi combinada com o uso da História Oral, como possibilidade de aprofundar os significados do universo cultural e político dos integrantes deste movimento e seus reflexos nas políticas educacionais no Brasil. Neste sentido tais pedagogias se apresentam como uma alternativa aos sistemas de ensino brasileiro, tendo seu centramento em uma filosofia cujo processo é o universo civilizatório africano.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 REALIS | Revista de Estudos AntiUtilitaristas e PosColoniais - ISSN: 2179-7501



Creative Commons CC Atribuição Não comercial, sem derivação 4.0.